segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A CIÊNCIA DO ESPÍRITO/DE SUAS PROPRIEDADES




PROPRIEDADES DO ESPÍRITO    


Macro-plexo ou Perispírito


O espírito é uma porção definida de energia individualizada, constituindo, uma partícula divina, com características próprias e livre arbítrio.
Cada espírito tem características, objetivos, tendências e preferências que são somente seus, e para retornar ao TODO DIVINO (DEUS) necessita apagar sua individualidade, isto é, desindividualizar-se, o que lhe é propiciado pelas encarnações, em sua adaptação ao corpo físico, cujas manifestações se fazem pelo processo sensorial de estímulo-resposta, chamado alma.
No macro-plexo ou plexo etérico, o espírito atua no Homem, sobre a alma e através dela.
Um espírito encarnado age através do corpo físico, enquanto,o desencarnado por seu corpo fluídico de acordo com as suas vibrações.
Como não podemos conhecer o espírito em sua essência, ele se reveste de energias que o tornam perceptível e cognoscível, tomando forma, embora não percebida por nossos sentidos, formando organismo homogêneo, uma película subcutânea, que desempenha todas as funções da vida psíquica ou da vida fora do corpo, com sensibilidade extra-sensorial, à qual denominamos perispírito.
Uma das propriedades do espírito é poder ser, simultaneamente, várias coisas. O espírito rompe o nêutron, indo em buscar energia em seu plano evolutivo para se alimentar e assim, também alimentar o Homem, embora sofra as influências da alma e do corpo. A maneira como ele recebe as decisões da alma é que determina seu êxito na encarnação.
Enquanto encarnado, a alma e o corpo físico formam a personalidade, já após o desencarne, a alma e o perispírito formam o corpo astral.
Em suas jornadas universais, os espíritos seguem uma lei que os caracterizam como homens ou mulheres.
Quando vai reencarnar, o espírito, junto com a Espiritualidade, programa sua nova jornada, escolhendo as provas porque deverá passar, incluindo sua família, sua mãe e quando possível seu pai.
Na preparação para reencarnação o espirito é submetido ao sono cultural, onde sua lembrança é apagada e, quando o feto está no terceiro mês de gestação, o espírito ele é ligado àquele corpo em formação, pela centelha divina.
Na Terra, o espírito percorre sua jornada com seu veículo físico que o corpo e também com seu veículo etérico que é o perispírito, manipulando as forças da Terra, até completar 14 (quatorze) anos de idade.
A partir dessa idade começa a manipular também as energias cósmicas, alterando progressivamente o seu coronário ( Sol Interior).
O contrato entre o psicofísico e o espirito começa a ser alimentado pelo energia mediúnica, fazendo com que "eu interior" comece a registrar os fatos de seu espírito com maior nitidez. Esse processo normalmente se conclui aos vinte e um anos, quando o Homem está apto a ouvir as vozes dos três reinos de sua natureza que são: do corpo e da alma (personalidade).
O Homem quando ouve seu espírito e utiliza a força mediúnica a seu favor, poderá alterar o seu carma.
E para isso só tem um caminho: Amor, Humanidade e Tolerância na Lei do Auxílio, onde o trabalho dará condições de tornar sua vida mais criativa e aliviar seu carma.
Homem que não atende os anseios do corpo e da alma deixa também de satisfazer sua exigências, assim, sofrendo pequenas dores.
Mas, quando não ouve a voz de seu espírito, ele mergulha na verdadeira dor, perdendo-se nos descaminhos da vida, vindo até sofrer a morte em dois planos.
A Ciência não aceita a existência do espírito, pois entende que faz parte do sistema psicológico do Homem. São comuns afirmações equivocadas de que espirito e alma são a mesma coisa.
espírito é uma partícula divina, que pelas Iniciações e Consagrações, vai se purificando, vai se tornando mais sutil, elevando suas vibrações, de forma a propiciar melhores condições para realizar as grande transmutações pela manipulação da energia extra-cósmica, em frequência cada vez mais elevada.

Tia Neiva, em dois momentos escreveu a respeito:
" Nós sabemos que o Homem é composto de corpo, alma e espírito. Na verdade,nós separamos todos,pois há uma independência muito grande de cada um. 
O corpo é uma projeção do espírito, uma vez que é o espírito que fabrica seu corpo,de acordo com o tipo de carma por ele planejado.
Da mesma forma, a alma é projetada segundo o espírito. O trabalho evolutivo do espírito é feito através do corpo e da alma. 
Assim, nós colocamos nosso corpo e nossa alma a serviço do espírito, através de nossas heranças. Assim, quando fazemos nossas emissões, estamos nos reportando a todas as vivências do nosso espírito, porque ele não pertence a este plano mas, sim, às nossas origens." 
(TIA NEIVA, s/d)
"Qualquer atitude do Homem na faixa vibratória da evolução é válida,porque estamos em um mundo onde se confundem as sombras e as claridades. Todos os males da vida concorrem para o nosso aperfeiçoamento. Sob o efeito de todos estes ensinamentos e pela dora, pelas provas e pela humilhação, desprendemo-nos lentamente para a vida eterna. Vivemos no meio de uma multidão invisível que assiste, silenciosamente, a lógica desta nossa Doutrina, nos dando segurança e nos facilitando a conduta de um mundo para o outro. 
Quando o Homem aprender a trabalhar harmoniosamente deixará de se enganar a si mesmo, sentindo-se injustiçado ou aguardando a compaixão, sem a justiça. Sim, porque é na vida mesmo que se deve procurar os mistérios da Morte! A salvação ou a reparação começam aqui. O seu Céu ou o seus mundo inferior estão aqui! Filho, a virtude é compensada. Não faça desta vida o infernal templo dos teus anseios. Filho, as células do nosso corpo agem,sempre de acordo com os impulsos nervosos emitidos do cérebro. Filho, há um exército de auxiliares medianeiros entre nós e Deus, procurando velar por nós embora reconheçam o nosso livre arbítrio." 
( TIA NEIVA, 18.2.82)
Do grego peri = entorno e do latim spiritus = alma, Allan Kardec criou a palavra perispírito, para designar o corpo fluídico que envolve o espírito.
estrela_022.gif
Macro-Plexo – O Plexo Etérico . É a esfera instrumento do espírito atuando no Homem, sobre a alma e através dela. Como não podemos conhecer o espírito em sua essência, ele se reveste de energias, para se tornar perceptível e cognoscível, tomando forma, embora não percebida por nossos sentidos: é a sua roupagem, que denominados Perispírito. 
O espírito ultrapassa a barreira do nêutron e vai buscar energias para se alimentar e alimentar o Homem. Aprisionado o espírito no perispírito, obedecendo à lei do Carma (Causa e efeito), ele vai passando seus testes e provas, na marcha evolutiva. Embora recebendo sua alimentação energética de seu próprio plano evolutivo, o espírito é influenciado pela alma e pelo corpo. A maneira como ele recebe as decisões da alma é que irão determinar o bom ou mau aproveitamento da situação de encarnado. Quando reencarna, as provas foram escolhidas por ele e a aprovação ou reprovação de suas provas depende dele, respeitando sempre o seu desejo  o Livre Arbítrio.
Na Terra, o espírito percorre sua jornada com seus veículos físico (o corpo) e etérico (o perispírito), e mesmo depois de desencarnado, junto com a alma, forma o corpo etérico, sujeitando-se às leis desses planos. Quando terminar sua jornada, quando não houver mais provas a passar, nem reajustes a resgatar, ele desliga-se desses planos, e se torna um Espírito de Luz. O espírito do Jaguar tem sua origem em Capela, nosso Planeta-Mãe. Ao encarnar e se submeter às leis da Terra, ele perde seu contato com sua origem, sua fonte de energias, até que conscientize a sua “personalidade” (conjunto corpo-alma) e o espiritualize. O espírito é criativo, permanente buscando sua perfeição, sua elevação, atraindo as energias etéricas e se aprimorando por sua dedicação ao trabalho na Lei do Auxílio.
Por isso, além de sabermos ouvir a voz de nossa personalidade  quando sentimos fome, quando gostamos ou não de alguém – torna-se vital aprendermos a ouvir a voz de nossa individualidade – sintonizarmo-nos com o Universo, entrar em harmonia com os planos superiores. As exigências do corpo e da alma, quando não satisfeitas, causa pequenas dores; mas, quando não atendemos aos reclamos de nosso espírito, mergulhamos numa grande dor, a verdadeira dor. Sistema Nervoso – É o mecanismo intermediário entre o corpo físico, o mundo externo e o campo consciencional. 
O campo consciencional é a sede do “Eu”, esse algo individualizado, portador da Centelha Divina. A Centelha Divina é a parte do mecanismo de Homem que lhe possibilita a existência, proporcionando-lhe a reencarnação e a sustentando. Sem ela não existe a ligação entre o espírito, à alma e o corpo. Espírito – É uma partícula divina, com características próprias e o livre arbítrio para sua trajetória terrena, que lhe dá Individualidade, isto é, diferencia-s de outros por características, objetivos, tendências e preferências que são unicamente seus. Para retornar, para reintegrar-se no Todo Divino, precisa perder essas características, Desindividualizar-se, e por isso é obrigado a adaptar-se ao corpo físico, cujas manifestações se fazem através do processo sensorial de estímulo-resposta, chamado Alma.
O conjunto Corpo-Alma forma a Personalidade. Quantas pessoas encontramos, em nossa jornada, que são vazias, sem ideais, sem vontade de ajudar ao próximo, apegando-se ao que possuem e se entregando ao desespero se perdem algo, ou ficando apáticas, passando pela vida, mergulhados no egoísmo e na cobiça, no apego aos bens materiais, irrealizadas, sem viverem afetivamente. Normalmente essas “personalidades” refletem o que denominamos Espíritos Estacionados ou Espíritos Preguiçosos, que, na maioria dos casos, perdem a grande oportunidade que lhes foi oferecida pela reencarnação.
Em suas jornadas universais, os espíritos seguem uma lei universal que os caracterizam com homens ou mulheres. Só em casos especialíssimos é que há troca de sexo numa reencarnação. 
Ao reencarnar, no terceiro mês da gestação o espírito prende-se ao feto através da Fagulha Divina, energia que faz a ligação através do perispírito e vai recebendo todas as impregnações das características da vida levada por aquele ser humano, até que este desencarne. Então, a Fagulha Divina se transforma em Charme ou energia cármica e permanece junto ao local onde o corpo se desintegra. Sua manipulação irá depender de como aquele espírito seguiu sua evolução e aprendeu a usá-la na Lei do Auxílio.
Em seu desenvolvimento físico, o ser humano, geralmente após 14 anos, começa a melhor desenvolver o seu EU, que culmina, aos 21 anos, com sua plena consciência. É quando, nesse período, aprende a trabalhar sua Energia Física, produzida pelo corpo físico pelo mecanismo da mediunidade, liberando o que se chama ectoplasma ou fluido, energia essa que pode suavizar as dores e os sofrimentos, modificando até mesmo o carma quando usada na Lei do Auxílio.
Depois do sono cultural, o espírito é colocado no feto de três meses, e até que aquele ser complete 14 anos existe praticamente a informação do espírito pela manipulação das forças da Terra. A partir dos 14 anos, começa a receber a energia além-Terra, alterando-se as manipulações de seu Sol Interior. Surge uma nova energia, de contacto entre o conjunto psicofísico e o espírito: a Energia Mediúnica.
Eu começa a registrar os fatos de seu espírito com maior nitidez, indo seu aprimoramento até os 21 anos. Então, está apto a ouvir as vozes dos três reinos de sua natureza: a do corpo, a da alma e a do espírito. Se ele usar a força mediúnica a seu favor, poderá imprimir nova direção ao se destino cármico. Tudo irá depender de como usar as energias de seu espírito.
Pelo trabalho na Lei do Auxílio poderá tornar sua vida mais criativa e modificar seu carma, aplainando os buracos e evitando o desastre de desperdiçar sua reencarnação.
Humahã disse a nossa Mãe:
“No mais íntimo do ser humano, que é o plexo, existem energias latentes, forças poderosas que não são exploradas senão excepcionalmente. Com a intervenção destas forças podem ser curadas as doenças do corpo e do caráter, digo, doenças físicas e morais...” 
E sempre fomos advertidos para o perigo de não ouvirmos a voz de nosso espírito, que pode determinar nossa Morte em Dois Planos e que significa desaparecer eternamente, ser Desintegrado! Por tudo isso, devemos ter plana consciência dos cuidados que temos que ter com nossos plexos. Cuidar carinhosamente do corpo e refrear os desejos da alma, avivar nossa sensibilidade para que possamos ouvir a voz de nosso espírito, e usar, sempre que possível, nossas energias na Lei do Auxílio, buscando a sintonia com os planos elevados, tentando atingir o Amor Incondicional.
O Passe Magnético alivia o plexo, dele retirando as impregnações pesadas.
Salve Deus!

estrela_022.gif
PERISPÍRITO
Resultado de imagem para PERISPÍRITO

Salve Deus! Meu Filho Jaguar.
É um organismo homogênico, uma especie de película subcutânea, que desempenha as funções da vida psíquica em razão de sua sensibilidade extra-sensorial.
O perispírito carrega todas as funções psicossomáticas do ser humano, com uma vibração ampla, e molda todas as características da individualidade do Homem.
Embora o perispírito registre todas as nossas ações, não influencia o sistema nervoso.
Na vida absoluta do espaço existem todas as formas que consistem o organismo humano, mas nem sempre se põem em ação. Porém pela harmonia da CORRENTE MAGNÉTICA DO PERISPÍRITO, que mesmo seguro ao sistema nervoso do corpo, emite a sua alma e se põe em movimento, se atrai e se comunica. No movimento da alma a outras, se faz o perigo da volta. Sim, se esta não estivesse presa ao Magnético Vital nervoso do corpo. Este mesmo processo encontramos na manifestação da alma a outra, ou baixando sobre outro corpo que não o seu, porém, que emite carga magnética e faz harmonia, quebrando as barreiras do Nêutron.
Existem muitas formas de manifestação dessas almas, ou reencontros em planos diferentes, ou manifestações com diferentes magnéticos. Analisando a filosofia do perispírito, levando em consideração o centro de força, temos, a saber, que este é o mais poderoso, mais importante do corpo, tanto quanto no invólucro terrestre, quanto no invólucro astral. O perispírito esta sempre presente e não se inflama, não é tocado pelos desejos do corpo, como é o centro nervoso da carne. Os Hindus consideram o perispírito – ROSÁRIO DE PÉTALAS – por ser o mais significativo em razão de suas células.
Todos somos livres para obter do equilíbrio da razão, insinuando, às vezes, um falso comportamento, logo acusado pelo seu INTEROCEPTÍVEL. Sim, o interoceptível é a linha de comando da VIDA e da MORTE. Se o homem em toda a sua estrutura pudesse pesar somente para envolver os grandes espíritos... Nada, ninguém esta só. Cada criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Devemos ter a mente sempre segura. A mente enferma produz o constante desequilíbrio. Não constrói. Acontece, então, a desagregação das células do interoceptível, afastando o corpo físico, porque o corpo espiritual é que organiza e mantém o corpo humano. Contém as idéias, diretrizes, a estrutura, as funções biológicas e psicológicas dos vivos. É incrível as coisas que desagregam em virtude da mente conturbada. Este fenômeno de manter a individualidade, a conservação ou reprodução da alma, depende da disposição afetiva, caráter, gostos, inclinações elevadas com amor e raciocínio.
O AMOR tem suas três fases: O AMOR ESPIRITUAL, o AMOR CONDICIONAL, isto é, o amor equilibrado por um débito transcendental, amor pelas nossas vítimas do passado, vem então, o amor construtivo, que é o AMOR INCONDICIONAL, com tolerância, sem demagogia, que é a resignação. Sim, a resignação, a resignação não é evolução, muito pelo contrario, a alma resignada é uma alma recalcada.
O recalque é o sentimento dos que não tem capacidade de assimilar os seus conflitos, e vão enterrando dentro do seu próprio plexo ou de sua própria alma. Sabemos que tudo vibra e irradia, porque é força, luz e vida. Cada espírito se identifica na individualidade que o sustenta com seus fluídos. O Homem sempre sabe o que tem ao seu redor.
Falamos na manifestação dos espíritos. Falamos também, dos desencarnados e suas manifestações, porque é pela corrente magnética que o perispírito se comunica com a alma. 
Muitas vezes, eu, neste plano me assombro com certas manifestações, suas expansões junto à matéria, isto é, atingindo o sistema nervoso, na normalidade do todo emocional vibracional do Homem, em matéria e perispírito. 
Um grande ódio do sexo oposto traz terrível desajuste nos dois planos, principalmente em quem o projeta. No Homem se acentua uma complexidade de coisas, efeitos incomparáveis.
Porém, o mais terrível de todos é a vibração de pessoas irrealizadas. O fato é que existem muitos outros caminhos.
Quanto mais elevado o padrão do Homem nestes carreiros terrestres, mais original e perfeito vão se tornando as suas aberturas, que atingem os REINOS de toda natureza.
Tudo isto contribuindo para o aperfeiçoamento da memória, da percepção. Instintos que vão se adaptando às irradiações do extra-sensorial, na cota extra da humanidade, digo, em todas as partes de todos os REINOS DA NATUREZA.
Com carinho, a Mãe em Cristo.
Tia Neiva.


O perispírito é a sede da alma e carrega todas as funções psicossomáticas do ser humano, só que com uma vibração muito mais ampla, e molda todas as características da individualidade do Homem. Arquiva os pensamentos produzidos, preparando-os para se tornarem realidade conforme a intensidade de sua estruturação, e também arquiva as experiências vivenciadas, que alteram o modo de vida da pessoa.
Embora o perispírito registre todas as nossas ações, não influencia o sistema nervoso.
Quando se dá a concepção, aquele espírito que vai reencarnar inicia seu sono cultural, fase de desassimilação, onde toda a memória se apaga, e que se prolonga até o feto completar três meses, quando ele vai despertando à medida em que aperfeiçoa seus sentidos terrenos. 
É colocado em torno do corpo, sob a pele, razão pela qual é denominado perispírito, revestindo-se da mesma substância da alma, dela se diferenciando por ter uma herança transcendental, enquanto a alma tem, apenas, a herança de uma encarnação.
O espírito se prende ao corpo físico pela fagulha divina. A criança nasce e dá expansão aos seus sistemas sensoriais e começa a acumular informações, alimentando seu corpo e sua alma com a manipulação das forças telúricas. Traz toda a experiência e os mecanismos de defesa necessários à vida terrestre.
Com seu corpo preparado pela codificação genética impressa em seu perispírito - sua herança biológica – que lhe proporciona vacilações e conflitos originados por seus erros e má conduta em suas vidas passadas, o Homem inicia sua jornada, submetendo-se às leis da Terra, sob ação das forças do mundo psicofísico, e onde irá encontrar cobradores em seu redor, especialmente em seu próprio lar, e as dificuldades que fazem parte de suas provações aceitas no seu plano reencarnatório. 
Em sua mente e na sua consciência começarão a agir variadas forças, produzindo fenômenos de vibrações eletroquímicas que interagem com seus neurônios, provocando suas reações que irão refletir sua condição moral, afetiva e espiritual diante do seu carma. Recebe energias de suas origens, que só serão identificadas a partir do despertar de seu “Eu”  para a conscientização de seu espírito e efetivo resgate de seus erros do passado.
Assim, o Homem, liberto de suas formas animais, conquista sua autonomia, mas está contido por suas responsabilidades morais, por seus deveres e obrigações consigo mesmo e com a sociedade em que vive. Nasce, cresce, muda de um lugar para outro, faz amizades, vive paixões, chora, ri, ama, faz o bem ou o mal, resgata ou contrai dívidas transcendentais, agindo e reagindo dentro do livre arbítrio, de acordo com sua consciência e seus conhecimentos. 
Em seus encontros e desencontros, desde os atos mais simples aos mais importantes, está envolvido um complexo mecanismo que se modifica a cada momento, pela decisão que toma aquela pessoa. Se a decisão é correta, em harmonia com o planejado em seu plano reencarnatório, o resultado é bom, causando bem estar e conforto espiritual e mental; mas, se a decisão é errada, o Homem sofre angústias, tormentos e dores, experiências registradas no perispírito.
O espírito rompe o nêutron, indo buscar energia em seu plano evolutivo para se alimentar e, assim, também alimentar o Homem, embora sofra as influências da alma e do corpo. A maneira como ele recebe as decisões da alma é que determinam seu bom ou mau aproveitamento da situação de encarnado.
Aprisionado no perispírito, dentro da Lei de Causa e Efeito - o carma -, o espírito se evolui através de incontáveis testes e provas.
Após o desencarne, a alma e o perispírito formam o corpo astral.


Micro-plexo ou Alma

A alma – ou psique – é o princípio vital existente em todos os seres vivos, diferente essencialmente do corpo que anima, e fonte de todas as perfeições dos seres organizados, como princípio formal.
Na Doutrina do Amanhecer, a alma, também chamada de MICRO-PLEXO, é o microcosmo, ou seja, o princípio ativo, modelador, redutor, que determina o ESTAR do espírito. É ela  que modifica o estado de SER  para a situação de ESTAR desse mesmo espírito na situação do Homem encarnado.

