sábado, 18 de março de 2017

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

estrela_016.gifestrela_016.gifestrela_016.gif
estrela_016.gifestrela_016.gifestrela_016.gif







ESTRELS.gif (17939 bytes)


POR TIA NEIVA
VALE DO AMANHECER   

                                                   
ESTRELS.gif (17939 bytes)

calice01.gif (16325 bytes)


PARTIDA EVANGÉLICA


Meu filho Jaguar, Salve Deus!
Meu filho e mestre Jaguar, a grandeza de Deus não tem limites. Vamos agora falar um pouco das coisas que Deus nos proverá neste Ciclo para uma nova era. Devo dizer querido filho, que eleve seus componentes e saiba regê-lo. É árdua a minha missão de Koatay 108, porém nem por um instante abandono meu filho a caminho de Deus, como todo jaguar.
Meus mestres adjuntos, nos turnos das Falanges Missionárias: é com amor que convocamos esta falange, para apresentação obrigatória dos relatórios, que me darão de suas ninfas missionárias, me fazendo a mãe mais feliz deste universo. Meu filho, sob a grandeza de Deus, você reforçará mil vezes a harmonia da cura e, teremos êxito ao lado do Cavaleiro da Lança Vermelha. Como sabes, ele é o Cavaleiro da Cura Desobsessiva, dos cegos, dos mudos e dos incompreendidos. Só Deus o grande Deus, nos daria afirmações tão claras nessa missão, nesse sacerdócio. A missão de Koatay 108 vai brilhar por todo este Universo.
Quantas vezes, vendo uma filha missionária com indumentária trazida do céu, bem vestida fisicamente, porém, em seu íntimo despida de compreensão e, de qualquer esclarecimento de seu sacerdócio. Mesmo que ela não tenha aprendido, fica livre a minha consciência, pois não deixei de ensinar. Saiba filho; “abandonei a Unificação com a minha presença física porque vocês jaguares têm as suas mentes afinadas comigo e, também, com o meu estado de saúde”.
Meu filho, muitas vezes as suas tolices de pensamentos me atingem em cheio, mesmo com todo este acervo que você tem. Mas o meu amor é tão grande, que mesmo nos mundos por onde ando mundos eternos, onde as razões se encontram, onde caem os falsos preconceitos, o simples “chorinho” de um jaguar “mal amado”, me desperta onde quer que eu esteja. Veja: quinta feira ouvi um filho a se lamentar: ”mãezona”, sei que a senhora esta doente, mas não tenho a quem apelar. Mentalizei, era um dos meus filhos. Além de o abandonarem... seu lamento me atingiu o coração, não a mente. O Grande Morgano me perguntou:
“Por que filha, ele não a procurou, se é consciente e sabe que você esta aqui?”- porque é mal amado, respondi.
Rimos do mundo sem evolução dos falsos preconceitos. Quem estaria certo neste mundo e no outro? Semelhante atrai semelhante. Por essa e muitas outras razões eu não reparto vocês, realmente não reparto vocês.
O fato é que a dor não tem sobrenome, não se especifica, chama-se apenas dor. Vejam; chegou um homem forçando me ver, falar comigo. Vocês não imaginam o que o levou a me procurar. Este homem está atravessando uma dor milenar. Só Deus sabe se, esse homem esperou séculos para reencontrar aquela dor. E, assim se Deus o permitir...
Nessa doença, pude observar o mestre Tumuchy que, mesmo inconsciente, já resolve problemas. Não se preocupem com uma dor a mais ou a menos, para mim é uma só. Já vi uma mãe chorando a morte de um filho, já vi uma “mal amada” chorando a falta de um amor que saiu embriagado e não voltou. A dor era a mesma. A mãe recebeu de Deus as bênçãos pelo filho que partiu, e se conformou. A abandonada pelo embriagado continuaria sua dor, até que seu cobrador lhe desse trégua.
Vamos recordar as palavras de Pai Seta Branca em sua mensagem de 31.12.80: 