É a barreira entre os vários planos vibratórios do Homem e o mantém na posição planejada e é ela que busca, pesquisa, informa e fornece elementos de decisão para o EU, ao mesmo tempo em que estabelece limites da movimentação do ser humano.
alma não pode existir sem o corpo, seja ele de natureza densa - na superfície da Terra - ou de natureza etérica - nos planos sutis da Terra.
A função do micro-plexo é absorver, assimilar e emitir energias em dois planos - o do espírito e o do corpo -, comandando a percepção e a comunicação do Homem. 
Uma alma é fabricada a cada encarnação, da mesma forma que o corpo. O espírito sempre existiu, e é sempre o mesmo em cada encarnação. A alma e o espírito se manifestam em nosso campo consciencional de formas totalmente diferentes, impossíveis de serem confundidas.
Enquanto o corpo - o plexo físico - é limitado no tempo e no espaço, pelas leis da matéria física, a alma age dentro de limites mais amplos no tempo e no espaço.
É a alma que vai em busca dos desejos, das satisfações e dos anseios, que emite e recebe vibrações, que influencia e é influenciada por outras mentes, que alimenta e é alimentada pela inteligência.
A mais importante de suas funções é receber os eflúvios do Plano Espiritual e levar a personalidade a agir de acordo com as leis transcendentes, de forma tão ampla e ilimitada que a faz confundir-se com o espírito.
 Quando a alma entra em sintonia com a individualidade é que encontramos nosso destino: entramos, tranquilos, na aceitação, tanto de nosso carma como de nossa missão, e recebemos os eflúvios celestes que nos elevarão em nossa jornada.


Eis o que disse Tia Neiva sobre a alma: 
Deus, criando os espíritos, não poderia lhes dar uma personalidade conscienciosa de si mesmo se não subdividisse sua força, seu plexo. A alma, no seu invólucro, sempre buscando algo, separadamente dos instintos do corpo, que se alimenta do clima atmosférico sólido de outra natureza. A alma dificilmente se realiza com os prazeres da Terra, ou melhor, com os prazeres do corpo físico. Tudo se torna claro, como é claro o que chamamos de MORTE, que é um nascimento em uma nova vida. É porque a alma permanece buscando sua verdadeira moradia, ou sua verdadeira origem, enquanto o corpo físico tem como tendência libertar seu comportamento religioso.” 
“Não entregues tua alma à fatalidade, que é a verdade infernal, possessão da fatalidade das almas enfraquecidas, sem fé em Deus. Estamos com duas espadas com que podemos nos defender. Filho, o segredo das Ciências Ocultas é o da Natureza mesmo! É o segredo da geração dos Grandes Iniciados e dos mundos de Deus, os grandes talismãs da Vida. A substância criada é chamada ATIVIDADE GERADORA  a manipulação do Fogo na mirra, no sal e no perfume.
“Na vida absoluta do espaço existem todas as formas que consistem o organismo humano. Mas nem sempre se põem em ação. Porém, pela harmonia da corrente magnética do perispírito, que mesmo seguro ao sistema nervoso do corpo emite a alma e se põe em movimento, se atrai e se comunica. No movimento da alma a outras se faz o perigo da volta. Sim, se ela não estivesse presa ao magnético vital nervoso do corpo. Este mesmo processo encontramos na manifestação de uma alma a outra, ou baixando sobre outro corpo que não o seu, porém que emite carga magnética e faz harmonia, quebrando as barreiras do nêutron. Existem muitas formas de manifestação dessas almas ou reencontros - em planos diferentes, ou manifestação com diferentes magnéticos.” 
A alma está ligada ao sistema nervoso do corpo. Não e possível animar o corpo se a alma está ausente. Se sua alma buscar objetivos distante da Doutrina, você não sentirá o calor dessa Doutrina.
Em mensagem de 15/01/1981, nossa Mãe advertiu:

“Filho, diminua os teus pensamentos e aumente mais os teus afazeres, para que, filho, tua alma atômica, vazia, não atue ao longe do teu objetivo, deixando o teu centro nervoso atravessar as grandes estradas e a grande ponte sozinho e, sozinho, comece a morrer...” 

Uma importante Ciência, trazida pelos Equitumans, obtinha grandes curas e vem sendo de grande valia para muitas tribos por toda a Terra, com a manipulação das forças da alma - o XAMANISMO .
Segundo o Mestre Tumuchy, “quando a alma entra em sintonia com a individualidade, significa que nós encontramos o nosso destino e entramos tranquilos na aceitação do nosso carma e da nossa missão. A partir daí, a água do Céu passa a jorrar em nossa vida eternamente... Jamais teremos sede!”


Na Doutrina do Amanhecer, segundo nos disse Koatay 108 em reunião de 09.09.80, a alma e o perispírito formam o espírito e são considerados como coisas de naturezas diferentes: a alma é o mecanismo psicológico, com sua base física no sistema nervoso, sendo formada, em cada encarnação, de acordo com sua respectiva programação.
Nossa alma sempre busca nossas necessidades, nossos anseios e nossos impulsos, agindo conjuntamente com o corpo físico na recepção e avaliação de fatos físicos - nossas sensações - e de fatos psicológicos - nossos sentimentos. É pela alma que o espírito agrega a inteligência, a energia mental e as sensações de uma existência na Terra, ao fim da qual carrega todo a bagagem para uma reencarnação.
Quando não são satisfeitas as necessidades da alma, surge a depressão, ocasionando a infelicidade e a insatisfação em graus cada vez mais profundos.
Por isso, é preciso estar atento ao que a alma pede! Uma boa hora é quando se vai deitar, à noite, e se faz um balanço do dia que termina. Mentalizar o que fizemos, o que queríamos fazer, o que não fizemos... Ao terminar esse balanço, procure, com os olhos fechados e a mente calma, sentir do que precisa sua alma.
Pode acontecer uma desintegração da alma quando ela se desprende do magnético vital. Isso não acontece com a alma que recebeu suas consagrações, porque, consagrada, a alma não se desprende do magnético vital do corpo. 
Quando o feto completa três meses de gestação, recebe o perispírito e a alma. A alma passa, então, a alimentar o feto com a energia vital. No desencarne, a alma deixa o corpo, ligada ao perispírito, que passa a ser o seu invólucro, atuando como o corpo fazia com o espírito, formando o corpo astral.
No Homem, quando a alma está fora, o perispírito comanda suas atividades vitais. São muitos os fatores que levam uma alma a sair do corpo, principalmente doenças, problemas, preocupações e vibrações. É fácil sair, para almas irresponsáveis, espíritos sem lei ou sem doutrina. Para estes casos, torna-se muito difícil o retorno.

Micro Plexo - Alma: a alma, o pequeno corpo, é posicionada em nosso corpo físico entre a cintura e a nuca. É a alma o corpo sanguíneo do Espírito... Se revela pelos nossos pensamentos, é quem recebe e emite as vibrações. É a alma a sede dos sentimentos, este Eu, o núcleo central das decisões. É na alma onde vive a minha individualidade transcendental, a emitir a minha personalidade transitória... 
Carta Plexos e Charme, Tia Neiva, sem data.
“Nós sabemos que o Homem é composto de corpo, alma e espíritoO corpo e a alma são instrumentos do espírito. Na verdade, nós separamos todos, pois há uma independência muito grande de cada um. 
O corpo é uma projeção do espírito, uma vez que é o espírito que fabrica seu corpo, de acordo com o tipo de carma por ele planejado. 
Da mesma forma, a alma é projetada segundo o espírito. O trabalho evolutivo do espírito é feito através do corpo e da alma. Assim, nós colocamos nosso corpo e nossa alma a serviço do espírito, através de nossas heranças. Assim, quando fazemos nossas emissões, estamos nos reportando a todas as vivências do nosso espírito, porque ele não pertence a este plano mas, sim, às nossas origens.” 
(Tia Neiva, s/d)

“A conservação ou reprodução da alma depende da disposição afetiva, do caráter, de gostos, inclinações elevadas como amor e raciocínio. É incrível as coisas que se desagregam em virtude da mente conturbada!” 

(Tia Neiva, s/d)
“Sabemos que o perispírito retém, guarda, conserva a modalidade adquirida durante a vida corpórea do ser.
Cada indivíduo imprime certa modificação à sua aura de conformidade, também, com suas necessidades, de como ou onde vai reencarnar.
Vem, então, dotado de sua força psíquica, quer em um quer noutro caso de reencarnação ou volta da alma à vida corpórea.

A força psíquica, quando chega a ser espírito humano - a alma -, tem necessariamente gravada no perispírito todas as qualidades distintas e caracterizadas, que são as condições absolutamente indispensáveis à manutenção da vida para cada um: mais timidez, mais audácia, tudo de conformidade à sua missão na Terra, porque a alma humana é o produto da evolução da força através do reino de sua natureza. 

O mundo é um hospital, onde a cura é a própria desobsessão, porque a energia extra-etérica é átomo que se revela na aura. 

Cada indivíduo concorre para o caráter do seu grupo, que se compõe de diversos graus, desde a variedade até a espécie. Apesar dos milhares de espíritos, tudo gera, se afina, na individualidade. Nascer, morrer, reencarnar... Progredir sempre, na sensação de fenômenos diversos, físicos, abalos fisiológicos, a comoção nervosa, a sua transformação no cérebro, o efeito, a reação orgânica de atração ou repulsa de emoções. 

Temos, assim, o conhecimento fisiológico denominado consciência, que se estabelece entre o EU e o NÃO-EU.. Cada indivíduo é um cenário diferente, porque age na individualidade. (...) A sede do amor está na alma. 

Cada criatura recebe de acordo com o que merece. 

No campo cerebral do corpo espiritual é que os conhecimentos se imprimem, em linhas fosforescentes.” 

(Tia Neiva, s/d)

“Pelo nosso supremo estágio da alma porque, na maioria, vivemos, oscilamos, duvidamos, entre a revolta muda e o murmúrio da submissão que as dúvidas nos causam. E ficamos no mais alto estado da mente e revoltamo-nos contra aquilo que a alma obedece, porque a canção do mar morre ao atingir a praia ou tocar no coração que a ouve.” 

(Tia Neiva, 19.10.78)-

“Faz-se preciso a maior concentração da alma sobre si mesma, a mais profunda introspeção, fazendo agir a percepção, nessa busca para encontrar os fatos, agindo à luz da razão em todos os campos psíquicos...” 

(Tia Neiva, 9.2.80)

“Sabemos que a alma tenta modificar o organismo através dos séculos. Em geral, a sensibilidade fluídica do ser é proporcional ao seu grau de pureza e de adiantamento moral. Nessa regra, vivemos no meio de uma multidão invisível que assiste, silenciosa, atenta, às mesquinharias de nossa existência. Participam, pelo pensamento, de nossos trabalhos, de nossas alegrias e de nossas penas. Lembre-se, filho, de que não é possível animar o corpo se a alma está ausente. Se sua alma busca as coisas distantes de sua Doutrina, não há calor para a Doutrina. Sim, filho, além do perispírito, que vive dentro do nosso corpo (centro nervoso), temos partículas do sistema fluídico, que vivem dentro de nós e que, na realidade, como antimatéria, nos sustentam e se transmutam pela alma. Estas partículas que adquirimos são a própria vida e nos dão todas as variedades de percepções sensoriais - calor e frio, se temos muitas partículas - e são, também, a ENERGIA dos rituais! Contudo, os materialistas grosseiros não acreditam nos mundos antimatéria. No entanto, até hoje ainda não conseguiram cortar ou queimar coisa alguma das que lhes incomodam. No entanto, a prece, o nosso canto, lhe faz sentir ou perceber uma presença explicada mais claramente!... O Homem vive a buscar a destruição do outro. Falta de visão! E teima em não aceitar, porém, que a sua vida é a sua antimatéria... Na realidade, vivemos a nos destruir!” 

(Tia Neiva, 14..81)

“Filho, diminua os teus pensamentos e aumente mais os teus afazeres, para que, filho, tua alma atômica, vazia, não atue ao longe do teu objetivo, deixando o teu centro nervoso atravessar as grandes estradas e a grande ponte sozinho e, sozinho, comece a morrer...” 

(Tia Neiva, 15.1.81)

“Tudo o que possuímos, pelo que somos pessoalmente responsáveis, é a nossa alma. E esta Lei, filho, é baseada no fato de que toda a matéria, todas as forças, os oceanos, a Terra, o Sol e a Lua; foram criados por Deus! Homem não pode criar ou destruir a matéria, nem pode criar ou destruir em vão.” 

(Tia Neiva, 19.9.80)

“Quando sentires as sombras do teu crepúsculo, de mansinho, se aproximarem de ti, e as últimas chamas de esperança num adeus partir, não cedas... Vibra na volúpia da saudade, vibra! É cedo! Encha de harmonia a tua taça... e, num gemido de amor, leve-a aos lábios - beba! Não é a final - beba! É a saudade do além - a tua alma, que, cheia de esperanças e de receios, vive no eterno a te esperar!... 

(Tia Neiva - Um Toque do Além - 24.5.80)

Deus, criando os espíritos, não poderia lhes dar uma personalidade conscienciosa de si mesmo se não subdividisse sua força, seu plexo. A alma, no seu invólucro, sempre buscando algo, separadamente dos instintos do corpo, que se alimenta do clima atmosférico sólido de outra natureza. A alma dificilmente se realiza com os prazeres da Terra, ou melhor, com os prazeres do corpo físico. Tudo se torna claro, como é claro o que chamamos de MORTE, que é um nascimento em uma nova vida. É porque a alma permanece buscando sua verdadeira moradia, ou sua verdadeira origem, enquanto o corpo físico tem como tendência libertar seu comportamento religioso.” 

(Tia Neiva - As Obrigações de um Adjunto - 17.5.78)

“Não entregues tua alma à fatalidade, que é a verdade infernal, possessão da fatalidade das almas enfraquecidas, sem fé em Deus. Estamos com duas espadas com que podemos nos defender. Filho, o segredo das Ciências Ocultas é o da Natureza mesmo! É o segredo da geração dos Grandes Iniciados e dos mundos de Deus, os grandes talismãs da Vida. A substância criada é chamada ATIVIDADE GERADORA - a manipulação do Fogo na mirra, no sal e no perfume. 

(Tia Neiva, s/d)
“Obedecendo, sempre, aos instintos dos outros plexos, buscando sempre seu mundo transcendental, o Homem conhece os mundos pela força de seus contatos em reencontros transcendentais do seu microcosmo ou micro-plexo. A possibilidade de um conhecimento místico da justa aspiração, do direito legítimo e de suas necessidades, pelos reencontros, penetram e desabrocham os anseios de sua alma. O Homem não tem forças para construir um roteiro filosófico, isto é, mesmo uma teoria, digo sim, algo que busque além de seus rudes pensamentos, além do alcance de seus olhos físicos, para descobrir os segredos ocultos da própria alma, que é o micro-plexo. Descobrir os segredos ocultos existenciais, se desenvolver, conhecer os enigmas das lendas, na certeza de que tudo vive em Deus, existe, e se relaciona através dos grandes recursos da Alma. A consciência é o peso indefinido do inconsciente ao consciente. Quando sentir o peso da consciência, arraigue-se ao seu inconsciente, busque algo que pese na sua consciência e a desperte. O Homem que passa despercebido dos anseios de sua alma, não se envolve e não se preza. É, como disse o grande Victor Hugo, um espectador, não é Homem; passou pela vida e não viveu!” 
(Tia Neiva, 26. 4.80)
“Quando dormimos, os três reinos de nossa natureza, na sua totalidade, ficam para atender às exigências do corpo. De vez em quando, nossa alma sai a vaguear e, conforme sua mediunidade, chega a demorar-se fora do corpo. Passeia, vai longe, e adquire ilustrações, muitas vezes em busca da cura do próprio corpo físico.” 
(Tia Neiva, s/d, 1984)
“O corpo físico é ornamentado pela herança transcendental, que é o charme. Quando fazemos consagrações estamos justamente buscando nossas heranças. (...)
Quero lembrar-lhe que nem toda força que se desagrega é tudo de bom, como acontece em nossos plexos. Existem em nós forças em pontos vitais que quando se desagregam é tudo de mal!
Lembre-se do interoceptível e as forças incríveis que se desagregam quando nos desequilibramos. Nem preciso explicar: é tudo de mal! Como espíritos encarnados somos corpo físico, alma e perispírito. (...)
A alma, o micro-plexo, pequeno corpo posicionado no corpo físico entre a cintura e a nuca, é o corpo sanguíneo do espírito. Revela-se por nossos pensamentos, é por onde recebemos e emitimos vibrações, é a sede de nossos sentimentos. O núcleo central de nossas decisões está na alma, onde vive nossa individualidade transcendental, emitindo nossa personalidade transitória. (...)
Analisamos agora, com mais profundidade, o plexo físico, o micro-plexo e o macro-plexo como se fossem três formas de vidas diferentes e separadas. Porém, não devemos nos esquecer que os três ESTÃO UM! 
É como, por exemplo, o átomo que, formado pelo ânion, pelo cation e pelo nêutron, quando é atingido um objeto não são atingidos o ânion, o cation ou o nêutron separadamente, mas sim o átomo, por ser impossível separá-los.
O ectolítero fica entre os três plexos. É o Sol Interior que emite para os plexos. (...)
O espírito humano, só o espírito em sua condição de encarnado, é simplesmente um espírito revestido por um corpo físico, com sua força subdividida pelo plexo físico e pelo micro-plexo, e que, ao desencarnar, simplesmente se liberta do corpo, seguindo o curso natural de sua evolução.
Quando o espírito desencarna, fica o plexo físico. Desprendem-se o micro-plexo e o macro-plexo, que vão se apurando, apurando, até que o espírito se torna divino e conquista o terceiro plexo: Pai, Filho e Espírito Santo - Santíssima Trindade ou Chave do Verbo Divino! Falamos aqui no espírito fora da matéria, em sua vida além física."
Salve Deus! (Tia Neiva, 3.6.84)
estrela_022.gif
Tia Neiva, ensinou que:

" ... Essa forma é Deus, é energia luminosa em ação e reação,é o invólucro do corpo,uma forma inorgânica sensível. Sua espécie é dolorosa. É o perispírito que projeta a nossa roupagem ou indumentária. Por um conjunto de atrações provocadas e convergidas pela mente,esta, pelo pensamento, emite impulsos ao perispírito que molda, cria a sua roupagem, e isto acontece mesmo no caso de um espírito sofredor, que tem seu perispírito apagado tanto no invólucro terrestre como no invólucro astral. Temos que saber que o perispírito é o mais importante, o mais poderoso plexo. Não é tocado por nossos desejos, está sempre presente e não se inflama. É o mais significativo em razão de suas células. É o perispírito que emite a alma e, independentemente dela, se movimenta,atrai,comunica. É o perispírito que retém,guarda,conserva a modalidade adquirida durante nossa vida na Terra. O perispírito é a sede da evolução,ou seja, no perispírito fica o registro da evolução do espírito.(...) O espirito humano, ou o espirito em sua condição de encarnado, é simplesmente um espirito revestido por um corpo físico, com sua força subdividida pelo plexo físico e pelo micro-plexo, e que, ao desencarnar, simplesmente se libera do corpo, seguindo o curso natural de sua evolução. Quando o espirito desencarna, fica o plexo físico. Desprendem-se o micro-plexo e o macro-plexo, que vão se apurando, apurando, até que o espirito se torna divino e conquista o terceiro plexo: Pai, Filho e Espirito Santo - Santíssima Trindade ou Chave do Verbo Divino! Falamos aqui no espirito fora da matéria, em sua vida além física, Salve Deus !" 
( TIA NEIVA, 3.6.84)
O perispírito e suas modelações

Imagem relacionadaComo será o tecido sutil da espiritual roupagem que o homem envergará, sem o corpo de carne, além da morte?
Tão arrojada é a tentativa de transmitir informes sobre a questão aos companheiros encarnado, quão difícil se faria esclarecer à lagarta com respeito ao que será ela depois de vencer a inércia da crisálida.
Colado ao chão ou à folhagem, arrastando-se, pesadamente, o inseto não desconfia que transporta consigo os germes das próprias asas.
O perispírito é, ainda, corpo organizado que, representando o molde fundamental da existência para o homem, subsiste, além do sepulcro, demorando-se na região que lhe é própria, de conformidade com o seu peso específico.
Formado por substâncias químicas que transcendem a série estequiogenética conhecida até agora pela ciência terrena, é aparelhagem de matéria rarefeita, alterando-se, de acordo com o padrão vibratório do campo interno.
Organismo delicado, com extremo poder plástico, modifica-se sob o comando do pensamento.
É necessário, porém, acentuar que o poder apenas existe onde prevaleçam a agilidade e a habilitação que só a experiência consegue conferir.
Nas mentes primitivas, ignorantes e ociosas, semelhante vestimenta se caracteriza pela feição pastosa, verdadeira continuação do corpo físico, ainda animalizado ou enfermiço.
O progresso mental é o grande doador de renovação ao equipamento do espírito em qualquer plano de evolução.
Note-se, contudo, que não nos reportamos aqui ao aperfeiçoamento interior.
O crescimento intelectual, com intensa capacidade de ação, pode pertencer a inteligências perversas.
Daí a razão de encontrarmos, em grande número, compactas falanges de entidades libertas dos laços fisiológicos, operando nos círculos da perturbação e da crueldade, com admiráveis recursos de modificação nos aspectos em que se exprimem.
Não possuem meios para a ascese imediata, mas dispõem de elementos para dominar no ambiente em que se equilibram.
Não adquiriram, ainda, a verticalidade do Amor que se eleva aos santuários divinos, na conquista da própria sublimação, mas já se iniciaram na horizontalidade da Ciência com que influenciam aqueles que, de algum modo, ainda lhes partilham a posição espiritual.
Os “anjos caídos” não passam de grandes gênios intelectualizados com estreita capacidade de sentir.
Apaixonados, guardam a faculdade de alterar a expressão que lhes é própria, fascinando e vampirizando nos reinos inferiores da natureza.
Entretanto, nada foge à transformação e tudo se ajusta, dentro do Universo,  para o geral aproveitamento da vida.
A ignorância dormente é acordada e aguilhoada pela ignorância desperta.
A bondade incipiente é estimulada pela bondade maior.
O perispírito, quanto à forma somática, obedece a leis de gravidade, no plano a que se afina.
Nossos impulsos, emoções, paixões e virtudes nele se expressam fielmente.
Por isso mesmo, durante séculos e séculos nos demoraremos nas esferas da luta carnal ou nas regiões que lhes são fronteiriças, purificando a nossa indumentária e embelezando-a, a fim de preparar, segundo o ensinamento de Jesus, a nossa veste nupcial para o banquete do serviço divino.
Emmanuel
“Roteiro” – Psicografia de Francisco Cândido Xavier
Postado por O MENSAGEIRO DA PAZ


Imagem relacionada

Ectolítero, Ectolítrio e 
Interoceptível

O Centro Coronário tem os três reinos de nossa natureza como se fosse esfera sobre esfera, e, separando uma da outra, está uma película, o Ectolítrio. No desencarne, o ectolítrio permanece com as energias de tudo que se fez. O ectolítrio e o ectolítero se juntam e provocam a contração das células; pela ectopia ou emissão, dispõem do ectoplasma.
Interoceptível – Segundo nossa Mãe:
“Todos somos livres para obter a força do equilíbrio da razão, insinuando, à vezes, um falso comportamento, logo acusado pelo seu INTEROCEPTÍVEL. Sim, o Interoceptível é a linha de comando da vida e da morte! Se o Homem, em toda a sua estrutura, pudesse pesar somente para envolver os grandes espíritos... Nada, ninguém está só. Cada criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Devemos ter a mente sempre segura. A mente enferma produz o constante desequilíbrio. Não constrói. Acontece, então, a desagregação das células do Interoceptível, afetando o corpo físico, porque o corpo espiritual é quem organiza e mantém o corpo humano. Contém as idéias, diretrizes, a estrutura, as funções biológicas e psicológicas dos vivos. É incrível as coisas que se desagregam em virtude da mente conturbada. Este fenômeno de manter a individualidade - a conservação ou reprodução da alma - depende da disposição afetiva, caráter, gostos, inclinações elevadas com amor e raciocínio.”
Interoceptível é o volante do equilíbrio do ser humano. A nossa cabeça é por onde as coisas vem para nós. Nosso cérebro é regido por duas partes: o lado direito, o Jeovah Branco ou positivo, o chakra da Vida; e o lado esquerdo, o Jeovah Preto ou negativo, o chakra da Morte.
A energia entra por um lado e sai pelo outro. A mão esquerda é de descarga: nós recebemos pela direita e soltamos pela esquerda. Para conservar sua energia, você fecha a mão esquerda. Para tirar uma carga de um paciente, você aplica a mão direita aberta, conservando a esquerda também aberta, para circular à energia. Se quiser conservar energia, abra a mão direita e feche a esquerda. A força vem em forma de cone, e penetra no chakra coronário (no alto da cabeça), dividindo-se em duas: uma positiva e outra negativa. Descem pela coluna vertebral e vão atingir o Sol Interior, recebendo, neste trajeto, a influencia de três fontes diferentes: uma impregnada pela energia vital; outra pela energia anímica e outra impregnada pela energia do espírito. Todas influem no ectolítrio, que gera o ectoplasma no sistema ecolítero. Se você está mal, insatisfeito, com uma dor qualquer, fica impregnado com essa energia ruim, que vai afetar o ectolítrio, prejudicado o ectoplasma. Mas sua vibração elevada produz uma transformação celular, energizando o ectoplasma e tornando-o capaz de curas incríveis. Se estivermos desanimados, negativos quando fizermos uma evocação, vamos receber energias negativas. Por isso, é preciso estar vigilante para não deixar cair o padrão vibratório, desequilibrando a Linha da Vida. A recepção no Interoceptível é controlada pela curvatura das mãos. Os dois braços levantados funcionam como guias que jogam o feixe de energia para dentro de nosso chakra coronário. Se recebermos toda essa força mas com pensamentos contrário se com nossa alma a vaguear, entramos em desequilíbrio e não podemos conseguir bons resultados no trabalho.
Por isso, em carta de 09/04/1978, nos alertou nossa Mãe:
“Estamos preparados, cheios de forças e energias, para a execução perfeita dessa tarefa doutrinária, para o ajustamento das mentes e a perfeita harmonia do nosso Universo. Vamos manter o nosso padrão vibracional elevado e equilibrada a nossa mente para podermos irradiar a tranqüilidade e a paz, e, com o poder do osso espírito, possamos curar e iluminar a todos. Cultive em seu coração o amor, a alegria, o entusiasmo, para que, em todas as horas, esteja pronto a emanar e a servir na Lei do Auxílio. Pai Seta Branca diz que “a humildade e a perseverança de vossos espíritos conduziram-me ao mais alto pedestal de força básica que realizou esta corporação.” Mais uma vez você, com seu esforço, amor e humildade, encheu de mais alegria o coração de nosso Pai tão querido.
A Energia do Templo – Templo é dividido por uma linha imaginária, que parte da estátua de Pai Seta Branca e termina na parte traseira do anteparo da entrada. Ao ser aberta, a Corrente Mestre forma como que um grande pêndulo luminoso, uma trança luminosa, que oscila da Pira até Pai Seta Branca e da Pira até a entrada, convergindo para a Mesa Evangélica. Além dessa projeção horizontal, as linhas de forças percorrem o Templo de cima para baixo, como colunas de luz, e se movimentam da esquerda para direita da entrada. Os dosséis de tule servem como depósitos de energia.
Forças – O corpo elabora a energia física, a alma a energia psíquica e o espírito a energia espiritual. Para podermos aproveitar esse potencial, em benefício nosso ou de alguém, precisamos aprender a usar essas energias, transformando-as em força, com a preocupação de saber manejá-las. Estamos sempre sujeitos a um grande conjunto de forças, umas internas, próprias de cada um, e outras externas, que nos chegam através dos chakras. Para isso, vamos completar nossa ideia de energia e força: a água do lago é colocada em um cano. Bem, se ninguém coloca uma abertura no cano, para usar aquela água, ela fica inerte, isso é, sem utilização. A força existe mas não está sendo utilizada. Se colocarmos uma torneira e usarmos a água, a força se movimenta. Se vamos encher um balde, sabemos usar a quantidade necessária a obter esse resultado. Se descuidarmos, a água enche o balde, transborda e causa transtornos: Assim, é preciso aprender a movimentar as forças. Mas dosá-las de acordo com o resultado a ser alcançado. Vamos nos, conscientizar de que todo estímulo é resultado de um movimento energético – todo estímulo é uma força. Nossas atitudes, comandadas por nossos conceitos e preconceitos, direcionam as forças que recebemos ou emitimos. Nossa Mãe nos ensinou, em carta de 05/03/1979:


O INTEROCEPTÍVEL

Muito se fala sobre interoceptível, mas poucas vezes encontrei algum médium que realmente tenha compreendido do que se trata. Estes dias um leitor observou o termo postado em uma carta de Tia Neiva, que acompanhou o primeiro texto sobre as emissões, e questionou-me sobre o assunto. De modo que creio que é o momento de desmistificar a palavra e traduzi-la para a compreensão da maioria.
Interoceptível é um mecanismo bio-espiritual de equilíbrio de forças. Está complicado?
Vamos simplificar mais então!
Primeiro é necessário entender a diferença entre energias e forças, termos distintos, mas muitas vezes empregados como sinônimos.
As forças nos chegam ao abrirmos nosso canal de emissão. Chega pura da espiritualidade, cabendo a nós, ao unir-la a nossa mediunidade, transmutá-la em energia positiva. A força é neutra, não tem uma carga positiva ou negativa, por isso usei o termo “pura”.
Ao emitirmos, partimos em busca das forças para realização dos trabalhos.
O Médium passa por todos estes preparos e se envolve em toda uma ritualística, para que possa colocar-se em condições elevadas de padrão vibratório, e assim transformar estas forças em energia positiva, apropriadas para a Cura Desobsessiva.
Assim entendemos que Energia, na verdade, a força já em condições de realizar Trabalho.
Interoceptível é um centro de equilíbrio de forças que serão revertidas em energia. É o mecanismo através do qual as forças que recebemos por meio de nossos chackras “da Vida e da Morte” serão equilibradas e convertidas em energia positiva ou, negativa...
As forças nos chegam pelos dois chakras o da Vida e o da Morte (Jeovah Branco - a Vida - e do Jeovah  Negro - a Morte), situados em nossas têmporas direita e esquerda, respectivamente, passando pelo Interoceptível, onde são equacionadas de forma que possam servir ao Trabalho MediúnicoVeja que estou abordando a questão sob um aspecto claramente mediúnico, e sob a visão de nossa Doutrina, que não se restringe aos famosos “7 chackras”.
O Interoceptível é o fator de equilíbrio do ser humano e, especialmente, do médium.
A energia chega pelos dois chakras - o da Vida e o da Morte, situados em nossas têmporas direita e esquerda, respectivamente, e é dosada pelo Interoceptível, que liga esses dois chakras aos demais chakras e aos centros nervosos, sendo mesclada à corrente mediúnica.
O Interoceptível deve manter as forças do Jeovah Branco - a Vida - e do Jeovah Negro - a Morte - em perfeito equilíbrio, como um líquido dentro de um tubo de nível. Jeovah Branco é o poder da Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo, voltado para o Bem, para o auxílio, em qualquer nível, de nossos irmãos encarnados e desencarnados, que se manifesta no médium equilibrado e dentro da correta conduta doutrinária. Jeovah Negro é o poder das Trevas, da Morte, que se manifesta envolvendo todo o potencial do médium, levando-o a desatinos e ações maléficas, propiciando desastres que podem comprometer não só aquela reencarnação, mas, também, determinando o leilão  daquele espírito ou até mesmo sua desintegração.
Pela má conduta e pelos maus pensamentos, a força de equilíbrio do Interoceptível se desfaz, levando aquele espírito a de transformar em eficiente instrumento das Trevas pela discórdia e desarmonia que gera ao seu redor.
Quando estamos com padrão elevado, dentro da conduta doutrinária, trabalhando com amor, a Linha da Vida está atuante. Se deixamos nos levar pelos maus pensamentos e vibrações, fazendo julgamentos e saindo de uma conduta correta, a Linha da Vida se desequilibra, aumentando o nível da energia proveniente do Jeovah Negro - o chakra da Morte.
Quando o médium se ioniza com o perfume, molhando esses dois chakras com os dedos, na realidade está ampliando a capacidade de recepção desses vórtices, ao mesmo tempo protegendo-os. Após molhar os chakras, abre os braços e emite:
“Ó, Simiromba, meu Pai, me consagre e me ionize de todo e qualquer mal!”
“Todos somos livres para obter a força do equilíbrio da razão, insinuando, à vezes, um falso comportamento, logo acusado pelo seu INTEROCEPTÍVEL.
Sim, o Interoceptível é a linha de comando da vida e da morte!
Se o Homem, em toda a sua estrutura, pudesse pensar somente para envolver os grandes espíritos...
Nada, ninguém está só.
Cada criatura recebe de acordo com aquilo que dá.
Devemos ter a mente sempre segura. A mente enferma produz o constante desequilíbrio. Não constrói. Acontece, então, a desagregação das células do Interoceptível, afetando o corpo físico, porque o corpo espiritual é quem organiza e mantém o corpo humano. Contém as idéias, diretrizes, a estrutura, as funções biológicas e psicológicas dos vivos.
É incrível as coisas que se desagregam em virtude da mente conturbada.
Este fenômeno de manter a individualidade - a conservação ou reprodução da alma - depende da disposição afetiva, caráter, gostos, inclinações elevadas com amor e raciocínio.” 
(Tia Neiva, s/d)
“Sim, filho, o desenvolvido recebe sua emissão.
Emissão é um canal na linha horizontal, que capta as forças que atravessam o nêutron.
O médium desenvolvido é responsável por dois canais de emissão que se cruzam e estão ligados em seu Interoceptível, formado o seu equilíbrio na conduta doutrinária.(...)
Sim, o Interoceptível é como uma balança, cujo fiel é nossa cabeça. Pesando só terra, entra em desequilíbrio!” 
(Tia Neiva, 8.4.79)
“O corpo físico é ornamentado pela herança transcendental, que é o charme.
Quando fazemos consagrações estamos justamente buscando nossas heranças. (...)
Quero lembrar-lhe que nem toda força que se desagrega é tudo de bom, como acontece em nossos plexos.
Existem em nós forças em pontos vitais que quando se desagregam é tudo de mal!
Lembre-se do interoceptível e as forças incríveis que se desagregam quando nós nos desequilibramos. Nem preciso explicar: é tudo de mal!” 
(Tia Neiva, 3.6.84)

ECTOPLASMA



O ectoplasma - ou fluído magnético animal - é produzido no organismo, sendo variável em teor e em quantidade conforme as metas cármicas ou programas do espírito na Terra. É universal, porque todas as pessoas - espíritos encarnados - o produzem, constituindo-se na base do padrão vibratório e da manifestação mediúnica.
De acordo com sua carga natural, dependendo das condições de seu 
Sol Interior , o ectolítero proporciona ectolítrio em níveis variáveis, influenciando a ectopia, a emissão do ectoplasma.
Quando equilibrado o
Sol Interior, o médium tem plena capacidade de emitir seu ectoplasma portador de várias energias benéficas, seja um
Apará ou um
Doutrinador, sentindo-se realizado em sua jornada.

Numa incorporação, as entidades manipulam aquele
ectoplasma do
Apará; no caso do
Doutrinador, quando este faz uma doutrina para um sofredor ou um cobrador, quando emite dentro de uma Lei de trabalho, está emitindo seu
ectoplasma.
Como fator de equilíbrio da energia mediúnica, o ectoplasma precisa ser sempre renovado. E isso se consegue pela atividade na
Lei do Auxílio. Aquele que não dá vazão à carga ectoplasmática, tanto pela não integração em qualquer linha de trabalho espiritual, pela não aceitação de usar sua capacidade mediúnica, como também aquele que se afasta do trabalho mediúnico por muito tempo, fica sujeito ao acúmulo desta energia, gerando desequilíbrios e sérias insatisfações, bem como distúrbios neurológicos e doenças físicas graves.

Pelo trabalho no
Sistema Crístico, o médium mantém o equilíbrio de sua concentração ectoplasmática e supera muitos problemas que seu programa cármico lhe reservaria.

Todos nós, encarnados, em determinada fase de nossas vidas, após termos completado o desenvolvimento físico, chegamos ao início da produção ectoplasmática. É uma fase marcada pela inquietação, desassossego, pelos questionamentos, interrogações, as dores, as irrealizações, as insatisfações e as dúvidas. O maior ou menor grau desses inconvenientes variam de pessoa para pessoa, de acordo com suas respectivas capacidades para gerar
ectoplasma.
A maioria das religiões, através de seus rituais, oferecem condições para a emissão do ectoplasma, mas em pequenas quantidades por força de dogmas e preconceitos que abafam a maior parte das manifestações individuais.

Assim, aquela que seria uma via de vazão para a energia mediúnica se transforma em outro fator de frustração para o médium de média a alta capacidade de produção de
ectoplasma.
Tudo isso decorre da confusão que se faz entre a alma transitória e o espírito transcendental, o que não ocorre na
Doutrina do Amanhecer. Aqui apenas é adotado o desenvolvimento natural da capacidade mediúnica de cada um, proporcionando-lhe condições para que possa controlar suas forças e energias, disciplinado-as suavemente para que possam fluir pelos canais próprios, beneficiando o médium, trazendo-lhe tranqüilidade e paz, e, o que é mais importante, o conhecimento de todo este complexo sistema, sensível à percepção sensorial e extra-sensorial.

Aprendendo a manipular seu
ectoplasma, o médium se purifica, se ilumina, se torna mais sutil e, pela maior 
vibracidade (intensidade vibratória), vai alcançando mais fina sintonia com os planos espirituais, tornando sua alma mais receptiva às influências de seu espírito. A purificação de sua energia mediúnica abre, pela ação do ectolítrio, a sua percepção e proporciona o melhor funcionamento dos chakras .
O ectoplasma é o portador das energias emitidas pelo médium. Não é o seu canal de vibrações, mas sim das energias e forças efetivamente produzidas de acordo com as condições do
Sol Interior do médium.

ECTOLÍTRIO  E O ECTOPLASMA


Ecolítero
O ectolítero é uma membrana energética que envolve e separa as três esferas do Sol Interior  e onde tem origem o ectolítrio. Quando a pessoa desencarna, o ectolítero permanece com as energias resultantes das ações que foram praticadas por aquele espírito enquanto encarnado, contendo o charme
Ecolítrio
Ectolítrio é a energia que se forma no ectolítero, desprende-se do Sol Interior e faz uma trajetória muito rápida, mas intensa, por todos os principais chakras, energizando-os e emitindo o padrão vibratório da pessoa. É uma espécie de Kundalini , só que não fica adormecida e, sim, em permanente ação, porém tendo sua natureza e intensidade dependendo do equilíbrio e energização do Sol Interior.
Ectoplasma
Cada célula do ser vivo contém imensa variedade de características vitais e vibracionais, organizacionais no todo ou em partes específicas, que dependem das condições física, mental e vibracional do indivíduo.
O citoplasma corresponde à massa da célula, excluído o núcleo e a membrana, e é a região da célula onde se realiza a maioria das sínteses e das degradações bioquímicas que são próprias da atividade celular. É constituído por uma matriz com certa fluidez, percorrida por correntes líquidas que transportam lentamente várias categorias de inclusões celulares, sendo sua superfície exterior denominada ectoplasma.
Com o desenvolvimento dos estudos do Espiritualismo e da Parapsicologia, foi identificado um fenômeno de variadas intensidades que é desprendido pelo médium, de forma visível, e que é utilizado para diversas manifestações fenomênicas, que vão desde as mais simples até às materializações. Por entenderem que havia semelhança com as funções exercidas no citoplasma, essa ocorrência foi denominada como ectoplasma - ou fluído magnético animal.
ectoplasma é produzido no organismo, sendo variável em teor, em qualidade e volume conforme as condições proporcionadas pelo indivíduo segundo as metas cármicas ou programas do seu espírito na Terra. É universal, porque todas as pessoas - espíritos encarnados - o produzem, constituindo-se na base do padrão vibratório e da manifestação mediúnica. Podemos até mesmo dizer que a finalidade principal da missão do espírito encarnado é a de fornecer, da forma mais purificada possível, o ectoplasma animal para uso da Espiritualidade. De acordo com sua carga natural, o médium pode manipular, pelo ectoplasma, quando equilibrado, diversos tipos de energia: se apará, as do Povo das Águas, dos Pretos Velhos e dos Caboclos, sendo que uma é predominante, que será a do seu Mentor, ou seja, seu Guia Principal; se doutrinador, as de sua Princesa. Caso um médium esteja fora do seu programa reencarnatório, a concentração da energia mediúnica, pela produção e não utilização do ectoplasma, gera insatisfações, distúrbios neurológicos e até doenças físicas graves. Também a Ninfa ou Mestre que se afasta muito tempo dos trabalhos espirituais, sofre as conseqüências de um nível muito alto de concentração ectoplasmática.
Segundo nos ensinou nossa Mãe Clarividente:
“Venho demonstrando - e tenho certeza de havê-lo feito rigorosamente - a evolução da força, desde a polarização que produz às afinidades, congregadas e transfundidas, que constituem a força vital ou biogênica, que se desdobra ao assumir sua atividade na motricidade da sensitividade, cuja força cria no reino vegetal, fortalecendo o reino animal, e que também manipula o ectolítero para ectolítrio, energia que, depois de manipulada, se desprende do plexo e se faz ectoplasma.
ectoplasma é uma energia fluídica, de corpos fluídicos que podem materializar e só se ilumina pela concentração ou pelo ritual qualquer do condutor.” 
(Tia Neiva, s/d)