Jaguar, meu filho, alertai! Poderás caminhar em praias desertas, sem te encontrares com um irmão... Poderás atravessar um castelo sem te encontrares com o dono que te deu o endereço... (...) O Homem é uma entidade espiritual que só pode ser feliz conhecendo o caminho de volta ao seu lar espiritual, de sua origem, o seu reino, a personalidade em Deus. O processo para se voltar ao Supremo é um ramo de conhecimento diferente e é preciso aprendê-lo no Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo!” 
Filhos, agora eu quero a vida evangélica; vamos agora fazer algumas renovações e enfrentar as coisas que eu nunca tive oportunidade de fazer. Quero uma nova distribuição de Mestres para um curso evangélico. Teremos novas instruções para estes mestres e irei formar novos instrutores, para o desenvolvimento de médiuns a caminho das iniciações. Estes terão que adquirir conhecimentos evangélicos. E se tratará de Jesus, ou da sua vida. Serão conhecimentos de precisão, com mestres escolhidos com muito amor. Quero Jesus o caminheiro, quero Jesus o Nazareno, quero Jesus redivivo, quero Jesus de Reili e Dubali. Eu não gosto que falem de Jesus crucificado. Quem somos nós para entrarmos nesse mérito? Jesus crucificado ao lado do bom ladrão. Na maioria, os homens só dão valor a Jesus por ter sido crucificado e, muitos já querem também, se libertar do Jesus crucificado, dizendo que Ele tinha corpo fluídico. Não é verdade: Jesus passou por todas as dores do homem físico da Terra.
Como já disse acima, eu não gosto que falem em Jesus crucificado, porque poucos entendem, poucos sabem a sua dor. Sabemos que Ele olhava para o Céu e estava perto de Deus, naquele grande cenário. Porém olhando para baixo, sentiu-se entristecido ao ver o regozijo dos planos inferiores, a incompreensão daqueles que o olhavam sofrer na cruz. Jesus chorou porque subindo tão alto, deixou seus irmãos na individualidade, eles ainda não acreditavam que era realmente o Messias, obedecendo às leis de Deus Pai Todo Poderoso. Exato: os homens há pouco lhe permitiam tudo, pensando ser Ele um rei, mas igual um rei neste mundo físico.
Entramos com a filosofia de Mãe Yara, que nada é obrigatório. O povo daquela época, não raciocinava como se aquela atitude de Jesus fosse de humildade, raciocinava sim, como se fosse uma falta de força. Continuando com a filosofia de Mãe Yara, até hoje Deus não nos quer obrigar às doutrinas.
O homem só tem confiança no outro, quando o vê com uma força maior. Longe estavam de sentir Jesus e então nos diz Mãe Yara: o homem deixa sua grande força e vai buscar outra força, uma pessoa que às vezes não promete nada. Assim, ele não permite que seu sexto sentido faça uma análise do seu Sol Interior, nos três Reinos de sua Natureza, rejeitando, na sua vida, a busca do que é seu.
Jesus veio com todo aquele sofrimento e deixou que cada um analisasse por si mesmo em sua própria filosofia. O que eu quero é que vocês se conscientizem em Jesus, no seu amor que era tão grande. Foi tão grande, é tão grande, e veio para nos mostrar que a felicidade não é somente neste mundo.
Meu filho jaguar! Num mundo de provações, mundo onde as razões ainda se encontram a cada dia nos afloram novos pensamentos novas lições. Porém, os planos espirituais, ainda não conseguiram apagar as imagens de Jesus crucificado. Aqui no plano físico, desde quando foi escrito o Santo Evangelho, seus ensinamentos são iguais e, até hoje ninguém se atreveu a mudá-lo.
Meu filho, o homem ama pela força perceptível e receptível. Ninguém acredita na ressurreição dos mortos e, sim, na ressurreição do espírito vivo, mais alto que o Céu. O homem só quer crer nas alturas acima do seu olhar.