Isso é conseqüência natural da evolução de cada um de nós. Renascemos para nos corrigir, para buscar ampliação dos nossos conhecimentos, para equilibrar nossos sentimentos e para aprendermos a caminhar nos caminhos do Bem. Dependendo das nossas condições vibracionais, vamos emitindo nosso ectoplasma de forma cada vez melhor, mais refinado e ativo.
Todos nós, encarnados, em determinada fase de nossas vidas, após termos completado o desenvolvimento físico, chegamos à necessidade de aprimorar nossa capacidade de produção ectoplasmática. É uma fase marcada pela inquietação, desassossego, pelos questionamentos, interrogações, as dores, as irrealizações, as insatisfações e as dúvidas. O maior ou menor grau desses inconvenientes variam de pessoa para pessoa, de acordo com suas condições para gerar ectoplasma e, com o progressivo desenvolvimento mediúnico, conseguem alcançar um nível de equilíbrio satisfatório.
Na atualidade encontramos essa situação até mesmo em crianças, o que indica a atenção que devemos ter na avaliação dos fenômenos mediúnicos para evitar muitos sofrimentos desnecessários.
De acordo com sua carga natural, dependendo das condições de seu Sol Interior, o ectolítero proporciona ectolítrio em natureza e níveis variáveis, influenciando a ectopia, a emissão do ectoplasma.
Quando equilibrado o Sol Interior, o médium tem plena capacidade de emitir seu ectoplasma portador de várias energias benéficas, seja um Apará ou um Doutrinador, sentindo-se realizado em sua jornada.
No caso de uma incorporação, as entidades manipulam o ectoplasma do Apará, que vai permitir a presença de um espírito – de Luz ou sofredor – de acordo com a natureza do ectoplasma animal emitido pelo médium. Essa condição que determina a maior ou menor facilidade de manipulação das entidades, da sua expressão e da manifestação de sua hierarquia. Verificamos isso nas muitas situações em que vemos Aparás simples, modestos, com vida material difícil, tendo a manifestação de uma entidade de elevada hierarquia. E é esse também o motivo da necessidade das culturas de ninfas e mestres para a incorporação de Pai Seta Branca ou de um Ministro, quando se processa o refinamento do ectoplasma por eles produzido.
Quanto ao Doutrinador, ele emite seu ectoplasma animal enquanto faz sua doutrina para um sofredor ou um cobrador, também quando participa de um trabalho, em qualquer posição, sempre de acordo com sua situação vibracional, colaborando com as forças da Espiritualidade nos diferentes níveis das manipulações.
Esse fator do ectoplasma explica o que Tia Neiva nos disse sobre a força dos nossos trabalhos. Quando nos afirmou que Deus não pára a guerra mas que a Cabala pode parar uma guerra, esclareceu que somente com o ectoplasma animal que nossa participação, em uma Unificação, levaria à Cabala, a Espiritualidade teria como agir em benefício de um conflito. E isso foi comprovado em várias crises internacionais, como na Guerra das Malvinas e, mais recentemente, no confronto do Líbano com Israel, em que a paz foi feita em seguida a uma Unificação realizada por nós, Jaguares.
Também, no caso recente da queda do avião em que morreram 154 pessoas, a Espiritualidade pediu que fizéssemos um trabalho para ajudar aqueles espíritos que, ainda atordoados pelo súbito desencarne, estavam presos naquele local amplamente divulgado pela mídia. Aproveitamos uma Contagem no Templo, num sábado, e com a emissão conjunta dos numerosos médiuns, orientados para aquela situação, forneceu-se o magnético animal que a Espiritualidade precisou para aqueles encaminhamentos.
Como fator de equilíbrio da energia mediúnica, o ectoplasma precisa ser sempre renovado. E isso se consegue pela atividade na Lei do Auxílio. Aquele que não dá vazão à carga ectoplasmática, tanto pela não integração em qualquer linha de trabalho espiritual, pela não aceitação de usar sua capacidade mediúnica, como também aquele que se afasta do trabalho mediúnico por muito tempo, fica sujeito ao acúmulo desta energia, gerando desequilíbrios e sérias insatisfações, bem como distúrbios neurológicos e doenças físicas graves.
Pelo trabalho no Sistema Crístico, o médium mantém o equilíbrio de sua concentração ectoplasmática e supera muitos problemas que seu programa cármico lhe reservaria.
A maioria das religiões, através de seus rituais, oferecem condições para a emissão do ectoplasma, mas em pequenas quantidades por força de dogmas e preconceitos que abafam a maior parte das manifestações individuais.
Assim, aquela que seria uma via de vazão para a energia mediúnica se transforma em outro fator de frustração para o Médium de média a alta capacidade de produção de ectoplasma.
Tudo isso decorre da confusão que se faz entre a alma transitória e o espírito transcendental, o que não ocorre na Doutrina do Amanhecer. Aqui apenas é adotado o desenvolvimento natural da capacidade mediúnica de cada um, proporcionando-lhe condições para que possa controlar suas forças e energias, disciplinado-as suavemente para que possam fluir pelos canais próprios, beneficiando o Médium, trazendo-lhe tranqüilidade e paz, e, o que é mais importante, o conhecimento de todo este complexo sistema, sensível à percepção sensorial e extra-sensorial.
Aprendendo a manipular e a refinar seu ectoplasma, o Médium se purifica, se ilumina, se torna mais sutil e, pela maior vibracidade, vai alcançando mais fina sintonia com os planos espirituais, tornando sua alma mais receptiva às influências de seu espírito. A purificação de sua energia mediúnica abre, pela ação do ectolítrio, a sua percepção e proporciona o melhor funcionamento dos chakras.
O ectoplasma é o portador das energias emitidas pelo médium. Não é o seu canal de vibrações, mas sim das energias e forças efetivamente produzidas de acordo com as condições do Sol Interior do médium.
Tem que ser permanentemente aperfeiçoado, e por isso o cuidado que temos com o médium em desenvolvimento. Na sua primeira fase, em que se identifica sua mediunidade – se é um Apará ou um Doutrinador  ele vai sendo preparado para seu Emplacamento, após o qual poderá trabalhar numa Mesa Evangélica ou em um Trono, isto é, num local onde vai lidar com apenas um espírito e cada vez; faz suas aulas para a Iniciação, onde aprende a depurar seu ectoplasma, e recebe, na consagração, força extra-cósmica que vai permitir sua presença em todos os outros trabalhos do Templo; consagrado na Elevação de Espada, já está apto a todos os Sandays e à Estrela Candente, onde poderá aplicar plenamente seu potencial ectoplasmático. Vale chamar a atenção para o Trono Milenar, onde é necessário e até mesmo vital que os médiuns estejam plenamente conscientes de sua refinada ectopia, pois muito lhe será exigido pela entidade de alta hierarquia do Vale das Sobras com que irão se confrontar.
Esse potencial é, também, ampliado pelas consagrações que recebe em sua jornada na Doutrina, de acordo com a preparação recebida nos diversos cursos. Assim, consagrado Centurião, um mestre aumenta a qualidade da sua capacidade de ectopia, e essa escala é crescente acompanhando sua trajetória, até chegar a Arcano, quando já tem condições para ampla atuação em qualquer trabalho. Vale lembrar que, pela própria ação da personalidade, existem muitas consagrações feitas no plano físico, material, que não recebem sua correspondência no plano espiritual, e isso pode acarretar sérias conseqüências para a individualidade, uma vez que, na verdade, aquele médium não tem condições de emitir seu ectoplasma correspondendo àquela posição em que se colocou.
Uma atenção especial deve ter um Presidente de Templo do Amanhecer, levando conscientemente em conta as condições locais do Templo, dos seus componentes e preocupando-se com seu próprio potencial magnético animal, tendo em mente que não pode se deixar levar pela prepotência nem arrogância, buscando sempre ser exemplo de serenidade, paz e harmonia para aqueles que o seguem, a fim de aperfeiçoar, em todos, a qualidade do ectoplasma animal que irão emitir.
estrela_022.gif

Resultado de imagem para ectoplasmaMeu filho Jaguar.
Como explicar esta Doutrina, que os Anjos e os Santos nos confiaram, se quanto mais penetramos nos domínios psíquicos tanto mais difícil se torna a nossa jornada? Meu filho, nos encontramos na situação do viajante, que atravessa uma região nunca antes percorrida, na qual não há retorno, e sem vaguear, caminhando sem guia confiante, apenas na sua formação recentemente reencontrada, equilibrada pela sua formação, entregue à sua perspicácia. É uma Doutrina e um gigante, que adormecido repousa por trás de três portas hermeticamente fechadas. Sim, meu filho Jaguar! Três portas resplandecentes que significam o Poder Iniciático da Vida e da Morte – Integração e Desintegração, sendo a terceira força do Circulo Esotérico a Ciências Ocultas da Comunhão do Pensamento.
Sim filho, encontra-se logo após algumas jornadas da visão do campo e da forma verde, do aroma das matas. Sim filho, a força verde é a que manipula a sua força vital, que se transforma na força do Jaguar, que vem da primeira Iniciação “Oxinto”, quer dizer – “seja manso como a pomba e sagaz como a serpente”. Estas atitudes de rituais e comportamento, de compromissos, tornam a mente do homem perceptiva. O homem só penetra nos domínios extra-sensoriais, quando aceita um ritual, seja qual for.
Paulo, um jovem cidadão médico, perdeu sua filha de 08 anos. Paulo vivia pelos cantos, desesperado, porque, apesar de ser um Jaguarnão acreditava na vida fora da matéria. Ele sofria terrivelmente a perda da sua filha. Passava horas com sua esposa ou em lugares escuros. Certo dia uma família espírita, na qual Paulo nunca acreditara, o ensinou o que deveria fazer: uma pequena mesa forrada de branco, um copo d água, um pequeno jarro de rosas (que ele tanto gostava) e, ali ficaram à espera do que poderia acontecer. Nisto, ouviu-se um soluço e logo depois, a vozinha esperada, que disse: - Paizinho vim buscar meu cordãozinho que o senhor me deu quando eu nasci. Sim, pai te vejo todos os dias, quando estás pensando em mim! _ Sim, filha!  disse o homem, que até então não acreditava – vou buscar esta no cofre... - Não pai, já esta no meu pescoço, tu não encontrarás mais. Voltarei paizinho, para este lar, tão logo permita Deus! Paulo foi depressa ao cofre e não encontrou o cordãozinho. Só ele sabia que ninguém abriria o cofre, pois só ele tinha a chave.
Quatro anos depois daquele ritual, uma linda menina de dois anos de idade, lhe perguntava: - Papai, onde esta meu cordãozinho? E, segurando a sua mão, o levou ata o cofre que ainda estava no mesmo lugar. Ela batia as mãozinhas, dizendo; - Abre! Abre! Paulo abriu o cofre e lá estava o cordãozinho, do mesmo jeito que o deixara, inclusive com um pequeno coração, também de ouro, que acompanhava o cordão. Ele conservava ainda a marca do dentinho, mordido que fora pela menina. Enquanto ela gritava – Dá, dá, é meu! Paulo trêmulo beijava a pequerrucha, dizendo: - Oh! Meu Deus! Devolvestes a minha filha, não tenho dúvidas! Paulo passou o resto de sua vida fazendo rituais, para achar e explicar a constituição da consciência.
Faz-se preciso a maior concentração da alma sobre si mesma, a mais profunda introspecção, fazendo agir a percepção, nessa busca para encontrar os fatos, agindo à luz da rasão, em todos os campos psíquicos. Ora filho, eu venho demonstrando e tenho certeza de havê-lo feito rigorosamente, a evolução da força, desde a polarização que produz as afinidades, congregadas e transfundidas, que constituem a força vital ou biogênica, que se desdobra ao assumir sua atividade da sensitividade, cuja força cria no reino vegetal, fortalecendo o reino animal, que também manipula o ectolítero para ectolítrio, que é uma energia que, depois de manipulada, se faz desprender do plexo e se faz ectoplasma.
O ectoplasma é uma energia fluídica, de corpos fluídicos que podem materializar e só se ilumina pelas seguintes formas: “concentração e um ritual qualquer do condutor”. Um ritual pode ser apenas uma mesa com uma toalha branca e pessoas concentradas em Jesus, como pode ser um grande susto ou uma grande dor. O ser humano está a meio caminho de uma vasta escala de entidades conscientes, em evolução; algumas num estágio de evolução e outras num estágio inferior, mas, sucede sempre o mesmo. O fato é filho, que muitas vezes nos enganamos com o comportamento de outros, sem perceber as grandes heranças que o homem carrega consigo. E sim, filho, o ectolítrio vive entre os Três Reinos de Nossa Natureza, Ecto é resultante da Energia. Ectolítero energético (“ litero” se movimenta para emitir o Ectoplasma).
Com carinho, a Mãe em Cristo.
Tia Neiva.
Vale do Amanhecer, 09-02-80.

Ectoplasma


Rompendo a Fronteira Física
No mundo das manifestações espirituais, vários fatos e fenômenos compõem um vasto conjunto de provas da existência de uma realidade espiritual e de como essas energias conscientes entram em contacto com o mundo físico. Uma das mais impressionantes manifestações é a formação do ectoplasma, um fenômeno que ainda aguarda uma investigação mais efetiva.
No fim do século 19 e início do século 20, houve uma intensa busca para se compreender os fenômenos espirituais que tomavam conta dos salões onde ocorriam os chamados fenômenos espirituais. Evidentemente, a base desses encontros eram os contatos com entidades espirituais, mas também significavam divertimento – algo de novo sendo introduzido numa sociedade que começava a se preparar para encarar essa nova realidade. A intensa utilização de médiuns e os fenômenos que eles apresentavam, também levaram a uma vulgarização dos acontecimentos do "mundo do além", especialmente devido à grande quantidade de fraudes, muitas delas desmascaradas pelos cientistas que pesquisavam o assunto.
A intensidade dos fenômenos e a profusão dos "poderes" dos Médiuns – que passaram a surgir em cada esquina – originaram uma grande quantidade de estudos sobre tais fenômenos, desenvolvidos por cientistas credenciados. O resultado foi a elaboração de vários trabalhos e documentos que atestavam a existência de eventos parapsicológicos legítimos, como a clarividência, a materialização, a comunicação com os mortos, etc.


De todos os fenômenos estudados, um dos mais impressionantes, atraindo inúmeras pessoas e os jornais sensacionalistas, foi a ectoplasmia ou materialização. Centenas de casos, devidamente comprovados, foram fotografados e medidos por diversos pesquisadores que relataram detalhadamente as manifestações e produziram uma base científico-espiritualista para compreender a produção nos mais diversos ambientes e condições da "matéria espiritual".
Como sempre ocorre com os fenômenos espirituais, os enganadores tentaram se aproveitar da credulidade e da fé das pessoas, muitos deles sendo desmascarados como fraudes. Alguns faziam uso de luvas, vapores e de ilusionismo para enganar a plateia que ia ver os "espíritos". Essa situação acabou por gerar uma grande dose de desconfiança e a perda de prestígio dos fenômenos parapsicológicos na comunidade científica de forma geral (que, em grande parte, se mantém cética até os dias atuais, apesar das evidências reunidas).
Contudo, existiam médiuns que produziam eventos legítimos de materialização que podiam ser devidamente comprovados como reais e incontestáveis. Muitos pesquisadores, mesmo contra as opiniões contrárias, continuaram pesquisando e descobrindo as peças que formavam o quebra-cabeça das materializações.
As ideias apresentadas nos trabalhos de diversos estudiosos, levaram à aceitação de que o ectoplasma é gerado mediante uma notável interação entre diversos planos físicos e espirituais, durante a qual as vibrações etéricas acumulariam matéria das pessoas envolvidas nas manifestações e reproduziriam as intenções do espírito manifestado de uma forma consistente e material.
Os estudiosos concluíram que, na verdade, existe um número reduzido de pessoas capazes de produzir casos autênticos de ectoplasmia, mesmo sem ter de recorrer a ritos específicos ou realizar as chamadas "sessões". Acredita-se que os médiuns aproveitam as energias etéricas, magnéticas e do seu envolvimento com o mundo espiritual, somadas às vibrações emanadas das pessoas presentes ao experimento, e assim produzem as energias e condições necessárias para a manifestação.
No Oriente, essa ideia já foi muito discutida e difundida, além de experimentada, ao longo de milhares de anos. Aqueles que possuem tais poderes (siddhas) não são necessariamente sábios (rishis, pessoas de conduta irrepreensível e de profundo saber espiritual); na verdade, muitos deles fazem uso de suas capacidades para ganhar a vida, como se fossem pianistas, desenhistas ou qualquer profissão que exigisse algum dom especial.
estrela_022.gif
O Médium

Resultado de imagem para ectoplasma

A manifestação de ectoplasma causa esgotamento físico nos médiuns, pois eles cedem parte de sua "energia vital" para produzir e enriquecer a materialização perispiritual. Isso foi devidamente comprovado por uma série de investigações realizadas por W. J. Crawford, professor de Engenharia Mecânica da Queens University, de Belfast. Ele se dedicou a estudar uma médium famosa na Irlanda, conhecida como Goligher, e descobriu que, durante as sessões (quando surgia o ectoplasma), tanto a médium quanto seus assistentes perdiam peso. Com um conjunto complexo de medidas, ele determinou que, nas manifestações de ectoplasma (quando ele saía pela boca da médium), ela perdia cerca de vinte e seis quilos (algo considerável para qualquer ser humano), e ainda anotou em seus estudos que a perda de peso de massa era evidente no corpo da médium, pois ela definhava a olhos vistos.
O professor Crawford, segundo foi relatado por várias pessoas próximas, estabeleceu uma teoria coerente para explicar o surgimento e a materialização do ectoplasma, plausível tanto para os cientistas quanto para os espíritas; só que essa teoria nunca chegou ao conhecimento do público, pois ele nunca a revelou a quem quer que fosse. Desde então, surgiram vários boatos, mas nada foi revelado, nem mesmo após a sua morte.
Um trabalho notável no que diz respeito à comprovação científica da ectoplasmia foi desenvolvido pelo barão von Schrenk-Notzing. Ele conseguiu obter um pedaço de ectoplasma e realizou mais de uma centena de exames laboratoriais. Descobriu-se a presença de leucócitos (células do sistema imunológico humano) e células epiteliais (pele, a primeira camada celular), colocando em cena os possíveis mecanismos psicofísicos da ectoplasmia.
Essa análise corroborava a ideia de que os médiuns contribuem ativamente com a sua própria "matéria" para a formação das materializações. O barão von Schrenk-Notzing ampliou as definições existentes sobre o ectoplasma, afirmando: "É uma matéria inicialmente semifluida, que possui determinadas propriedades da matéria viva, especialmente a capacidade de mutação de movimentos e de tomar diversas formas". Como podemos perceber, o barão tinha a ideia de que o ectoplasma era algum tipo de interação orgânica entre o médium e as forças espirituais.
Os cientistas e outros pesquisadores também coletaram centenas de fotografias das sessões de materialização; elas mostram imagens com formas e estruturas variadas. Geralmente, surgem em torno do médium das mais diversas maneiras: às vezes, de forma difusa, outras, de maneira bastante nítida. Formam rostos, fios translúcidos, pedaços de corpos, mãos e outras estruturas não-identificáveis.
Algumas das materializações mais surpreendentes da época foram produzidas pelas médiuns Eva Carrière e Eusapia Palladino. Mesmo com um histórico polêmico quanto à autenticidade de suas manifestações, a produção de ectoplasmia das médiuns foi fotografada e analisada.
Um evento notável em sua extensão e nas consequência científico-espirituais, foi o ocorrido em 1913, durante uma convenção espírita em Moscovo. Nela, um grupo de investigadores perguntou a um espírito materializado se havia algum problema em se realizar uma intervenção cirúrgica em seus antebraços ectoplasmáticos, para que pudessem ver a substância da qual eram compostos. Ele aceitou, impondo como condição que ele iria se preparar para que o Médium nada sofresse no processo. Após cinco meses, os investigadores e o médium voltaram a se reunir, e a operação foi realizada. Em um dos antebraços os pesquisadores encontraram uma constituição perfeitamente humana (ossos, nervos, sangue, etc), enquanto o outro era formado por uma substância gelatinosa, clássica nos casos de ectoplasmia, e sem definição de partes constituintes.
Esse fato contribuiu para colocar a materialização ectoplasmática novamente sob um prisma científico. Alguns experimentos chegaram a extremos, como no caso de médiuns colocados em cadeiras e equipamentos especialmente projetados para evitar fraudes e, ainda assim, os eventos ocorreram e foram detetados por aparelhos sensíveis , deixando de lado qualquer dúvida sobre a autenticidade do fenômeno.
estrela_022.gif
Explicando o Ectoplasma
As teorias que procuram explicar a ectoplasmia partem de um ponto comum: a existência de uma forma energético-espiritual, denominada perispírito. Essa substância preencheria o corpo material enquanto encarnado, servindo como recetáculo da consciência durante a estada do ser no mundo físico-espiritual. É pela interação entre os perispíritos desencarnados e as energias espirituais dos encarnados que médium e espírito podem, então, romper os limites mentais e as fronteiras físicas, produzindo o ectoplasma.
Esse perispírito foi relatado por vários médiuns, que o descreveram das mais variadas formas. Geralmente, é visto como um vapor branco-azulado que se desprende dos corpos de pessoas mortas, saindo pela região do chacra coronário (alto da cabeça). Essa "matéria" teria uma existência intermediária entre as formas densa (atômica) e espiritual (etérea).
Segundo alguns estudiosos, isso também é comprovado por meio das fotografias Kirlian, que mostram uma estrutura energética envolvendo os mais diversos objetos e, em específico nos seres humanos, mostram uma profusão de cores e linhas que lembram os "caminhos de luz" descritos nos antigos textos orientais sobre a acupuntura, quando falam a respeito das linhas energéticas.
Segundo o que se conhece atualmente dos mecanismos da ectoplasmia, o médium usa seu perispírito para interagir com o perispírito do desencarnado; cedendo material orgânico e energético, gera o ectoplasma e auxilia, com sua carga cultural e imaginativa, para construir a materialização.
Não há qualquer dúvida quanto à razão da ectoplasmia atrair tanta atenção: é uma manifestação visível, palpável, muitas vezes mensurável. Ao contrário de outros fenômenos espirituais, ou parapsicológicos, se preferirem, causa um impacto mais imediato. E não são poucos os que se dedicam ao seu estudo que afirmam ser a ectoplasmia o fenômeno parapsicológico que apresenta o maior número de provas. Além disso, permite que os pesquisadores possam comprovar, de forma relativamente simples, se é uma manifestação verdadeira ou fraudulenta.
Não se sabe muito bem em que ponto se encontram as pesquisas científicas com relação ao assunto. Cientistas que não estão ligados ao espiritismo pouco ou nada falam sobre o assunto, ou então rechaçam completamente o fenômeno, entendendo que ele jamais foi devidamente comprovado, apesar das inúmeras evidências coletadas.
O que se sabe ao certo é que o fenômeno continua a ocorrer, e a ser registado, em muitos centros espíritas e em locais que nada tenham a ver com a doutrina. Resta esperar que pesquisas mais afirmativas e profundas sejam realizadas.
estrela_022.gif