Resultado de imagem para nossosenhor jesus cristo

Filhos estamos no limiar do I I I Milênio e temos que “afiar nossas garras”. É hora da religião, do desintegrar das forças e, não podemos esquecer um só momento da figura de Jesus o Caminheiro e seu Santo EvangelhoE, para que sejamos vivos ao lado de Jesus, temos que respeita-lo em todos os sentidos e no sentido religioso, temos que respeitar as tradições. Porque a religião, filho, exige o bom propósito moral e social. Assim é a única maneira que podemos dizer: “vivemos num mundo onde as razões se encontram”.
Meu filho Jaguar, filho querido do meu coração. No descortinar da minha mediunidade, minha instrutora Mãe Yara, não me deixou cair no plano de muitos, e advertia a toda hora. Podia sofrer, mas Mãe Yara e Pai João não me deixavam sem aquelas reprimendas. Não tinha importância que eu sofresse, desde que a obra seguisse seu curso normal e eu fosse verdadeira. Em 1958, eu estava no auge de minhas alucinações, como diziam as demais pessoas que me conheciam. Quando eu trabalhava na Novacap, um dia me sentei num restaurante, porque me distanciara de casa. Estava conversando com três colegas e falávamos sobre a Novacap onde trabalhávamos. Entramos no Maracangalha, um restaurante da Cidade Livre, trouxeram uma travessa com bifes, por sinal muitos, e era sexta feira da paixão. Eu tinha o princípio da Igreja Católica, não levei em consideração, e coloquei um bife no prato. Naquele instante (na vibração e na desarmonia em que eu vivia), ouvi uns estampidos, e era Mãe Yara. 
“Filhadisse ela: continuas como era. Já estás tão desajustada que te esqueces dos princípios da Igreja Católica Apostólica Romana? Alerta-te, cuida dos teus sentimentos. O dia de hoje representa, em todos os planos, os mesmos sentimentos por Jesus crucificado. Em todos os planos deste Universo que nos é conhecido, sentimos respeito. Filha está na hora, devolves o teu bife para a travessa do restaurante”.
Eu estava na companhia de três pessoas, como já disse e, vi que não comiam carne. Eles ainda não acreditavam em mim, entre a mediunidade e a loucura.
“Coma amanhã” – continuou Mãe Yara – “não irás mais festejar as incompreensões, as fraquezas daquele pobre instrumento que foi Judas”... 
Nos relatos bíblicos, Judas Iscariotes, que integrava o grupo de apóstolos de Jesus, foi o responsável por entregar Cristo aos soldados que o levaram para ser crucificado. Judas indicou Jesus com um beijo no rosto. Pela traição, o apóstolo recebeu 30 moedas de ouro. A passagem bíblica marca um dos maiores casos de traição da história da humanidade e, por isso, faz os cristãos, anos após ano, reviverem a cena.
Apesar da prática de “malhar o Judas” ser totalmente divergente dos ensinamentos de Jesus, que pregavam o perdão acima de tudo, muitos ainda mantém esta atitude nefasta, talvez como forma de extravasar suas próprias frustrações com as traições já vivenciadas.
Tia Neiva, certa vez, comentou sobre isso, pois alguns dos meninos do orfanato, seguindo as tradições de suas famílias, queriam “fazer um Judas e dar cabo dele”. Com muita paciência e explicações próprias para crianças, impediu tal ato.
Para os médiuns, no momento propício falou sobre Judas também:
Meus filhos, este espírito, Judas, até hoje, quando se aproxima a Semana Santa, é colocado em uma redoma de proteção, encapsulado, para não sofrer com as terríveis vibrações emitidas pelos encarnados na Terra. É um espírito evoluído, cumpriu um triste papel, mas sequer pôde encarnar novamente, pois as vibrações são muito intensas. Até mesmo agora, em espírito, estas vibrações poderiam enlouquece-lo, por isso a Espiritualidade o protege em especial nesta data.
Tia também deixou por escrito, em 27 de abril de 1.983 a seguinte passagem tratando de Judas:
Naquele instante comecei a pensar, começaram a passar por minha cabeça as imagens de Judas, que vendeu Jesus por trinta dinheiros. No entanto Mãe Yara, alheia aos meus pensamentos, continuava a sua narração. Judas não foi um traidor, foi sim um supersticioso. Na sua incompreensão, acreditou ser Jesus um ser político. Judas tivera grandes oportunidades de conhecer Jesus, pois o acompanhava desde a sua chegada do Tibet. Nesse período como nos já esclarecera Mãe Yara anteriormente, Jesus passou dos 12 aos 30 anos nos Himalaias, para onde fora levado com a permissão de Maria e José seus pais. Lá Ele fora iniciar-se junto às Legiões em Deus Pai Todo Poderoso e formar o que hoje conhecemos por Sistema Crístico, nos mundos etéricos. De lá Ele voltaria para o início da sua tarefa doutrinária evangélica. Foi quando Jesus chamou aqueles humildes pescadores para serem pescadores de almas. E que viriam a ser em número de doze, estando Judas entre os escolhidos; junto a Jesus, Judas sofrera humilhações nas sinagogas, quando os Rabinos voltaram às costas para Ele... Em fim, quantas lições recebidas...Fenômenos testemunhados...Mas só os pobres e os miseráveis o conheciam analisava Judas em sua incompreensão, já cansado das perseguições daquela época, e pensando que ao forçar um confronto entre Jesus e os homens que o perseguiam, Jesus com um simples olhar colocaria por terra toda aquela gente. Pensava assim força-lo a usar os seus poderes e ser realmente o rei do mundo. Lembrou-se também de quando foram convidados por Jesus para o acompanharem e que o dia estava ruim para pescar, e o amado Mestre atirando a rede sobre as águas e a trazendo cheia de peixes. Em fim, Judas não acreditaria que o Grande Mestre passaria por todas aquelas humilhações. Porém, não foi assim: o que viu foi Jesus ser amarrado e a pontapés ser levado à presença de Pôncio Pilatos... Não foi remorso, foi um grande arrependimento, uma grande dor, de não haver compreendido a grande missão de Jesus que o levou, chorando, pensando, a enforcar-se. Formou-se um temporal, o céu escureceu como escureceu a sua alma. Porque vamos rir, festejar a sua grande desgraça?
(Tia Neiva em 27/04/1983).
Creio que nada resta a comentar sobre este fato. Algumas vezes vemos relatos de que “fulano foi Judas”, e até cheguei a ler uma postagem de um mestre que se intitulava o Judas reencarnado... Salve Deus! Fica claro que pelos olhos que Tia Neiva jurou a bem da verdade: Judas não reencarnou.
Kazagrande