Pesquisas Recentes
Quando se fala sobre o fenômeno da ectoplasmia, geralmente são apresentados documentos e fotos antigas. A verdade é que esses casos foram muito examinados nos primórdios das pesquisas parapsicológicas, fotografados e registados com o rigor científico possível na época. Depois, a impressão que se tem é de que as pesquisas foram um tanto esquecidas.
No entanto, existem grupos de pesquisa, espíritas ou não, que continuam procurando obter registos cientificamente válidos para o fenômeno, e muitas vezes com êxito. As pesquisas não são muito divulgadas: o que se ouve dizer é que os pesquisadores preferem realizar suas experiências sem grande alarde, mantendo os resultados conhecidos apenas de um pequeno grupo de interessados, evitando o escárnio que geralmente ocorre quando se fala sobre certos assuntos.
Nas pesquisas do dr. João Alberto Fiorini, que deverão ser publicadas em livro, ele informa que o ectoplasma é sensível à ação da luz comum (branca) e reage ao pensamento. Por outro lado, suporta bem as radiações pouco energéticas do espectro da luz, como o vermelho e o infravermelho. A temperatura é um pouco inferior à do ambiente em que se encontra o médium, e sua cor pode ser acinzentada, branca, amarelada, malhada ou negra. Também se encontra em todos os estados, ou seja, invisível, visível, gasoso, plasmático, tangível, morfo, foculoso, filamentoso, sólido e estruturado.
Esperamos, em breve, poder apresentar algumas imagens e documentos obtidos a partir de pesquisas do gênero, no Brasil, assim como conversar com cientistas envolvidos na pesquisa parapsicológica, para que eles apresentem seus depoimentos a respeito e, quem sabe, algumas pesquisas científicas. (GS)
estrela_022.gif
Fenômenos de Ectoplasmia
Ectoplasma: O ectoplasma pode exteriorizar-se em qualquer parte do corpo do médium, ao qual está vinculado estreitamente. Dirigido pelas forças presentes, o ectoplasma pode causar o fenômeno da telecinesia, que é a movimentação de objetos. Em alguns casos, foi comprovado que o ectoplasma saía do corpo do médium e, apoiando-se no chão, formava uma espécie de alavanca, conseguindo assim erguer objetos bem mais pesados do que o médium.
Ectoplasmia: Do grego ectós, "fora"; plasma, "coisa formada". Ectoplasmia designa o fenômeno; ectoplasma designa a substância.
Ectocoloplasmia: Termo que foi utilizado para definir a "modelagem" do ectoplasma para formar membros ou partes de pessoas, animais ou objetos.
Fantasmogênese: A produção ectoplasmática de um fantasma de pessoa, animal ou coisa, pelo menos aparentemente inteiro.
Transfiguração: A transformação do próprio corpo do médium por meio do ectoplasma.
Publicada por Cristiano Patricio


Mediunismo e Mediunização

MEDIUNISMO

Mediunismo é o conjunto técnico-doutrinário que estabelece as maneiras de manipulação da mediunidade, tendo sua origem na missão civilizatória dos Equitumans  e tendo sofrido profundas alterações através dos milênios.
Na atualidade, a Ciência estuda a mediunidade pela Parapsicologia e os Espíritas - ou Espiritistas - a empregam em função da Espiritualidade Maior. Ciência e Religião observam os mesmos fenômenos mas os denominam diferentemente, o que não influi na sua real dimensão e efeitos.
Um importante tratado de mediunismo se encontra nos Evangelhos, onde Jesus estabeleceu a organização mediúnica, formando um sistema entre o Céu e a Terra através dos missionários.
O mediunismo se constitui no fundamento da maioria das religiões do planeta, e, com o passar do tempo, pelo caminho em que enveredam as pesquisas científicas, terá sua importância ressaltada pela Ciência, quando esta concluir pela existência do ectoplasma e da reencarnação.
No mediunismo da Doutrina do Amanhecer, o Mentor é o espírito que assiste o médium e com ele trabalha durante sua vida terrena, e os Guias são espíritos que trabalham com o médium na execução de sua mediunidade.

estrela_022.gif
Resultado de imagem para Mediunismo e Mediunização

MEDIUNIZAÇÃO

A mediunização é o ato de o médium entrar em contato com sua individualidade, na sintonia com a Espiritualidade, preparando-se para qualquer tipo de trabalho, tanto no Templo como em qualquer outro lugar.
A melhor forma de mediunizar-se é fechando os olhos e se concentrando na Espiritualidade Maior, em seus Mentores, com isso eliminando estímulos visuais do exterior e se tornar mais receptivo às forças espirituais. O silêncio também é importante, e assim deve o médium aprender a ser seletivo na sua sensibilidade para obter sua melhor concentração.
A mediunização proporciona segurança ao médium, pois estabelece a ligação entre os planos, e deve ser feita antes de se iniciar um trabalho de qualquer natureza, uma reunião ou um encontro doutrinário.
O local apropriado para se processar a mediunização é no Castelo do Silêncio, onde o médium se serve do sal e do perfume e permanece tranqüilo, meditando e fazendo sua mediunização.
A mediunização pode ser, também, efetuada em um local tranqüilo, numa posição confortável, como deveria ser feita uma mentalização, porém com a finalidade de levar o médium a uma experiência mística. Neste caso, o médium deve estar muito preparado, pois a experiência pode conduzi-lo a diferentes situações, entre outras:
a) percepção integrada do nosso planeta com o Universo, com a penetração em outros planos;
b) melhor percepção com visão realista das pessoas e das coisas, sem observações ou julgamentos negativos ou positivos;
c) um grande distanciamento dos fatos, com ausência de sentimentos e de conflitos;
d) alterações de limites de tempo e espaço;
e) aceitação de tudo que está ao seu redor, porque está mergulhado numa onda de amor, harmonizado com o Universo, unido com as vibrações cósmicas; e
f)ampliação da compreensão da verdade oculta nas coisas e nas pessoas, entendendo gestos, palavras e atitudes, sem receios ou incertezas.
Quanto mais apurada a mediunização, mais elevado é o contato com a espiritualidade, mais nos aproximamos da união com o Divino.

Fonte: Tumarã
Postado por 
Templo Puemar do Amanhecer

Mediunidade 
 parte 1
Imagem relacionada

Com essência espiritual, a mediunidade tem o objetivo do resgate cármico, correção dos vários erros praticados em vidas passadas, sendo um conjunto de forças que se manifesta no ser encarnado, emanando do corpo físico e agindo em conjunto com o mecanismo psicofísico, mas com padrão vibratório muito mais elevado e mais rápido.
A glândula pineal, se constitui na sede fisiológica dos fenômenos da mediunidade, dela partindo o controle dos demais centros energéticos. Centro do hiperconsciente, é a responsável pelo nosso sexto sentido, captando e selecionando forças através de sua percepção extra-sensorial, sendo seu funcionamento aprimorado pelo desenvolvimento mediúnico.
De acordo com seu desenvolvimento, a glândula pineal permite maior ou menor capacidade das percepções extra-sensoriais, variando de indivíduo para indivíduo, determinando grande variedade na manifestação mais comum das diversas mediunidades:
1) a curadora - procede à cura pela força emanada dos chakras das mãos;
2) a vidência - quando se vê alguma coisa que está acontecendo em outro lugar; a telepatia - comunicação somente pelo pensamento;
3) a audiência - quando se ouve alguma informação que não está sendo transmitida neste plano;
4) a precognição ou premonição - ciência antecipada de fatos que ainda vão acontecer;
5) a retrocognição - conhecimento de fatos passados, até mesmo de outras reencarnações;
6) a psicocinésia - movimentação de corpos físicos pela emissão de ondas mentais; e
7) a psicofonia ou incorporação - manifestação de um espírito através do médium.
Dentro da ideia de energia , nosso corpo físico está equipado com sensores para distinguir fenômenos em cinco faixas de vibrações: olhos, captando luz e cores; ouvido, captando sons e ruídos; o nariz, captando os aromas; a língua, captando e distinguindo os sabores; e a pele, sentindo frio ou calor, rigidez ou maciez, formas, enfim, tudo o que podemos avaliar pelo tato. Todas essas sensações estão ligadas ao plano físico.
O sexto sentido - a mediunidade - é a nossa relação com outras dimensões, fora dos nossos conceitos limitadores de tempo e espaço.
Existem, na Bíblia, inúmeros testemunhos de fenômenos mediúnicos.
Para citar apenas um, encontramos em Ezequiel (Cap. 2 e 3) uma audiência: "Esta voz me disse: Filho do Homem, põe-te em pé e falarei contigo. Então, entrou em mim o Espírito, quando falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava..." e se seguem grandes orientações para o profeta.
Quando reencarna, o espírito traz geralmente sua missão, obrigando-o a desenvolver e utilizar sua mediunidade, que pode ser cármica, quando ela atua como fator de equilíbrio dos conflitos da personalidade, ou espiritual, refletindo a obra do espírito, como missionário do Sistema Crístico, colaborador da Obra Divina.
Os átomos formam moléculas e estas, por ações específicas, constituem os componentes dos três reinos da Natureza, diretamente ligados à resultante das ações das forças de atração e de repulsão que agem na organização molecular. Isso gera um campo magnético que permite o contato com seres de diversas naturezas em situações geralmente muito especiais.
Quando não há condição deste contato ser físico, o Homem aprendeu a deixar um pouco sua consciência do plano físico e penetrar num estado mais individualizado, ao qual denominamos transe, em que a força gerada por seu campo magnético - a mediunidade - pode agir mais intensamente, porque está livre das limitações da consciência. Fluindo através dos chakras e até dos poros, o fluido magnético faz a ligação entre os três grandes geradores vibracionais do Homem: seus órgãos, seus plexos e os chakras. 
Podemos chamar o sistema nervoso  simpático ou autônomo de passivo e o parassimpático de ativo, para facilitar o entendimento dos dois tipos de mediunidade em nossa Corrente do Amanhecer:
1) a do Apará, o médium de incorporação, está baseada no sistema nervoso passivo, com base no plexo solar, tendo natureza passiva, orgânica e anímica, onde a vontade e a consciência pouco ou nada atuam, uma vez que o ser que se comunica entra em contato direto com seu sistema nervoso e assume parcialmente o controle mental do médium, fazendo a sua comunicação, que tanto mais perfeita será quanto menor for a parcela de consciência do médium; e
2) a do Doutrinador, que funciona com base física, no sistema nervoso ativo, feita pelo processo cerebral, pela sensibilização do sistema endócrino, centrado na glândula pineal, com predomínio da consciência e da vontade, fazendo com que passasse a existir um transe mediúnico totalmente consciente.
A mediunidade é um fenômeno natural, de natureza igual em todos os seres, e varia em teor, quantidade e forma de uma pessoa para outra, fazendo com que não existam dois médiuns iguais. Pode, até mesmo, ficar latente, contida pelo desenvolvimento cultural e religioso daquele que a contém.
O médium é o intermediário, o que faz a ligação entre o que é objetivo e o subjetivo, o que, pela intuição e ligações mais refinadas, liga um plano a outro, o que permite o intercâmbio entre o mundo material e o mundo espiritual. Trata-se de um dom natural e comum, tendo ocorrido, na História da Humanidade, de forma ostensiva, mas sempre tratada com visão deturpada como sendo manifestação do sobrenatural, fruto de milagres ou sob aspecto supersticioso.
estrela_022.gif
Mediunidade 
 parte 2
Imagem relacionada

Na nossa Doutrina, a mediunidade é vista como um fato natural, real e comprovável em qualquer pessoa.
A base da mediunidade é uma energia sutil que se origina na corrente sanguínea e se volatiza pelo sistema nervoso. Todos os seres humanos são médiuns naturais, manipulando essa energia de forma subconsciente e controlada apenas pelos seus sentimentos e pensamentos.
Todavia, há casos em que esse controle escapa à vontade do indivíduo, conduzindo-o a uma vivência negativada, marcada por doenças, desânimo, desajustes sociais e desequilíbrio emocional, ou, num outro extremo, à exacerbação religiosa.
A ideia da mediunidade é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, que no seu manual DSM IV, recomenda aos clínicos que devem ser muito cuidadosos ao tratarem de casos em que o paciente alega estar ouvindo ou vendo espíritos de pessoas desencarnadas porque isso não se liga a qualquer processo patológico.
Muitos cuidados devem se ter com a mediunidade, destacando-se como muito importante a forma de ser conduzida e desenvolvida. O médium capta vibrações dos planos espirituais e manipula essas energias com seu magnético animal, produzindo poderoso fluxo energético. Dependendo de sua consciência, deve começar a aprender a usar esse poder, integrando-se a uma corrente na qual se sinta harmonizado, participando ativamente dessa corrente, seja ela positiva ou negativa, isto é, esteja ou não integrada no Sistema Crístico.
O desenvolvimento mediúnico deve ser feito com consciência, trabalho, estudo, abnegação e amor.
Nada acontece rapidamente, na Terra. O médium inquieto, apressado, precipitado, desejoso de logo transmitir as mensagens do Céu antes de chegar ao seu ponto de preparação, é candidato ao desequilíbrio e às perturbações da mente.
Com boa vontade, o médium procura no Evangelho as luzes das aulas do Divino e Amado Mestre Jesus, aprendendo a servir com tolerância, humildade e amor, despertando todo seu potencial mediúnico, que lhe dará a oportunidade de resgatar erros transcendentais e corrigir suas próprias deficiências e desajustes, fazendo da sua mediunidade instrumento de sua reabilitação.
Na Doutrina do Amanhecer só levamos em consideração dois aspectos da mediunidade: a de incorporação, o médium APARÁ, força vibratória, que incorpora uma entidade; e a do DOUTRINADOR, força básica de sua manifestação silenciosa porém concreta, em perfeita sintonia com os planos espirituais. As demais formas de mediunidade - psicografia, vidência, audição e outras - podem existir, mas não são desenvolvidas, por estarem sujeitas a interferências e outros riscos desnecessários, já que lidamos com grande quantidade de médiuns e, por nossas Leis, não são usadas em nossos trabalhos.
No início do desenvolvimento é revelada ao médium a definição da mediunidade de que é portador e começam a lhe ser dados ensinamentos básicos - técnico, doutrinário e místico - objetivando aumentar o potencial energético do médium e diminuir a distância entre sua individualidade e sua personalidade.
Apenas, para preparar corretamente o plexo de médiuns que hajam passado por outras correntes, pode ser necessário que ele permaneça algum tempo como Doutrinador e, depois de equilibrado, assuma sua verdadeira condição como médium de incorporação.
Os médiuns desenvolvidos apreendem mais pela sua percepção mediúnica do que pelas suas qualidades psicológicas ou culturais. A assimilação da Doutrina depende das situações individuais e cada um aprende à sua maneira.
Embora saibamos que existem inúmeras manifestações mediúnicas em crianças e adolescentes, muitas das quais se apresentam como verdadeiros fenômenos, consideramos que a mediunidade é uma força que se modifica com a idade e, na Doutrina do Amanhecer, temos o maior cuidado em conter os fenômenos que se apresentam precocemente, pois até cerca dos 18 anos o magnético animal age no desenvolvimento do plexo físico - o corpo - e o desenvolvimento ou o trabalho precoce, antes dessa idade, pode gerar deficiências físicas pelo desvio da ação do magnético animal.
A mediunidade se renova e reativa pelo trabalho. Por isso, a constância no trabalho mediúnico é importante, pois o médium vai se fortalecendo e aprimorando, ampliando seus limites e seu poder de ligação. O médium que é inconstante, que se deixa levar pela preguiça ou pouco caso, não consegue a confiança dos Mentores e nem a dos pacientes.
Depois de considerado apto após o Desenvolvimento, o médium do Amanhecer recebe sua consagração na Iniciação, e passa a atuar ativamente na Lei do Auxílio, caminhando para obter novas consagrações - Elevação de Espada e Centúria  - que irão aumentar seu potencial e sua responsabilidade.
estrela_022.gif
Mediunidade
parte 3
Imagem relacionada

O ser humano não é estático, e está alterando constantemente seu padrão vibratório, de acordo com as influências a que está sendo submetido. Isso influi em sua mediunidade, que pode ser apresentar ora de uma forma, ora de outra. Vale lembrar que é um fenômeno natural, mas que está se expandindo na Terra, na medida em que se aproxima o novo ciclo do nosso planeta, cumprindo a profecia de Joel, que lhe revelou o Senhor: “Nos últimos dias derramarei do meus Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos mancebos terão visões e os vossos velhos sonharão sonhos!”
O médium vai aprendendo a controlar sua força, a manter seu equilíbrio e a se harmonizar com a Corrente, em perfeita sintonia com seus Mentores, e sabendo isolar sua individualidade dos problemas da personalidade. Como um raio de luz que atravessa um copo de água, que se dilui na medida em que a água se agita, a força mediúnica flui através da mente, sendo, assim, necessário que esta esteja em calma para que possa aquela força fluir e agir mais efetivamente. O médium, com sua mente equilibrada, consegue a realização de fenômenos de cura desobsessiva, bem como sustenta a perfeita execução dos trabalhos.
O conhecimento e a utilização da força mediúnica devem compreender o reconhecimento da existência do espírito para que seja autêntica e não simples exteriorização da personalidade do médium. Outra atenção é com a natureza das forças que são intermediadas, porque a mediunidade é de natureza neutra, podendo ser utilizada para o Bem e para o Mal, de acordo com a formação do médium e a polaridade em que é trabalhada. Por isso, nossa Mãe Koatay 108 sempre nos advertiu que a mediunidade é uma lâmina de dois gumes – o Bem e o Mal – e deveríamos sempre ter muito cuidado com sua utilização.
Quando o médium se desenvolve apenas sob o aspecto fenomênico, alheio ao Sistema Crístico, suas qualidades ou defeitos são ressaltados, tornando-o simplesmente o intermediário entre ele e o mundo que o cerca, manipulando tão somente forças horizontais, não construtivas, e que podem tornar-se destrutivas.
Torna-se o que denominamos médium psíquico, aquele que dá vazão apenas a conceitos, idéias e conselhos de sua própria personalidade ou influenciados por espíritos de camadas muito próximas da Terra - o mundo  invisível - ou até mesmo intraterrestres, gerando forças somente transformistas e não criativas.
Quando o médium desenvolve sua mediunidade dentro de um planejamento e esclarecimento doutrinários, começa a se harmonizar com sua linha cármica, apreende as emanações e anseios transcendentais de seu próprio espírito, muda suas perspectivas, sua visão de vida e seu comportamento, passando a ter convicção de seus princípios e uma visão mais abrangente do Universo que o rodeia.
Dentro da Doutrina do Amanhecer, uma Doutrina Crística, sua vida se equilibra e passa a irradiar segurança e simpatia, atraindo para si as emanações dos Planos Superiores, de seus Mentores, e passa a ser seguro instrumento de ação dos Espíritos Superiores que, através dele, processam curas e libertações, levando alívio e esperança àqueles que por ele são atendidos.
Assim, deve o médium preocupar-se sempre com seu equilíbrio, evitando as crises depressivas ou se envaidecer. Não pode estar bem se estiver levando vida desregrada, sem conduta doutrinária nem controle emocional, fora dos parâmetros morais, distanciando-se de seus compromissos. Na medida em que se afasta da sintonia com a Espiritualidade, seus Mentores se afastam dele. Se mergulhado em estados depressivos, se consome álcool ou tóxicos, sua emanação se torna negativa, venenosa, atingindo a todos que o rodeiam. Se cair no abismo da vaidade, sentir-se-á abandonado e desprezado quando for atingido e dominado pelas forças negativas dos irmãos das Trevas.
Existem hormônios psíquicos que permitem a sintonia entre dois seres. Produzidos pela glândula pineal, a qualidade ou padrão vibratório desses agentes está diretamente dependente da conduta doutrinária do médium. Por isso, deve um médium não só se preocupar com seu desenvolvimento, com o aperfeiçoamento de sua mediunidade, mas, principalmente com a melhoria de seus atos e de seus pensamentos, buscando sua reforma íntima, livrando-se de vícios e corrigindo seus defeitos.
O médium da Corrente que se tenha afastado por longo tempo, ao retornar deverá passar pelos grupos do Desenvolvimento, para adquirir confiança e equilibrar seus plexos.
É comum, principalmente com Doutrinadores, o surgimento de aspectos que indicam a mudança da mediunidade. Nestes casos, o médium deve buscar o Coordenador do Desenvolvimento, no Templo-Mãe, ou o Presidente, nos Templos do Amanhecer, para nova verificação de mediunidade.
estrela_022.gif
Mediunidade 
parte 4

Resultado de imagem para Mediunidade

NOVA VERIFICAÇÃO DE MEDIUNIDADE

Na reunião de 01/07/03, com os Sub-Coordenadores e Presidentes, continuando a implantação dos trabalhos unificados, ficou estabelecido, pelo Trino Ajarã, o seguinte:
Nos casos em que haja, no decorrer do desenvolvimento, sintomas que configurem alteração na sua mediunidade, o médium deverá ser apresentado, pelo instrutor, ao Coordenador do Desenvolvimento, que adotará as medidas adequadas para solucionar o problema.
Se o médium já tiver suas consagrações em um tipo de mediunidade - Apará ou Doutrinador - deverá fazer todas as aulas do Desenvolvimento em sua nova condição, fazendo, também, se for o caso, as aulas para Iniciação e para Elevação de Espada. Não precisa das demais aulas, sendo providenciada, pelos mestres Devas, a alteração de sua emissão e classificações.