Meu filho, entre os diversos conceitos da Igreja que nós respeitamos e, como se tornou uma tradição em todos ou quase todos os sacerdócios, digo: nós não comemos carne às quintas e sextas feiras da semana santa, nós respeitamos esses conceitos. Eles não nos atrapalham em nossa vida evangélica. E respeitamos as tradições da Igreja Católica que foi a base de todas as religiões.
Veja até onde vai à superstição do homem. Veja o que aconteceu quando um grupo de mestres distribuía suas forças e poderes de magia, de sábios conhecimentos permitidos por Deus. Todos já ouviram falar em homens que recitavam a vida dos outros, que levantavam móveis, enfim, realizavam uma série de fenômenos que não vamos entrar no mérito agora. Um desses homens muito sábio sabia que levantava móveis, podia até fazer voar a sua tenda, mas viu que não curava a si mesmo, que as curas eram muito relativas. Ele tinha uma enorme ferida na perna e sabia que existiam muitas espécies de mediunidades, de forças. Sim, existem muitas espécies, e para ser mais prática; como sendo: o Doutrinador, o Ajanã, que tem força universal, tem uma espécie de força de cura para perturbações do espírito ou limpeza das vidas materiais e é assim também com outros “tipos” de curas.
Sim, falamos em força universal, esta expressão está sendo mal atribuída ao nosso tempo. Os Pretos Velhos falam em força universal e, muitos pensam que ter esta força é ter duas mediunidades. Não é verdade. A força universal é de um médium (digamos um doutrinador) com uma espécie de força que cura todas as enfermidades. Veja isso, num Apara, distribuindo bem a sua mediunidade. No homem é bem distinta essa força. O velho sábio supersticioso tinha força universal, mas não acreditava na força do carma. E aquela ferida nada era do que a voz do seu carma. Então o velho sábio soube de um homem que curava e, se encaminhou para ele. Não sabia ele que, ali na sua tenda, estava sob a regência da Lei de Auxílio e, sua perna ali mesmo recebia as gotas do “Prana”. O velho sábio incrédulo à sua própria força, partiu ao encontro do famoso curador. Era longe, no caminho a sua perna doía, as gotas de “Prana não o encontrando na tenda, voltavam.
 Com muitas dificuldades chegou até lá, e qual não foi sua surpresa dolorosa!? A casa do curador estava cheia de outros sofredores como ele, ali também lhe pedindo a misericórdia da cura. Neste instante o velho curador dele se aproximando, exclamou Meu Deus! Eu estava com uma ferida na perna morrendo de dor, pensando em ir atrás do velho sábio de Venal, e ei-lo que chega! Eu já estou curado, já cicatrizou a ferida, graças a Deus estou bom! Oh! Graças me foram dadas, meu mestre de Venal, que lhe posso ser útil?
O nosso velho sábio, olhando de um lado para outro pensava: havia se preocupado somente com a sua própria dor... É verdade filho! Cada fracasso de nossa vida nos ensina o que necessitamos aprender. Ajude a todos sem fazer exigências, confiando primeiramente nessa força que vive dentro de você. Sim filho! Porque a fé em você mesmo afirma a sua personalidade. Volte-se para si mesmo. Resolva os seus problemas sozinhos. Escolha os seus amigos. Com a sua mente calma, poderá sentir os seus instintos, a sua capacidade, onde você poderá chegar e vencer a si mesmo. Conhecemos a vida quando conhecemos a morte. Então o velho sábio, levantando as mãos exclamou: Oh! Meu Deus! Me perdoe por duvidar da minha própria força e, envergonhado, sem coragem de olhar para o céu, e sentir o olhar de Deus, se abraçou à sua força e pediu ao velho curador que trouxesse toda aquela gente para atende-lo se aproveitando do “Prana”. Enquanto isso passava por sua mente: Oh! Deus Pai Todo Poderoso, seja feita a sua santa vontade, deixe que doa a minha ferida, que eu me levante do meu orgulho de sábio a caminho de Deus, daí-me forças para que eu possa curar, não tire a minha ferida. Quando viu, as pessoas já estavam curadas, e ele também curado, caminhava.
1983! Somos presidentes Triadas, Trinos Herdeiros Administração, Trinos regentes, somos Adjuntos Trinos, Adjuntos, Adjuntos Rama 2000, somos Comandantes Adjuntos, Adjuntos Koatay 108, Triadas, Adjuntos Regentes, somos 7º Raios, 5º Yurês em Koatay 108, Ninfas a caminho de Deus, somos Magos Adjuntos Autorizados. Pertencemos ao quadro dos Ramas 2000, que fecham o ciclo iniciático do III Sétimo. Nós meus filhos, estamos em alto conceito nos Oráculos de Obatalá e Oráculo de Olorum.
Meus filhos, é chegado a hora de movimentar nossa força, temos um Sol Interior. Somos remanescentes de Amon-Rá e, portanto, temos que viver na Simetria desse Sol. Não podemos nos afastar do que é nosso, não podemos absolutamente trabalhar inseguros. Viemos de um mundo onde as razões se encontram e, a grandeza dessa Corrente Mestra é a segurança de uma verdade sã e pura, onde estamos, aqui neste mundo, vivemos todo este acervo, não é para buscar provas ou coisas que valham. Provamos com perseverança e com fenômenos espontâneos trazidos pelos nossos mentores.
Filho, passamos o tempo de brincar, vivemos sob a aura da natureza, respiramos o seu aroma, sentimos que somos diferentes da constituição dos demais. Deus conhece Deus, nos revelou um grande sábio no 3º sétimo. Filho, a vida de Deus é a nossa vida, e com ele vibramos com amor e integridade. Filho, é chegada a nossa hora, estamos pisando no Limiar do III Milênio. Sei é que seremos nós os primeiros a socorrer a pressão provocada pelos fenômenos que virão que surgirão. Sim que surgirão de muitos planos da Terra, no horizonte das águas e, também luzes, mil luzes que juntas a nós, nos ajudarão. A vida filho se tornará além das nossas forças, das nossas dores.
Não se esqueça filho, da multiplicação do seu coração, não cresça em si mesmo. Procure sempre ser pequeno para caber no coração dos demais. Cuide de si mesmo: o homem é e sabe que está evoluindo, quando deixa de se preocupar com os mal feitos do seu vizinho.
Com carinho a Mãe em Cristo Jesus.
Tia Neiva.
Vale do Amanhecer, 27 de Abril de 1983.