Observações de Tia Neiva

"Quero deixar bem esclarecido que os médiuns não devem se preocupar com o número de pessoas que entram e saem da Corrente.
É natural que quando o Homem descobre suas faculdades mediúnicas corra para o Vale do Amanhecer. Chega até a incorporar, a fazer Iniciação e usar o escudo iniciático, etc.
Sua mente, porém, não está preparada e seus chakras não chegam a ser desenvolvidos. Com isso, ele se desliga e vai embora.
Não se preocupem: com a mesma euforia que entram, eles saem!
Aos poucos eu irei explicando isso a vocês.
Aqui só ficará quem tiver convicção, pois Pai Seta Branca prometeu desenvolver sua tribo para o Terceiro Milênio. Por isso, só ficará aquele que é realmente um escolhido. Os que se vão nada perdem, pois, com essa breve passagem, conseguem aliviar seus carmas parcialmente, e são ajudados.” 
 (Tia Neiva, 9.6.74)
"Falamos muito de consciência ou peso de consciência.
No entanto, é preciso constância, o que mais falta ao Homem, e também ter a razão do tempo, na Terra e no Astral.
No interior psíquico, damos vazão à casualidade, pelos insultos transtornando a mente. E os infelizes estados alucinatórios, sem saber, vão integrando as margens da esquizofrenia. São freqüentes os fenômenos de vozes, visões, de alucinações que a própria esquizofrenia produz.
Esquizofrenia, efeito da mediunidade, isto sim, alterações relacionadas com o sistema nervoso em relação ao mecanismo são as mais freqüentes, as mais perigosas, nos fenômenos alucinatórios.”
 (Tia Neiva, 4.10.77)

"Cheguei no Canal Vermelho muito preocupada com um caso que pensava não ter solução: eu estava observando uma alterações no campo psíquico de um filho que dispunha de psicanalista para se equilibrar.
Sua mediunidade forte não dava razão para tal desequilíbrio. O psicanalista já estava entrando na psique do médium, a ponto de, mediunicamente, o prejudicar, afirmando que o seu desequilíbrio estava no fator espiritual.
Como o médium Apará pode ser influenciado por um Doutrinador! E, no caso deste psicanalista, tudo perigava para o médium. Começavam as dúvidas das coisas que são as mais belas e que encontramos nos grandes médiuns, a força espontânea na região psíquica que chamamos delírio extra-sensorial efetivo dos grandes médiuns.” 
(Tia Neiva, 16.3.78)
"Tudo deve ser silenciosamente, pelos movimentos psíquicos de cada faculdade mediúnica. Esta, uma vez desenvolvida, nos permite modificarmos nossa natureza, vencer todos os obstáculos, dominar a matéria e até vencer a Morte,  Natacha!” 
 (Tia Neiva, 10.6.79)
"Temos por missão nos tornarmos um instrumento eficiente, tanto no sentido passivo como ativo, curando o nosso próprio centro nervoso físico, afetivo, mental e espiritual, até tomarmos a verdadeira consciência de nós mesmos.
Sim, filho, o Homem que se conhece a si mesmo é forte e inquebrantável.
Filho: a verdade, na concepção do Homem, jamais existiu.
É, portanto, que a concepção da Morte resulta do comportamento da Vida.”
(Tia Neiva, 19.9.80)
"Sabemos que existem muitas mediunidades, porém o Doutrinador e o Apará são a base para seguir a missão. Sem o desenvolvimento de um desses aspectos, nada é feito no plano iniciático.
Muitas vezes vejo-me e, situações difíceis, para depois ver um médium se acomodar. acomodando-se em sua mediunidade.
Todo Homem tem sua missão na Terra e, geralmente, vem com seu plexo aberto para cada missão. É possível, também, completar seu tempo em uma e se voltar para outra missão, com muito cuidado, porque cada desenvolvimento desenvolve, também, o seu plexo nos três reinos de sua Natureza. Naturalmente, é desenvolvido de acordo com a sua missão. (...)
O médium desenvolvido não deve ficar muito tempo fora da Lei do Auxílio, pelo perigo de adoecer. O trabalho e os seus sentimentos são o que alimentam todos os casos do sistema nervoso. O veículo do recebimento desta força armazenada no centro apropriado - que é o plexo - emite, também, nos órgãos internos, segundo sua necessidade momentânea, na concentração das forças centrífuga e centrípeta. (...)
É reparado que as Iniciações são bem diferentes: cada mediunidade é regulada à sua faixa, que são, também, as doze chaves do Ciclo Evangélico Iniciático, após receber o mercúrio significativo, sal, perfume e mirra.
Tal é a origem desta tradição cabalística que compõe toda a Magia em uma só palavra: Consciência!” (Tia Neiva, 27.10.81)
"Todos nós temos na vida uma oportunidade de evolução. Esta oportunidade pode vir em um grande amor ou vem, muitas vezes, em uma grande dor.
Deus, em sua grandeza, fez o Homem com sua mediunidade. Sim, o Homem médium. A mediunidade é um fator biológico. Ela corre no sangue, no coração, em se tratando de um Homem médium transcendental, que é o Homem de muitas experiências.
Sabemos que temos médiuns com os três reinos de sua natureza simetricamente bem divididos, e esta força lhes dá a faculdade de receber um Espírito de Luz e até mesmo um Anjo do Céu.
Esse médium, esse Homem, vive em todas as partes – nos bares, nas vias públicas, em um lado ou noutro sempre encontramos esse homem!
Mil vezes encontramos esse Homem que não quer se preocupar com sua origem transcendental e que, sofrido, não pode reclamar por isso.
Porque Deus, em sua figura singular, vive a Sua presença em todos os instantes de nossas vidas, por todos os cantos do mundo. Em tudo há a Presença Divina!
No entanto, estamos às portas de uma grande abertura luminosa, que somente este Homem de bagagem transcendental é capaz de assumir, porque só ele é capaz de conduzir e salvar os que vão restar...
Dentre esta grande maioria, vejo que irão sobrar muito poucos!
O Homem que tem os três reinos de sua natureza simetricamente divididos é o MISSIONÁRIO DA ÚLTIMA HORA, vindo de mil experiências no mundo, e por isso capaz de assimilar o desenvolvimento espiritual desta época.
Porém, enquanto não chega este dia, que não sabemos quando com exatidão, vamos assumindo o trato que fizemos: AMOR, TOLERÂNCIA e HUMILDADE, principalmente nesta jornada que estamos enfrentando." 
(Tia Neiva, 14.8.84)

Fonte: Tumarã
Postado por Templo Puemar do Amanhecer 

CORDÃO DE PRATA


Os fios tenuíssimos que ligam os encarnados ao aparelho físico, quando em estado de temporária libertação, prendem-no também à organização fetal. No desdobramento, à medida que a mãe se afasta, também o espírito reencarnante pode afastar-se, não lhe sendo, porém, possível abandonar a companhia maternal.
Como o próprio nome sugere, trata-se de uma espécie de “cordão” que liga o perispírito ao corpo físico. É imprescindível à vida carnal, pois assegura a perfeita realização das funções biológicas vitais durante o período do sono natural, quando então o espírito se desprende do corpo físico para interagir no mundo espiritual, embora sempre seu corpo e seu perispírito estejam sempre ligados através do chamado cordão de prata. O cordão de prata é pré-requisito essencial para a vida orgânica, posto que no momento da morte física ele se rompe.
Em alguns meios “espiritualistas” com pouco estudo, há uma discussão sobre os “perigos de rompimento” de tal cordão espontaneamente, durante o conhecido fenômeno das projeções para fora do corpo, como se algo no Universo pudesse acontecer “espontaneamente”, ou seja, sem o consentimento e o conhecimento de Deus. Esse temor não tem lógica, nem sentido algum, a não ser que seja “a hora exata” de o indivíduo desencarnar.
cordão de prata não é feito de material suscetível a atritos ou a acontecimentos que possam vir a “rompê-lo”. Esse tipo de pensamento não apenas contraria diametralmente a lógica, mas sobretudo vai inteiramente contra os ensinamentos estabelecidos pela Codificação Kardequiana.
MISSIONÁRIOS DA LUZ, de André Luiz, por Chico Xavier
Publicada por Cristiano Patrício


SOL INTERIOR

O Sistema Planetário do Homem compreende suas três esferas coronárias, seu Sol Interior, governadas pelo Eixo Solar, em constante movimento no âmbito de sua orbe terrestre.
O PLEXO SOLAR O SOL INTERIOR - Formado por três vórtices, na região pouco acima do umbigo, é o chakra  mais complexo, pois faz a ligação do corpo astral ao corpo físico, processando energias que se originam nas vibrações dos Astral inferior, Astral superior e Mental inferior. É onde se faz a ligação do Centro Coronário.
Esferas sobre esferas, os três vórtices unem-se em um talo complexo que termina entre a 1ª e a 2ª vértebras lombares.
O Eixo Solar do Homem é uma espiral de energias que atua de forma perpendicular sobre a cabeça do ser humano e governa suas esferas coronárias, o seu Sol Interior, um sistema particularizado e individual, centro vital do Homem, poderoso emissor e captador de energias e forças.
Essas esferas representam os três reinos de nossa natureza, vibrando intensamente no plano físico - plexo físico -, no plano psíquico - micro-plexo ou alma - e no plano etérico - macro-plexo, plexo etérico ou espírito-, formando três planos vibratórios diferentes, sendo cada um regido por suas leis próprias e, embora dentro de relativa autonomia, os três mantêm estreita relação entre si, formando uma unidade composta por três elementos diferenciados.
Isto é o que, sob o ponto de vista iniciático, denominamos o mistério do Trino, Tríade ou Trindade.
Nosso sistema planetário recebe as influências das diversas estrelas - Sivans, Harpásios, Vancares, etc.
Essas esferas não são físicas, isto é, não são compostas por qualquer substância palpável ou tecido, mas contêm as projeções defeituosas de encarnações anteriores e levam as marcas dos caracteres hereditários das famílias espirituais - as afinidades psicológicas ou possíveis contradições de caráter da mesma família.
Deste Centro Coronário partem sete raios de energia, sete forças que se distribuem pelo organismo humano, terminando cada um em um chakra - o mesmo sistema em dois planos diferentes, de onde são distribuídas aos órgãos do corpo, vitalizando-os.
No Doutrinador, a força alimenta o chakra coronário; no Apará, o chakra umbilical.
É no Centro Coronário que se originam as manifestações e os registros que calcam a sensibilidade e envolvem, no físico, sua atuação passada que, refletida no presente, forma o carma , a Lei de Causa e Efeito.
Na manipulação das energias, o Centro Coronário emana fluídicamente a alma, alimentando-a com irradiações energéticas, estimulando, vitalizando, gerando o BEM e o MAL, marcando o próprio Homem com as conseqüências felizes ou infelizes de seus atos.
A condensação das energias produz magnetismo que, conforme a carga das forças manifestadas, podem ser atraídas - centrípeta - ou emitidas centrífugas.
Na Doutrina do Amanhecer se aprende a manipulação dessas forças, que também variam em sua polaridade - o Sol, polo positivo, gerando ânions, e a Lua, polo negativo, gerando cations.
Ectopia é a emissão de ectoplasma. ectolítero emite o ectolítrio, que vai acionar o chakra laríngeo , permitindo que seja feita, melo médium, a emissão do ectoplasma. Essa emissão, assim, depende diretamente das condições proporcionadas pelo médium, de acordo com a harmonia e o equilíbrio de seu Sol Interior e pelas vibrações de sua mente.
No Sol Interior se produz o ectoplasma  - ou fluído magnético animal -, sendo variável em teor e em quantidade conforme as metas cármicas ou programas do espírito na Terra. É universal, porque todas as pessoas - espíritos encarnados - o produzem, constituindo-se na base do padrão vibratório e da manifestação mediúnica.
De acordo com sua carga natural, dependendo das condições de seu Sol Interior, o ectolítero proporciona ectolítrio em níveis variáveis, influenciando a ectopia, a emissão do ectoplasma. Quando equilibrado o Sol Interior, o médium tem plena capacidade de emitir seu ectoplasma portador de várias energias benéficas, seja um Apará ou um Doutrinador, sentindo-se realizado em sua jornada.
Na Doutrina do Amanhecer é adotado o desenvolvimento natural da capacidade mediúnica de cada um, proporcionando-lhe condições para que possa controlar suas forças e energias, disciplinado-as suavemente para que possam fluir pelos canais próprios, reunindo as energias e fluídos ectoplasmáticos pelas forças centrípetas e afastando e emitindo as energias, sob o comando do Eixo Solar, pelas forças centrífugas, beneficiando o médium, trazendo-lhe tranqüilidade e paz, e, o que é mais importante, o conhecimento de todo este complexo sistema, sensível à percepção sensorial e extra-sensorial.
ectoplasma é o portador das energias emitidas pelo Médium. Não é o seu canal de vibrações, mas sim das energias e forças efetivamente produzidas de acordo com as condições do Sol Interior do médium.
Médium desenvolvido e que não trabalha regularmente, que fica muito tempo fora da Lei do Auxílio, corre o risco de adoecer, porque é com o seu trabalho e com os seus sentimentos que alimenta seu sistema nervoso, manipulando a energia de seu Centro Coronário, que mantém o equilíbrio de seus órgãos e realiza curas em seu próprio corpo.
Quando emitimos a chave “Salve Deus!” aglutinamos forças de proteção do nosso Sol Interior.
O Sol Interior “São fáceis os contatos físicos no plano físico quando não temos muita terra no coração! Porém, com o coração pesado, só encontramos a dor, a angústia do espírito conturbado pela subdivisão dos três sistemas do seu reino coronário, porque a tua alma, divina, exige o teu bom comportamento.” 
Tia Neiva – 04/09/1977 
estrela_022.gif
Todos nós temos um Sol Interior, cuja evolução está na dependência de nossos pensamentos. O desenvolvimento desse Sol se faz pela Lei do Auxílio, objetivando o bem acima de tudo, manipulando a energia de forma a completar o ciclo iniciático nos três reinos de nossa natureza. Para isso, é necessário o equilíbrio físico e moral, individualizando-nos na perfeita sintonia com Deus, para que a força da inteligência se torne perceptível por sua expressão vibratória, e, por fim, aprendendo a movimentar os poderes de nosso Sol Interior. Centro Coronário – Em nosso íntimo, na região do umbigo, está situado o plexo solar, composto por três esferas, girando uma sobre as outras, formando o Sistema Coronário ou Centro Coronário, centro vital do ser humano, estação emissora e receptora de energias. Essas esferas apresentam intensa vibração, uma no plano físico  plexo físico; outra no plano psíquico – micro-plexo; e a outra no plano etérico – macro-plexo ou plexo etérico. Tudo depende de aprendermos harmonizar estes três reinos de nossa natureza.
Temos, assim, três planos vibratórios diferentes, cada um regido por suas leis, embora dentro de relativa autonomia. Os três planos se relacionam entre si, formando uma unidade composta de três elementos diferenciados, constituindo-se, sob o ponto de vista iniciático, no mistério do Trino, Tríade ou Trindade. Essas esferas não são físicas, isto é, não se compõe de qualquer substância palpável ou de tecido. Do Centro Coronário partem sete raios de energia, sete forças que se distribuem pelo organismo humano. Cada raio termina num determinado ponto do corpo, formando um centro de emissão e recepção de energias - os Chakras. 
Através dos chakras é que se recebem as energias do mundo espiritual e que transmitem os anseios da alma. Para nós, no momento, basta conhecermos dois chakras:
o Coronário – da parte superior da cabeça, que alimenta a Força do Doutrinador; 
e o Umbilical - no plexo solar (umbigo), que alimenta a Força do Apará. Tanto o Centro Coronário como os chakras repousam no plano físico, sobre o sistema nervoso. Assim, no plano físico, temos o plexo solar e os vários plexos; no plano etérico do corpo, temos o Centro Coronário e os chakras  o mesmo sistema em dois planos diferentes.
É no Centro Coronário que se originam as manifestações e os registros que calcam a sensibilidade e envolvem no físico sua atuação passada que, refletida no presente, forma a ação da Lei de Causa e Efeito – o Carma. 
Na manipulação das energias, o Centro Coronário emana fluidicamente a alma, alimentando-a com irradiações energéticas, estimulando, vitalizando, gerando o Bem e o Mal, marcando o próprio homem com as conseqüências felizes ou infelizes de seus atos. A condensação das energias produz magnetismo, e pode ser atraída ou repelida, conforme a carga das forças manifestadas. Essa carga pode ser de três naturezas:
positiva (formada por partículas positivas – Anion),
neutra (formada pelo Nêutron)
e negativa (Cátion).
E, conforme a movimentação, recebe o nome de Centrífuga a força que parte de nós para o exterior, e Centrípeta a que vem de fora para nós. A natureza positiva ou negativa da carga é em razão de sua polaridade, e não no sentido comumente usado. Assim, temos o pólo positivo – o Sol, gerando anions, e o pólo negativo – a Lua, gerando cátions. Aprendemos a manipular essas forças e as utilizamos na Lei do Auxílio, corre o risco de adoecer, porque é com seu trabalho e seus sentimentos que alimenta seu sistema nervoso, e essa manipulação de sua energia feita no Centro Coronário era manter o equilíbrio de seus órgãos e realizar curas em seu próprio corpo. Plexo Físico – O Corpo . O plexo físico é a morada da alma.
Por isso, gera o magnético animal, que constitui a força da Terra, a força vital, a força do Jaguar! É na esfera coronária física que as energias pré-existentes na Terra se projetam, sendo assimiladas, transformadas e distribuídas. O corpo é alimentado de duas formas: pelo alimento físico, molecular, que vem através da matéria, penetrando pelos sistemas digestivo e pulmonar; e pelo suprimento energético, que vem do plexo físico através do sistema nervoso, numa fusão de energias da alma e do espírito. É na esfera coronária física que se registram todos os fatos da existência, as heranças genéticas, as resultantes cármicas, as atuações da alma e as elaborações do espírito. Ela depende da compreensão de nós mesmos, de nossas origens, de nossos pensamentos e de nossa inteligência, de como atuamos em nossa vivência.
Essa conscientização leva ao máximo o cuidado que devemos ter com nosso corpo.

estrela_022.gif
“Tudo o que o Sistema Crístico podia fazer para os Homens está feito, já deu a qualquer um a possibilidade de se encontrar consigo mesmo, com sua individualidade.
Quando os Homens preferem inventar novos métodos, vão se afastando da realidade, que é o Sistema. Quando se fala que o Jaguar tem o pé na Terra é porque o Jaguar tem o pé no Sistema, explicado em termos do nosso Sol Interior.
Quando falamos em Sol Interior, estamos falando numa filosofia cristã, e nenhum comentarista ou filósofo cristão comentará esta palavra, porque ela só vai ser encontrada no Evangelho se buscarem o Evangelho Iniciático, isto é, o Evangelho cujo segredo só podemos entender se tivermos iluminação por dentro.
As palavras são iguais para todos, mas alguns enxergam de uma maneira diferente e chegam ao Sistema, se tiverem os pés na Terra.
Entretanto, no Evangelho, tudo se resume na prática destas três palavras, que nós sempre repetimos: Amor, Tolerância e Humildade.
Agora, chegou o momento de saber até que ponto cada um de nós adquiriu a capacidade de perdoar, de tolerar, de ser humilde, de não julgar e de amar, e assim avaliar o ponto a que chegou em termos de amor incondicional!” 
(Tia Neiva, s/d)
“Aqui fizemos uma Lei e, nela, nos complicamos muito. E, por ela, tentamos afirmar aos olhos dos outros o que, na realidade, não sentimos.
A Sociedade nos ensina tudo o que é bom e honesto, porém a maioria não entende a mensagem e começa a pesar o ouro e a prata na balança. E vão abandonando os seus fornecedores, que são o Sol e a Lua, a força energética que nos anodiza e que nos dá a fortaleza para bem assumir nossos destinos cármicos; e desenvolve o poder que está oculto em nós mesmos.
Sim, filho! Se existe um Sol Interior em nós mesmos, que nos anodiza, colorindo nossos pensamentos, é importante saber que, adquirindo o ouro e a prata que não pesa na balança, adquirimos tudo o que realmente precisamos. Inclusive, saber que a Lua representa a prata e o Sol o ouro.
A Lua busca no neutrom as impregnações cármicas e, de conformidade, o seu Sol Interior as vai separando, para que na força centrífuga as afaste, para o seu bem, onde sempre são formadas estas impregnações, doenças, até mesmo obsessões.” 
(Tia Neiva, 3.7.78)

"Porém, o Homem tem igualmente a sua origem. Sim, porque partimos de um só mundo, de uma só natureza.
Dizem os nossos antigos que, ainda na era em que o vento uivava e as frondosas raízes, como tentáculos de um polvo feroz, se salientavam da terra e, na vida, reclamava o Homem o seu calor, foi-lhe concedido o Sol Simétrico da Vida do raciocínio!
Deus atravessou o primeiro raio do raciocínio, formando o plexo primeiro e o segundo, onde a alma se acomodava. O primeiro sustentava o centro nervoso físico - o corpo - que é o poder do prana. O segundo - o PLEXO PRANA - é a vida no centro nervoso, conforme o seu amor ou comportamento, alimentando-se pela Presença Divina, enquanto o plexo etérico rompe o neutrom e sustenta o corpo, a carne.
O Homem vindo de Capela chegou a viver em corpo fluídico, a ponto de fecundação, e nas grandes amacês nasceram os primeiros Homens com o Terceiro Plexo, formando o Sol Interior, que é a formação total do Homem, que forma o elo entre o Céu e a Terra, que é o mais importante: o microcosmo ou micro-plexo.
Por Deus, formou-se o terceiro plexo!
Deus e seus Grandes Iniciados formaram, na Terra, o poderoso Helios, que quer dizer Sol Simétrico, onde o Homem cresceu e se organizou na santa Centelha Divina.
E como tudo é completo neste Universo de Deus, seguiu-se o plexo da vida na natureza, do animal e da planta. Foi colocado o plexo animal.
Surgiu o poderoso ERON, que quer dizer “Sol do Prana”. Eron, conduzido pelo prana, conduz as forças da Natureza, em uma só obediência, para Deus.
Vieram, então, as grandes inteligências. Formaram-se, também, os poderosos sacerdócios. Saindo o mundo da somente Natureza, veio a necessidade da Contagem das Tribos, e elas recebiam o Raio pertencente à sua evolução e sobre suas origens.” 
(Tia Neiva, 19.9.80)
Fonte: Tumarã
Postado por Templo Puemar do Amanhecer