ESTRELS.gif (17939 bytes)

  AMAI-VOS UNS AOS OUTROS 
COMO EU VOS TENHO AMADO


Tu és uma pessoa muito importante, principalmente para mim! Tu trabalhas, corres daqui para acolá, te banqueteias, cantas e te dás a muitos prazeres, mas nunca me chamas. Ficas triste e depois te alegras, mas não me agradeces. 
Segues a trilha da Vida, subindo e descendo escadas, mas não te preocupas comigo. Tens ganho muitas coisas na Vida e tens fechado as mãos para mim. 
Tu sentes amor, ódio, sentes tudo, menos a minha presença. Tu te achas uma pessoa perfeita, mas não te desgastas por mim. Teus sentidos funcionam em perfeita harmonia, mas não são canalizados para mim. Estudas tanto e não me entendes; ganhas e não me ajuda; alegra-te, mas não em mim. Aliás, eu não tenho tido participação em tua vida! Tu te dizes uma pessoa tão inteligente e quase nada sabes a meu respeito. 
Reclamas dos momentos difíceis, das atribulações, mas não reconheces os tempos bonançosos que te tenho dado. Se enfrentas um problema, reclamas de mim; mas se vives despreocupadamente, não reconheces que isso procede de mim. Se estás triste, me culpa por isso; mas, se estás alegre, não me deixas participar de tua felicidade. Tu falas de tanta gente importante que nunca fez nada por ti, mas não falas de mim, que fiz tudo por ti! 
Gastas energia em tantas coisas, mas gastá-las para mim seria um desperdício... Por quê? 
Sabes pormenores da vida de homens que sempre usaram a força bruta para concretizar seus intentos, mas desconheces aquele que sempre usou a força do amor para conquistar os corações. Tu te sujeitas aos homens cruéis, mas não queres fazer o que te peço com toda a humildade! Queres ser uma pessoa próspera na vida, apagas a luz dos mais fracos para que a tua brilhe mais. 
Entretanto, se fracassas, descarregas tua ira contra mim! Os prazeres da vida te fascinam sobremaneira, e por isso não tens tempo nem para morrer e nem para pensares em mim... Sempre me procuras por último. Se resolves me dar alguma coisa, acabas me dando o resto de tudo. Por quê? 
Tu corres atrás de uma coroa de glória e te esqueces de que, por tua causa, carreguei uma de espinhos! Buscas entender tantas filosofias mas muito pouco conheces da mensagem que preguei e que realmente é o que liberta o Homem. Tu te apegas tanto a este mundo e te esqueces de que tudo isso passará. Apenas aquilo que o Homem faz para mim perdura para sempre! Levas uma vida de derrotas por desconheceres a vida abundante que emana de mim. Tu julgas muita gente e vês defeito em tudo. Eu conheço a tua maneira de agir, sei  o que fazes e pensas. Sim, eu vejo tudo! Tu obedeces ao teu chefe, que lhe causa tantos dissabores, e não ouves a minha voz  quando te falo do meu amor. 
Quando precisas, quando te encontras perdido em um labirinto, sabes dirigir-te a mim, chamando-me de Senhor, mas não me obedeces e nem pretendes fazê-lo. Muitas vezes já ouvi afirmares que não existo. Mas, no íntimo, tens medo de mim. Sei que, em alguns momentos, gostarias de te agarrar em mim, mas teu orgulho não deixa!
Tranquilo, fico sereno, com minha mão estendida. Tu lutas por teus ideais, sendo até capaz de morrer por muita coisa, mas se gastares apenas uma gota de suor por minha causa ou a meu serviço, achas que estás fazendo demais e alardeia teu feito. 
Participas de reuniões onde meu nome é injuriado e não me defendes. Ouves piadas indecentes com o meu nome e também dás gargalhadas. Nunca te fiz mal algum, mas tens vergonha de pregar o meu nome. Quando estás sedento, buscas tantas fontes que já estão secas... por que não vens a mim, beber da Água da Vida? Na verdade, tens corrido atrás do vento... 
Eu te convido a correr para os meus braços! Eu fiz o Universo e fiz o Homem! 
Sou tão grande que preencho o mundo, mas posso habitar em teu coração. 
Tu és um corpo no Universo - eu sou o Universo em teu corpo! Eu sou o caminho, a verdade e a vida - EU SOU JESUS! Estou te aguardando... És muito importante para mim!..
Quando nas horas de íntimo desgosto, o desalento te invadir a alma e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-me: Eu sou aquele que sabe sufocar-te o pranto e estancar-te as lágrimas! 
Quando te julgares incompreendido dos que te circundam e vires que em torno há indiferença, acerca-te de mim: Eu sou a Luz, sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus sentimentos! 
Quando se extinguir o teu ânimo para arrastares as vicissitudes da vida e te achares na iminência de desfalecer, chama-me: Eu sou a Força capaz de remover as pedras do teu caminho e sobrepor-te às adversidades do mundo! 
Quando inclementes te açoitarem os vendavais da sorte e já não souberes onde reclinar a cabeça, corre para junto de mim: Eu sou o Refúgio em cujo seio encontrarás guarida para teu corpo e tranqüilidade para teu espírito! Quando de faltar a calma, nos momentos de maior aflição, e te      considerares incapaz de
conservar a serenidade de espírito, invoca-me: Eu sou a Paciência que te faz vencer os transes mais dolorosos e triunfar nas situações mais difíceis!  
Quando te debateres nos paroxismos da dor e tiveres a alma ulcerada pelos abrolhos da vida, grita por mim: Eu sou o Bálsamo que cicatriza as chagas e te minora os padecimentos!  
Quando o mundo te iludir com suas promessas falazes e perceberes que ninguém pode te inspirar confiança, vem a mim: Eu sou a Sinceridade que sabe corresponder à franqueza de tuas atitudes e excelsitudes de teus ideais! 
Quando a tristeza e a melancolia povoarem o teu coração e tudo te causar aborrecimento, chama por mim: Eu sou a Alegria que insufla um novo alento e te faz conhecer os encantos do teu mundo interior!  
Quando um a um fenecerem teus ideais mais belos e te sentires no auge do desespero, apela para mim: Eu sou a Esperança que te robustece a fé e te acalenta os sonhos! 
Quando a impiedade se recusar a  te revelar as faltas e experimentares a dureza do coração humano, procura-me: Eu sou o Perdão que te levanta o ânimo e promove a reabilitação do teu espírito! Quando duvidares de tudo, até de tuas próprias convicções, e o ceticismo avassalar tua alma, recorre a mim: Eu sou a Fé que te inunda de luz e entendimento e te habilita para a conquista da felicidade! Quando já não provares a sublimidade de uma afeição terna e sincera e estiveres desiludido dos sentimentos de teu semelhante, aproxima-te de mim: Eu sou a Renúncia que te ensina a olvidar a ingratidão dos Homens e a esquecer a incompreensão do mundo!
Quando, enfim, quiseres saber quem sou, pergunta ao riacho que murmura, ao pássaro que canta, à flor que desabrocha, à estrela que cintila, ao moço que espera e ao velho que recorda... 
Meu nome significa  AMOR, o remédio para todos os males que atormentam o espírito...          
Meu nome é Jesus Cristo !