EIXO SOLAR

 O Eixo Solar do Homem é uma espiral de energias que atua de forma perpendicular sobre a cabeça do ser humano, que governa um sistema particularizado e individual - suas esferas coronárias, o seu Sol Interior. Com movimento circular de vórtice, no sentido horário, situa-se diretamente sobre o chakra coronário, agindo de forma a receber e a emitir energias: 
CENTRÍPETAS – Captadas no vórtice central, são forças cósmicas e extracósmicas, emitidas em planos superiores e por Espíritos de Luz, que penetram pelo chakra, passam pelos lobos cerebrais, descem pela coluna, através da medula, e chegam ao Sol Interior, irradiando o ectolítero e, conseqüentemente, compondo o ectolítrio, que vai agir na regulação do padrão vibratório da pessoa pela energização dos seus chakras; e 
CENTRÍFUGAS – São emitidas pelas bordas do vórtice, e emitem o ectolítrio, energia que se forma no ectolítero, desprende-se do Sol Interior e faz uma trajetória muito rápida, mas intensa, por todos os principais chakras, energizando-os e emitindo o padrão vibratório da pessoa. Age como a Kundalini , só que não fica adormecida e, sim, em permanente ação, porém tendo sua natureza e intensidade dependendo do equilíbrio e energização do Sol Interior. 
É preciso, principalmente para realizar um trabalho espiritual, fazer nossa captação de energia. Nenhuma entidade traz uma carga de energia suplementar à que lhe é própria. Ela vem, sim, para trabalhar também com a energia que lhe for proporcionada pelas nossas condições como Médiuns, isto é, pela nossa corrente, da qual somos os elos formadores, que tem imensa importância na realização de qualquer trabalho. Pela emissão, captamos na vertical o que pudermos nos planos espirituais, e alimentamos nosso Sol Interior, para, através do nosso canto, emitindo na horizontal a força recebida, nos tornarmos um elo da corrente e unificar a energia para a realização, em conjunto, de um trabalho. 
Para que isso funcione com mais precisão é bom que sempre, na participação de qualquer trabalho, façamos nossa emissão silenciosamente, acompanhando a emissão do comandante, e, em seguida, o nosso canto, para que possamos nos ligar como elo da corrente que é formada, por ação do nosso Eixo Solar. Com nossa parcela vamos ampliar a energia disponível para a realização, pelas entidades, daquele trabalho. 
É claro que as entidades possuem suas energias próprias e as utilizam, também, para os diversos trabalhos. Assim, um Preto Velho tem sua energia e a usa tanto com a presença, em espírito e em verdade, em um Trono ou, de forma oculta, em uma Mesa Evangélica; e uma Entidade de Cura participa com sua energia própria para a realização da Cura Desobsessiva, mas, sempre, ampliando aquela intensidade com o que pudermos oferecer como elos daquela corrente, transmitindo pelos chakras e pelo Eixo Solar todo o nosso potencial de forças.
VÓRTICE

Imagem relacionada

  
Representação dos canais (nadis) Pingala, Sushumna e Ida (da esquerda para a direita), com a ascensão da energia da Kundalini do chakra básico até o coronário.
Nossa mente trabalha com as mais diversas faixas vibratórias (frequências), até porque nosso corpo foi criado para captar e processar todas essas energias. Esses receptores são os chakras, que só são visíveis por sensitivos (pois ficam no corpo etérico). Eles captam as energias que nos circundam no etérico, astral e mental e, como um transformador, a "convertem" pra um padrão que o corpo possa assimilar. Informações mais "sérias" podem ser encontradas nos livros de Leadbeater e Blavatsky, então vou só falar por alto: chakra (que significa literalmente roda, em sânscrito) é um centro de força, que gira captando e irradiando energia como um vórtice, ou, de forma mais poética, como uma galáxia microscópica.
Muita gente acha que os chakras são apenas sete, como nos diagramas, mas praticamente cada poro do corpo é correspondente a um chakra no corpo etérico (também chamado de "duplo etérico"). Esses chakras são interligados por uma vastíssima rede de canais, chamados nadis, que por sua vez estão ligados às glândulas endócrinas do corpo físico. Os nadis principais são chamados de Ida (Que vai da narina esquerda ao chakra básico. Qualidades: Frio, introspectivo, feminino, Yine Pingala (Que vai da narina direita ao chakra básico. É uma energia ativa, masculina, Yang), por onde descem o prana captado pela respiração (que é o meio mais normal de se abastecer de prana, mas não o único). 
Elas partem de um ponto entre as sobrancelhas e descem pelo corpo até o chakra básico, onde fica em estado latente a energia Kundalini. Muito se fala sobre os perigos da ativação da Kundalini, e não sem razão. É preciso haver uma "maturidade energética" para que o corpo etérico desenvolva o canal Sushumna, que se sobrepõe à coluna vertebral e é por onde vai ascender a Kundalini. Se esse canal não estiver pronto, a energia descontrolada irá subir pelos nadis Ida e Pingala, que não foram feitos para aguentar uma energia tão forte (equivalente a ter energia de alta tensão correndo por fios caseiros) e poderá trazer sequelas, como desarmonia, doenças, e até mesmo a loucura. Além do "corpo", é preciso equilibrar a mente, pois a ascensão da Kundalini simboliza o encontro do Céu com a Terra, a energia Criadora, sutil, Divina, que vêm do chakra Coronário (topo da cabeça), com a energia Criadora e poderosíssima da Mãe Terra: pensamento e ação em perfeita harmonia. Claro que qualquer desequilíbrio provocará um mal.
O excesso de energia sutil poderá atrapalhar o funcionamento do corpo em certas funções, o que é ruim, mas resolvível, enquanto o excesso da Kundalini irá afetar logo a mente, o que é bem mais difícil de solucionar, podendo trazer consequências danosas. É por isso que os verdadeiros Mestres não incentivam o desenvolvimento da Kundalini de forma artificial, e sim pela vivência e aprendizado, pois este é um processo natural (evoluir é o nosso destino, mas cada um a seu tempo).
Imagem relacionada
Na física, o espectro visível da luz é decomposto em sete cores primárias, e o que define essas cores é a sua freqüência de ondas (vibratória).
A frequência mais alta (Violeta) "vibra" com mais intensidade, ou seja, tem movimentos de onda muito mais rápidos (pois o comprimento de onda é mais curto, fazendo com que mais ondas aconteçam num menor espaço de tempo). O inverso é verdadeiro para a frequência mais baixa (Vermelho). Sabemos que, quanto mais rápida é a velocidade das moléculas, mais sutil e sem forma (amorfa) se torna a matéria. Tomemos o gelo, por exemplo, que tem uma velocidade de moléculas mais baixa do que a água líquida, e esta, por sua vez, possui uma velocidade/freqüência mais baixa do que a das moléculas do vapor. Na metafísica também é assim, muito embora não possamos definir em termos científicos a faixa de freqüência onde opera cada chakra simplesmente porque o mundo espiritual não é (ainda) algo que seja mensurável, seja com experimentos diretos ou indiretos.
Os chakras "decodificam" cada um uma certa freqüência de energia (e cada uma delas é necessária ao bom funcionamento do corpo), e o que os clarividentes vêem são cores, numa escala análoga a das notas musicais. Então, por exemplo, o chakra que trabalha com as energias mais densas (Muladhara) fica na parte inferior do corpo, e vibra na cor que podemos perceber como vermelho.


Vejamos todos os chakras principais, da freqüência mais alta até a mais baixa:




Cor...................Posição............Nome Sânscrito........Tradução............Bija Mantra

Violeta.............Coronário.............Sahashara.........Lótus Mil Pétalas.....Sem Mantra
Índigo...............Frontal.................Ajña ou Agnya......Comando.................OM
Azul Celeste.....Laríngeo..............Vishuda.................Purificador..............HAM
Verde...............Cardíaco...............Anahata..................Inviolável.................YAM
Amarelo...........Plexo Solar.....Manipura ou Nabhi....Cidade da Jóia........RAM
Laranja.............Umbilical.............Swadsthana.........Morada do Plazer.....VAM
Vermelho.......Base da Coluna.....Muladhara.............Raiz/Suporte.............LAM




Resultado de imagem para Kundalini.

O prof. Wagner Borges explica:
No corpo físico há órgãos especializados para cada sentido: os olhos, para ver; os ouvidos, para ouvir; e assim por diante. No campo astral, entretanto, não é esse o caso. As partículas do corpo astral estão fluindo e girando constantemente, como as da água fervente: em conseqüência, não há partículas especiais que permaneçam continuamente em qualquer dos Chakras. Pelo contrário, todas as partículas do corpo astral passam através de cada um dos Chakras. Cada Chakra tem a função de despertar um certo poder de resposta nas partículas que fluem nele; um dos Chakras faz isso com o poder da visão, outro com a audição, e assim por diante. 
Conseqüentemente, nenhum dos sentidos astrais está, estritamente falando, localizado ou confinado a qualquer parte do corpo astral. É, antes, o conjunto das partículas do corpo astral que possui o poder de resposta. Um homem que desenvolveu visão astral usa portanto qualquer parte da matéria de seu corpo astral para ver, e assim pode ver igualmente os objetos que estão à frente, atrás, acima, abaixo e de ambos lados. O mesmo se dá com todos os outros sentidos. Em outras palavras: os sentidos astrais estão ativos em todas as partes do corpo.
Não é fácil descrever o substituto da linguagem por meio do qual as idéias são astralmente comunicadas. O som, no sentido comum da palavra, não é possível no mundo astral - não é possível, aliás, mesmo na parte mais alta do mundo físico. Não seria correto dizer que a linguagem do mundo astral é a transferência de pensamento: o máximo que se poderia dizer é que se trata da transferência de pensamento formulada de maneira particular. 
No mundo mental, um pensamento é instantaneamente transmitido à mente de outro sem qualquer forma de palavras; portanto, nesse mundo, a linguagem não é o que importa, absolutamente. Mas a comunicação astral fica, por assim dizer, a meio caminho entre a transferência de pensamento do mundo mental e a fala concreta do mundo físico, ainda é necessário formular em palavras o pensamento. Para esse intercâmbio é necessário, portanto, que as duas partes tenham uma linguagem em comum.
AURA

Imagem relacionada

Todo ser vivo é composto por células cujas partículas atômicas possuem cargas eléctricas que geram um campo magnético próprio, sensível a impulsos electromagnéticos e outras influências externas, a que se denomina AURA (ou “Força X”) , como a conhece a moderna Medicina, ou “Energia Bioplasmática”, (da Parapsicologia). (Veja PADRÃO VIBRATÓRIO).
A Aura é uma emanação luminosa que cerca o corpo físico, normalmente em forma de um ovo em pé, tendo cerca de 45 cm em sua parte mais larga (pela emissão do Sol Interior), composta de várias cores, cujas tonalidades e intensidade indicam o estado de saúde física e energética do indivíduo - suas energias áuricas.
É um campo magnético que nos envolve, gerado pelo que emitimos através do nosso Eixo Solar, dando proteção e filtrando as vibrações que nos rodeiam. Varia de tamanho, densidade e coloração conforme as forças eletromagnéticas de cada um. Sua formação depende do prana  e dos chakras, e pela aura se pode aferir a carga energética do médium de modo científico, sem depender de alguém com poderes de vidência.
São individualizadas e, portanto, diferenciadas as emanações de energia dos seres vivos que se refletem na aura, através das cores, concentrações e formas, representando ganhos, perdas ou alterações energéticas.
Existe um aparelho simples – o Aurameter –, muito utilizado na Parapsicologia, que permite verificar a polaridade e intensidade da aura, bem como das emissões dos chakras, propiciando o ajuste através da mentalização e energização do chakra que estiver negativo.
aura é, assim, a verdadeira imagem energética de uma pessoa e revela seu nível de elevação espiritual. As primeiras experiências desenvolvidas pela Ciência Quântica, já numa tecnologia bem avançada, foram demonstradas pelo processo Kirlian, na União Soviética, hoje difundidas por toda a Terra.
Além da consciência, de sua energia mental, existem factores que interferem no campo energético: a necessidade da evolução pelo desenvolvimento mediúnico; a memória e registros transcendentais; o sistema próprio de crenças e verdades; as vibrações de campos energéticos de outras pessoas e de ambientes; a influência de drogas químicas, medicamentos e hábitos alimentares.
A textura da aura indica o carácter da pessoa, enquanto a forma e a cor revelam sua saúde e condições emocionais. Na pessoa enfraquecida ou debilitada energeticamente, sua aura ficará opaca, até mesmo escura, propiciando que vibrações negativas impregnem sua aura, fazendo com que o médium capte energias pesadas, tornando sua presença desagradável e permitindo que cargas negativas cheguem aos seus chakras, aumentando, cada vez mais, sua desarmonia e desequilíbrio.
Quando estamos bem, equilibrados e sadios, temos uma aura grande, clara, com colorido suave. Uma aura cristalina e limpa permite excelentes vibrações e emissão pura de ectoplasma, bem como recepção plena de prana.
Assim, de acordo com suas reações emocionais e seu carácter, cada um de nós determina a estrutura e a coloração de sua aura. Em experiências científicas, o Conselho Britânico de Cores catalogou colorações da aura, chegando a 1.400 tons de azul, 1.000 de vermelho, 1.480 de castanho, quase 100 de verde, 55 de laranja, 26 de violeta e quase 20 tons de branco, demonstrando o excepcional número de combinações que pode envolver a coloração da aura.
Nas figuras representando anjos e santos, do Catolicismo, podemos observar auréolas luminosas sobre suas cabeças, que representam as auras iluminadas dos seres superiores.
aura nos protege de acordo com sua estrutura, que é decorrente do nosso padrão vibratório. Por isso Koatay 108 sempre nos dizia que nosso padrão vibratório e a nossa sentença!
O Doutrinador, ao fazer entrega de um sofredor, deve ter a preocupação de estender bem os braços para cima, mentalizando um portal de desintegração - a elipse da Estrela Candente ou da Mesa Evangélica - para que aquele espírito passe fora de sua aura. Se não fizer isso, pode acontecer de aquela energia se projetar em sua própria aura, causando-lhe sérios transtornos.
Pesquisadores concluíram que os tecidos doentes mostram, sempre, uma aura turva, enquanto o tecido sadio está com sua aura límpida, e há casos que apresentam pequenas modificações - manchas ou turvações - em auras de pessoas sadias, indicando que havia um mal em formação. Com o passar do tempo, a doença se instalou no corpo físico, demonstrando que a maioria de males físicos têm sua origem na desestruturação dos campos perispirituais.
A aura é nossas identidades físicas, psíquicas e morais. Se nos conduzimos dentro da conduta doutrinária, com amor e dedicação na Lei do Auxílio, teremos uma aura luminosa e colorida. Se nos deixamos levar por quedas do padrão vibratório, sem tolerância, envolvendo-nos em ambientes onde se fazem presentes conflitos, palavrões, agressões, pensamentos negativos, deprimentes, doentios, e onde se praticam violências e imoralidades, nossa aura vai-se adensando e escurecendo, indicando nossa queda vibracional.
Se nos tornarmos misericordiosos e alegres, buscando o contato com pessoas felizes, com ambientes saudáveis, procurando ajudar aos irmãos que estejam passando por dificuldades, desequilibrados por suas dores e aflições, podemos ter nossa aura límpida e colorida vivamente, atraindo Espíritos de Luz para nos ajudar em nossa jornada.

PLEXOS 

Resultado de imagem para CHAKRAS

Plexos são os pontos onde os nervos se cruzam, os terminais dos feixes nervosos que se comunicam com os chakras e por onde emitimos e recebemos as vibrações energéticas.
No nosso corpo, o mais ativo é o plexo solar, situado um pouco acima do estômago, que capta e emite a maior carga de ectoplasma , embora essa ação se desenvolva em maior ou menor intensidade em todos os chakras e, por conseguinte, plexos de nosso corpo.
O Homem compreende três grandes plexos: o plexo físico - o corpo; o micro-plexo - a alma; e o macro-plexo - o perispírito. Todos vistos separadamente neste trabalho.
Quando está harmonizado e em seu constante desenvolvimento, o médium começa a perceber o mecanismo de seus plexos, que é individual e de acordo com seu nível vibracional, passando a clarear sua mente, a ter sensações agradáveis, sentindo-se mais alegre e mais leve, com aumento de seu potencial energético.
Pelos plexos se fazem as comunicações do corpo com o espírito, de forma sutil, pois não se podem definir nem estabelecer claramente as fronteiras entre os três plexos
- corpo, alma e perispírito.
estrela_022.gif
Meu filho Jaguar, Salve Deus!
Há um desagregar de forças, cuja força pode ser boa ou não dependendo do pensamento, dependendo da Conduta Doutrinária.
O Homem pode fazer o que quiser (eis o perigo), na força absoluta que cura é que, também pode prejudicar. Por exemplo, no Homem que tem força mediúnica e que muita coisa não deve saber: Duas pessoas que  lhe vibram, pessoas a “ele” entrelaçadas por determinações cármicas. Essas pessoas ficam entregues aos seus                                                         destinos e ele, a vítima, é atingido, virando a arma (sua própria força) contra si mesmo.
Todo o trabalho do Homem parte de sua mediunidade e surge do seu Sol Interior. Consciente ou inconsciente, parte do seu Sol Interior. Todos nós temos um Sol Interior. Por exemplo: se a minha Conduta Doutrinária é uma conduta respeitável e tenho bons pensamentos, eu fico na presença das pessoas e elas vão relaxando. Depois de tirar todas as tensões, eu começo a desagregar o meu plexo!... Vou levando, também, pelo meu relaxamento ou sabe Deus como, pois não sei explicar muito os meus fenômenos. Sei apenas alguns truques para fazer esta desarmonia.
E vou me desarmonizando... Penso nas coisas que aquelas pessoas à minha frente gostariam de possuir... Ligeiras preces (preces do pensamento, não canto), até que eu sinto que as moléculas do meu plexo se deformaram. E como sabemos que “elas” se deformam? Sabemos porque sentimos vontade de sair dali... ligeiros cansaços... As pessoas vão melhorando... É ligeiro, menos de meia hora. Este é o instante em que podemos dizer: ESTOU EM HARMONIA COM O MEU PLEXO, POIS SINTO QUE ESTÁ HAVENDO DEFORMAÇÃO, ESTOU PARA O BEM.
Quantas pessoas estão harmonizadas em suas vidas profanas, seus plexos não se deformam e vem o perigo de desencarnarem e serem enterradas com o micro-plexo preso ao plexo físico! Quando o Homem desencarna e é enterrado nestas condições, fica o espírito inconsciente, ali mesmo pelo cemitério, até que a benção de Deus... Salve Deus!
Meu filho Jaguar, o charme é a Presença Divina Na Terra.
O charme não volta, ou seja, as energias que compõem a sua formação, não têm retorno ao seu ponto de partida ou à sua origem. O charme protege o Homem demais, é a força que sustenta o corpo, se espalha no corpo físico (é subcutâneo), logo depois da primeira pele. Quando desencarnamos, sai do corpo físico, igual a uma “fumacinha”, em forma espiral e fica próxima do mortinho. Após o seu enterro fica ali pelo cemitério.
Quando conseguimos “subir sem dívidas”, quando manipulamos todo este charme, ele é, então, levado pelos Mentores para a cura daqueles que mais necessitam. Quando eu desembarcar, alguém, passando por onde eu passei, poderá receber a cura, uma graça. Nos planos espirituais dirão: É compreensível, ela passou por ali e manipulou todo o seu charme.
O corpo físico é ornamentado pela Herança Transcendental, o mesmo que charme. Quando fazemos as consagrações estamos justamente buscando as nossas heranças.

Meu filho Jaguar, antes de prosseguir nos assuntos reservados para esta carta, quero lembrar-lhes que nem toda força que desagrega é tudo de bom, como no exemplo do plexo. Existem em nós forças em pontos vitais que quando desagregam é tudo de mal. Lembre-se do interoceptível e das forças incríveis que desagregam quando nos desequilibramos. Não preciso explicar. É tudo de mal.
Meu filho, como Espíritos Encarnados, somos: Corpo Físico, Alma e Perispírito.
Em Função de cada uma dessas constituições existe Um Plexo, assim distribuídos:
Corpo físico, plexo físico:  copo físico é composto por partículas atômicas... Um grupo de átomos constitui a molécula e as moléculas reunidas formam o corpo. O plexo físico, ou plexo nervoso ou plexo vital, é um universo em miniatura, condensado em células vivas. É o plexo mais dinâmico das nossas emoções que governa os nossos desejos, é o mais coerente com a vida na Terra: nascimento, vida e morte. Este plexo tem por obrigação emitir vitalidade aos outros dois, que são o micro e macro-plexos, que falaremos a seguir.
Observamos, então, à luz desse conhecimento, que é o plexo físico a base principal de recepção e emissão das energias dos diversos planos e é o plexo responsável pela redistribuição dessas mesmas forças ao micro a ao macro-plexos.
Alma. o micro-plexo: a alma, o pequeno corpo, é posicionada em nosso corpo físico entre a cintura e a nuca. É a alma o corpo sanguíneo do Espírito... Se revela pelos nossos pensamentos, é quem recebe e emite as vibrações. É a alma a sede dos sentimentos, este Eu, o núcleo central das decisões. É na alma onde vive a minha individualidade transcendental, a emitir a minha personalidade transitória...
O perispírito, o macro-plexo: Perispírito... essa forma é Deus, é energia luminosa de ação e reação... é o invólucro do corpo, uma forma inorgânica sensível, sua espécie é dolorosa, e é o perispírito que projeta a nossa roupagem, ou nossa indumentária, ou seja, pelo pensamento.... por um conjunto de atrações provocadas e convergidas pela mente... pelo pensamento... emitem impulsos aos perispírito que molda, cria a sua roupagem, ou sua indumentária, mesmo no caso do espírito sofredor, que tem o perispírito apagado. Tanto no invólucro terrestre quanto no invólucro astral, temos a saber que o perispírito é o mais importante, o mais poderoso, não é tocado pelos nossos desejos, está sempre presente e não se inflama. É o mais significativo em razão de suas células. É o perispírito que emite a alma. É independente dela, se movimenta, atrai, comunica.
É o perispírito que retém, guarda conserva a modalidade adquirida durante a nossa vida na Terra. O perispírito é a sede da evolução, ou seja, no perispírito fica o Registro Da Evolução Do Espírito.
Meu filho Jaguar, analisemos, agora, com mais profundidade o plexo físico, o micro-plexo e o macro-plexo como se fossem três formas de vidas diferentes e separadas.
 Porém, não devemos nos esquecer que  OS TRÊS ESTÃO EM UM, pegando como exemplo o átomo, que é formado pelo ânion, cátion e nêutron. Quando atinjo um objeto, não atingi o ânion ou cátion ou o nêutron, separadamente, mas, sim, o átomo. Impossível separá-lo.
O ectolítero fica entre os três plexos. É o Sol Interior que emite para os plexos - corpo físico (plexo físico), alma (micro-plexo) e perispírito (macro-plexo).(Falamos aqui no espírito na sua condição de encarnado).
O espírito humano, ou o espírito em sua condição de encarnado, é simplesmente um espírito revestido por um corpo físico, com sua força subdividida pelo plexo físico e micro-plexo, e que, ao desencarnar, simplesmente se liberta do corpo, seguindo o curso natural de sua evolução.
Quando o espírito desencarna, fica o plexo físico, e vão o micro-plexo e o macro-plexo, que vão se apurando... Apurando, até que o espírito se torna divino e conquista o terceiro plexo: PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO - SANTÍSSIMA TRINDADE ou CHAVE DO VERBO DIVINO(Falamos aqui no Espírito fora da matéria, em sua vida além física).
Salve Deus!
Com Carinho,
A Mãe em Cristo Jesus.


CHARME

Salve Deus!
Sem ter a pretensão de humanizar as energias manipuladas em nossa doutrina, nossa intenção é tornar esse conhecimento mais fácil de ser entendido. Sabemos que nunca alcançaremos a totalidade dessas informações, mas vamos palmilhando a par e passo o que a Clarividente nos deixou, e usando a mediunidade que nos é facultada buscar os canais espirituais do entendimento para servir melhor nesse mestrado sem ter a pretensão de ser o portador de qualquer verdade.
Uma das coisas que muito ouvimos falar é a centelha divina... charme, centelha extra-etérica.
O que sabe se desse assunto é que esta energia abriga o sopro divino ou a vida. Esta energia vem dos mundos espirituais abriga as informações do futuro espirito,aqui na Terra essa força é soldada no feto no terceiro mês de gestação é alimentada durante toda existência do encarnado, e quando este desencarna essa força fica na Terra e pode servir como cura espiritual quando as atitudes do encarnado foi boa. Tia Neiva nos diz que é como uma fumacinha que fica pairando acima do corpo onde ele foi sepultado. Também é uma espécie de ponte para que os cobradores possam nos alcançar, e constitui elemento de composição da personalidade e que resulta na mudança de roupagem de oitenta em oitenta dias.
Considerando que temos aqui de dezenove a vinte uma encarnações, é evidente que estivemos no mesmo numero de encarnações em locais e povos diferentes. Neste “estar” , construímos famílias, amizades, tivemos inimigos e também amigos, por tanto estabelecemos um laço de ligação entre essas personalidades. Dessa relação com certeza temos cobradores e possivelmente obsessores, elítrios e também amigos espirituais que estamos ligados por laços afins.
Entre as indagações que se faz em nosso meio doutrinário, uma as mais intrigantes é o caso da cremação. Como pode um cobrador encontrar o charme de alguém que tornou seus restos biológicos, mortais em cinzas... Mas nossa Doutrina é também Ciência. Tia Neiva sempre falou do átomo e sua constituição, falou da energia e suas variadas formas, da modificação estrutural de moléculas, da desintegração das substancias e consequentemente de sua reintegração em vários planos e dimensões.
Quando ela fala do charme, ou centelha extra-etérica, mencionou partículas químicas, atômicas. Mesmo o corpo levado ao solo se decompõe depois de muito tempo, torna-se nutrientes. Mas a energia que é o charme indestrutível. Portanto mesmo no processo da cremação essa energia continua a existir. E outro fato a considerarmos é que essa energia permanece perto do ambiente em que viveu aquele espirito, é setorizada. Esta é uma suposição mais próxima que podemos encontrar e que não é de forma alguma a expressão da verdade.
Vinte quatro horas antes do desencarne o corpo físico já começa a desprender o charme, o espirito ao ficar por cima do corpo em posição invertida vai absorvendo lentamente essa energia , a medida que vai se aproximando do corpo.
Durante os sete dias em que se fica na Pedra Branca, o charme também é o referencial para que o espirito possa ao voltar a Terra encontrar o seu veiculo, ou o corpo que deu a ele a oportunidade de cumprir sua missão.
É um assunto complexo que precisamos buscar as intuições que é um legado do Doutrinador para entender e compreender as energias que nos cercam. Tia Neiva nos mostrou o caminho.
 O Doutrinador é o farol que brilha na escuridão. Nós outros Doutrinadores, precisamos confiar mais nos poderes confiados pela Clarividente, temos um desafio enorme pela frente. Mas a honestidade doutrinária de grandes Mestres que hoje ainda labutam em nossa doutrina nos Templos do Amanhecer e no Templo Mãe são ainda...
A ultima esperança de nossa Mãe...(palavras dela)quinta-feira, 7 de julho de 2011.



estrela_022.gif
O Charme, Fagulha Divina ou Centelha Divina é a nossa herança transcendental.
O ectolítero, membrana energética que envolve e separa as três esferas do Sol Interior  e onde tem origem o ectolítrio, permanece com as energias resultantes das ações que foram praticadas por aquele espírito enquanto encarnado, e contém o charme, que é a energia cármica que permanece junto à matéria, após o desencarne.
A aderência do espírito ao corpo é mantida pelo perispírito, pela energia da fagulha divina impregnada pelas características da vida que foi levada por aquele ser enquanto encarnado.
A fagulha divina, a centelha extra-etérica que liga o espírito ao feto, no 3º mês de gestação, começa a ser desprendida 24 horas antes da morte clínica ou física. Os Médicos do Espaço, que fizeram a ligação, trabalham na liberação. Livre, o espírito se projeta pelo chakra laríngeo ou da garganta, e se coloca em posição invertida ao corpo, isto é, com sua cabeça sobre os pés do corpo, ficando em posição bem elevada. Logo, começa a baixar lentamente, sugando o magnético animal do corpo, carregando-se com todas as energias de tudo que realizou naquela encarnação.
A energia que havia servido como “solda” fica no cadáver, passando a se chamar charme. Quando desencarna, o espírito segue sua jornada, mas, junto ao corpo que retorna à Terra, aquela energia - o charme -, permanece, com o aspecto de uma fumaça em espirais, passando por lentas transformações que irão depender de como aquele espírito que a deixou segue sua evolução.
Dependendo de sua carga, o charme poderá servir como energia curadora ou alimentar obsessores.
Por cerca de onze meses terrestres, quando se inicia o plano reencarnatório de um espírito, este percorre, acompanhado por seu Mentor, os lugares onde viveu suas encarnações anteriores, balizadas magneticamente pelos charmes que deixou. Pela energia destes charmes, o espírito escolhe sua mãe, seu pai, sua família, os amigos e os inimigos, e, até mesmo, a forma de seu desencarne. Prevendo as próprias vacilações, ele escolhe um futuro amigo e protetor que irá ajudá-lo em sua nova jornada.
O sucesso ou o fracasso de uma encarnação vai depender muito destes charmes, de como o espírito irá manipular as energias cármicas deixadas por ele.
De 80 em 80 dias, mudamos nossa roupagem , vivemos outras eras, em condições determinadas pelos charmes correspondentes que deixamos. É pelo charme que os nossos cobradores nos descobrem e nos identificam.
No caso de um cadáver ser cremado, o charme permanece no local onde estiverem as suas cinzas, uma vez que é energia e não é destruído pelo fogo, sendo, dessa forma, mantido como se estivesse no local de decomposição de um corpo.

estrela_022.gif

“O espírito entra no corpo e é invisível, no plano físico, porque não tem charme. Não tem charme antes do contato com a carne.
O charme é um átomo, uma energia que se refaz na Terra, na vibração da Terra, do aroma das matas, das águas...
charme é uma energia. Por exemplo: se um disco, uma amacê, desgovernar-se em direção à Terra, não irá cair como um avião e, sim, ficará se balançando a cerca de mil metros acima da faixa da Terra, porque não tem charme, átomos... Não sei bem, pois as entidades não me dão uma resposta decisiva!
A amacê não cairia na Terra. Os espíritos não podem pisar na Terra. Aparecerem, sim; pisar na Terra, não! Afirmo, por isso, que nenhum disco baixa na Terra e leva passageiros, espíritos encarnados. Impossível!
O plexo físico é que traz a vibração, forma o charme e liga o espírito ao feto. O plexo físico é formado por energias do próprio planeta Terra. Por exemplo: o aroma das matas frondosas, das cachoeiras...
É o charme que se refaz das têmperas das pedras, do lodo, das campinas, dos mares...
Somos a centelha divina do Verbo encarnado...
Verbo encarnado, verbo luminoso!"... 
(Tia Neiva, 11.6.84)
O charme é a Presença Divina na Terra.
charme não volta, ou seja, as energias que compõem sua formação não têm retorno ao seu ponto de partida ou à sua origem.
charme protege demais o Homem. É a força que sustenta o corpo, espalhando-se no corpo físico (é subcutâneo), logo depois da primeira pele.
Quando desencarnamos, sai do corpo físico e, igual a uma fumacinha em forma espiral, fica próximo ao “mortinho” e, após o seu enterro, fica ali pelo cemitério.
Quando conseguimos subir sem dívidas, quando manipulamos todo esse charme, ele é levado pelos Mentores para a cura daqueles que mais necessitam.
Quando eu “desembarcar”, alguém, passando por onde eu passei, pode receber a cura, uma graça.
Nos Planos Espirituais dirão: é compreensível, pois ela passou por ali e manipulou todo o seu charme!
O corpo físico é ornamentado pela herança transcendental - o mesmo que charme.
Quando fazemos as consagrações estamos justamente buscando as nossas heranças!” 
(Tia Neiva, 9.10.84)
“Todos nós temos a centelha divina que vem do além de Deus. Esta centelha é o charme. É, também, o nosso Sol Interior, herança transcendental vinda dos grandes Sívans, poder absoluto que traz, na Terra, os poderes da encarnação e da reencarnação. Poder, também, da reintegração e desintegração.
É um poder perigoso para aqueles que não conhecem os raios da descarga magnética cósmica nuclear! 
Venho ensinando que o Homem recebe de Deus, para sua encarnação, a centelha divina.
Saindo de uma estufa, onde faz a sua cultura, ele vem até a Terra, onde escolhe a sua mãe. Volta, e recebe a centelha divina, que é uma energia extra-etérica que nos sustenta, no nosso plexo, até a nossa volta e que vai enterrada junto ao corpo físico, sempre zelado por alguém.
Ora sai dali, ora fica ali mesmo, até que o dono possa voltar à Terra e começar a recebê-la para as curas de suas enfermidades e de seus entes queridos. Isso quando o Homem foi bom - automaticamente ele vai recebendo.” 
(Tia Neiva, 28.1.85)
Publicada por Cristiano Patricio
estrela_022.gif
CHARME OU CENTELHA DIVINA


Salve Deus!
Se existe um assunto delicado, complexo e ao mesmo tempo cativante é sobre o Charme.
Para podermos falar sobre esse assunto é necessário algumas considerações, o que é, o que representa e qual é sua função.
Para ciência, oficialmente o ser humano é composto de células perfeitamente organizadas funcionalmente e regido pelo cérebro. Então temos no ser humano um sistema biológico físico e outro emocional ou psicológico.
Para nossa doutrina além desses dois aspectos temos ainda a alma,períspirito e o espirito. Sendo que o ser o humano além do sistema físico e psicológico há outro ainda mais importante que é o espiritual.
A ciência diz que os seres vieram de uma longa caminhada evolutiva. Há algumas linhas de pensamento que atribui essa evolução de descarga cósmicas, cujas centelhas elétricas deram origem ao Acido-Ribonucleico contido nos vírus, e o ácido desoxirribonucleico que formam o DNA elemento orgânico que contem as informações dos seres e que são passados de gerações a gerações no processo evolutivo.
Das formas amebianas ao homem de Pequim, Sinantrophus pekineneses há aproximadamente 400.000 a 800.000 anos de Cristo, também chamado de homem erectus; essa cadeia Darwiniana se rompe no que a ciência chama de Elo perdido que é justamente a definição do ponto que limita o ser humano dos primatas, do homo sapiens.
Fugindo a essa questão cientifica nossa doutrina nos diz que nossa história, enquanto seres conscientes, (diga-se consciência de ser e estar) perde-se nos corredores do tempo, e nos fala de seres vindos de Capela chegaram ao planeta Terra para fazer a cultura dos habitantes que aqui haviam. Porém esses seres não tinham o terceiro plexo, ou plexo físico. No conhecimento que esses seres tinham foi necessário constitui-los desse plexo físico. Vieram equipados com um plexo físico adaptado para as condições severas do planeta e seus habitantes. Tanto animais quanto seres humanos que aqui haviam.
Houve uma miscigenação entre essas raças a qual fez com que os Capelinos perdessem suas heranças celestiais e assumem as humanas ou terráqueas. Na Gênese de Moisés encontramos uma referencia desse fato:
“E Viram os filhos de Deus, que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si de todas que escolheram, lhe nasceram filhos, que são os gigantes ou Neflins da antiguidade”.
Então o Charme ou Centelha Divina como elemento acolhedor de informações que dão origem a personalidade é tão antigo quanto o ser humano.
Segundo Tia Neiva, enquanto o individuo está encarnado o Charme está localizado logo abaixo da pele e ele sustenta o homem. Durante a vida do homem, o Charme retém as informações de sua existências, suas atitudes , se boas ou más.
Após o desencarne o Charme ou Centelha Divina não volta a sua origem. No local onde o homem é enterrado ele paira por cima da sepultura como se fosse uma névoa branca. Se as ações daquele homem foram boas, os médicos do espaço a utilizam para a cura. Também quando alguém passa por onde a pessoa viveu e recebe uma cura a própria espiritualidade atesta aquela cura, pois é a afirmação que aquela pessoa soube manipular suas forças ou charme.
É através desse Charme que os nossos cobradores nos encontram e é realizado o reajuste. Em cada encarnação o ser humano acumula informações e experiências na sua jornada na busca da evolução de seu espirito. Cada encarnação é conduzindo pelo espirito essas experiências da personalidade. Como afirmava o primeiro Mestre Sol, Trino Tumuchy, a alma é a sede de nossas emoções. A Alma, a psique, pisicossoma , acumula informações a partir do nascimento. No quarto mês de gestação a centelha divina. O Charme é “soldado” ao feto, ali estão registradas todas as informações necessárias para que o espirito cumpra aquela encarnação. A espiritualidade criou um mecanismo perfeito para essa cobrança. Por isso, num período de oitenta a oitenta dias, muda se a roupagem do encarnado, ou seja, ele vive uma de suas vinte uma encarnações, permitindo assim, que ele faça o reajuste cármico ou transcendental com cada espirito que ele feriu ou ferido.
Quando falamos em charme estamos falando o mesmo que heranças transcendentais, e são as consagrações que nos permite alcançar essas heranças.
Porém, sem o Charme e os plexos seria impossível alcançar a realização e os reajustes transcendentais. Desses plexos, o plexo vital emite energia para alimentação e sustentação dos outros dois... Micro e Macro plexo.
A Alma ou micro plexo é a sede dos sentimentos, ela recebe e emite as vibrações, registras as emoções. A alma recebe, alberga e emite a individualidade transcendente e é através da alma que reside o centro de nossas decisões. Tem força imensa e é atraída pelas coisas materiais.
O macro plexo é o molde espiritual que dá forma ao espirito, ele determina a roupagem é condutor das energias que migram entre a alma e o espirito. O macro plexo guarda todas as informações adquiridas pelo plexo físico e o micro plexo. Poderíamos fazer uma analogia comparativa dizendo que A alma seria as velas do navio, o corpo físico toda a estrutura física do navio e macro plexo ou períspirito o leme e o timão.
É intocável, atua na linha evolutiva da razão.
Muito embora, haja três plexos, como no exemplo acima, reagem e atuam em conjunto. O corpo humano é um organismo biológico constituído por estrutura celulares orgânicas revestidos de uma alma (micro plexo) e do períspirito (macro plexo), o plexo físico é deteriorável, porém, os outros dois são formados por uma estrutura morfológica etérica, cuja constituição, estão livres das amarras do corpo físico caminham sem espaço e sem tempo. O espirito sofredor tem seu macro plexo apagado, segundo Tia Neiva.
Terminando: O Charme é colocado a partir do terceiro mês de gestação e fica ligado ao encarnado até que a missão do ser neste terceiro plano esteja concluída,quando os médicos do espaço cortam essa ligação. O corpo físico sem a assistência ou energia desta centelha divina definha e deixa de ser funcionar ,cessando o que chamamos de vida orgânica . Num ciclo continuo, não eterno conduz o espirito a sua origem evolutiva colonizada.
Gilmar
Adjunto Adelano
Publicada por Cristiano Patricio
FLUIDO MAGNÉTICO




Tudo nesse mundo é energia  e, por conseguinte, vibra em determinada freqüência, emitindo essas vibrações dentro de um padrão com as características intrínsecas deste ser, seja ele mineral, vegetal, animal ou humano.
O Homem, pela condição de ter um plexo preparado nos Planos Espirituais, emite o ectoplasma  e tem muito ampliada sua capacidade de emissão vibracional. Na Natureza, dentro de uma escala que não tem ainda bem definidos seus limites pela deficiência de nossa sensibilidade, começamos com o fluido magnético mineral, que vem sendo muito explorado ultimamente pelo uso de cristais, principalmente nos chakras, para utilização de suas vibrações no equilíbrio energético do Homem. É uma energia densa, como a que invocamos nas Contagens, quando pedimos a energia das grandes cordilheiras silenciosas, e as manipuladas pelo Povo das Rochas, as Rochanas, nos trabalhos do Templo.
Fortes, porém menos densas, são as energias das águas, manipuladas pelo Povo das Águas, das cachoeiras, dos rios, dos lagos e dos mares. Com densidade menor, temos o fluido magnético vegetal, o aroma verde das matas, os florais, os produtos homeopáticos, as raízes e medicamentos normalmente usados para restabelecer o equilíbrio energético do Homem, que é a sua saúde. É amplamente manipulado pelos Caboclos das Matas .
Já com densidade menor, com ampla freqüência vibratória, temos o fluido magnético animal, que é utilizado amplamente nos trabalhos feiticistas e macumbas, onde o sangue e as vibrações da angústia da morte são usados para satisfazer a carência energética de exus e outros espíritos do Vale das Sombras.
Estudos modernos demonstraram variadas alterações vibracionais nos animais e nos vegetais através de diversas experiências. As plantas demonstraram modificações ao serem queimadas ou cortadas outras que estavam perto, podendo ser avaliado um comportamento de medo. Harmonizaram, também, ao serem colocadas em ambientes onde havia música suave.
Com animais, têm-se muitos exemplos de formas adiantadas de inteligência e sentimentos. Uma coelha apresentava alterações vibracionais cada vez que matavam um de seus filhotes, colocados a milhares de quilômetros de distância, em um submarino russo que estava submerso em local não revelado, em horários não previamente combinados.
Assim, os três reinos da Natureza estão integrados em todo o Universo vibracional, irradiando, absorvendo e modificando padrões vibratórios.
Cabe ao Jaguar descobrir e conhecer as diversas características do mundo que o cerca, sabendo manipular em seu próprio benefício e em benefício dos seus irmãos, encarnados e desencarnados, todo esse maravilhoso conjunto de forças provenientes dos fluidos magnéticos mineral, animal e vegetal que agem e interagem em seu Sol Interior .
Não se fala em ectoplasma a não ser para a emissão do fluido magnético animal do Homem.



Chuva de luz


Nenhum comentário:

Postar um comentário