ESTRELS.gif (17939 bytes)


CARIDADE


A caridade é a soma de todas as boas qualidades de um indivíduo m da suavontade de servir. Na Doutrina do Amanhecer, o maior objetivo é servir, dentro da Lei do Auxílio, sem pretender pagamentos ou retribuições de qualquer natureza, nem mesmo agradecimentos pelo que pudermos fazer. Nossa recompensa por nossa caridade não será neste plano, embora muitos problemas materiais serão aliviados ou cortados em decorrência de nossa atividade na Lei do Auxílio, através dos bônus que recebemos.
Saber nos aproximar de alguém que necessite auxílio, compreender suas aflições, abrir o coração, sem julgamentos ou preconceitos, e tentar ajudar, respeitando sua individualidade, fazendo com que ele perceba novos caminhos ou novas alternativas para solucionar seus problemas - essa a nossa obrigação fundamental como Jaguares.
Nas palavras de Jesus, aqueles que se dedicam à execução de seus atos de amor ao próximo, irão passar à direita de Nosso Pai, sendo reconhecidos  “pelo perfume de caridade que espalham ao seu redor!”
 Sempre há necessidade de ação, de vontade de servir, para fazer o bem. A inércia e a negligência muitas vezes não fazem mal, mas jamais farão o bem. A caridade é como as árvores do caminho, que não recusam sua sombra e seus frutos a quem quer que seja.
Sem julgamentos, sem ambição, sem preconceitos, o Jaguar deve fazer da caridade a resultante da união do amor, tolerância e humildade. A caridade só existe pelo amor ao próximo. Quando trabalhamos com amor, nossa força magnética animal é impregnada de amor, e alcança o espírito sofredor profundamente, resplandecendo em sua mente e em seu coração, provocando o choque energético de que precisava para se deslocar, sendo auxiliado pela Espiritualidade.

Ser caridoso não é só dar uma esmola. É procurar ajudar, efetivamente, aquele que precisa, seja no plano físico ou material, seja no plano etérico ou espiritual. Ninguém é tão pobre que não possa dar, nem tão rico que não precise receber!
“A potência de quem busca, honestamente, servir a seus irmãos não tem limites. E quando dormimos, cansados, pensando - pensando, com amor, em servir a alguém -, nos transportamos e saímos, pelos planos espirituais, em seu socorro”.
(Tia Neiva, s/d)
“O importante é quando saímos para servir. É a única tribo que trabalha fora do corpo. Quando chegamos perto de um espírito desequilibrado, com a nossa energia nós o ajudamos!” 
(Tia Neiva, s/d)
“Os nossos destinos cármicos têm exigido de nós momentos de grandes sofrimentos. Mas, confiantes, vamos prosseguindo em nossa caminhada, em busca de mais evolução e das realizações que desejamos. E somente pela dedicação, cheia de amor de nossas vidas, na Lei do Auxílio, é que conseguimos aliviar nossos momentos cármicos. Com nosso trabalho espiritual podemos nos evoluir e dar tudo de nós. É curando as dores de nossos irmãos que curamos nossas dores e sofrimentos. Jesus lhe conceda  o entendimento e a sabedoria para que esta mensagem seja para você  um caminho seguro e aumente o seu entusiasmo nesta sua jornada. Que, em todas as horas, esteja o seu espírito possuído de paz interior. Estamos preparados, cheios de forças e energias, para a perfeita execução dessa tarefa doutrinária, para o ajustamento das mentes e a perfeita harmonia do nosso universo. Vamos manter nosso padrão vibracional elevado e equilibrada nossa mente para podermos irradiar a tranqüilidade e a paz, e para que, com o poder do nosso espírito, possamos curar e iluminar a todos. Cultive em seu coração o amor, a alegria, o entusiasmo, para que, em todas as horas, esteja pronto para emanar e servir na Lei do Auxílio!” 
(Tia Neiva, 9.4.78)


ESTRELS.gif (17939 bytes)


JESUS  O CAMINHEIRO
 O DIVINO E AMADO MESTRE



Assim estava escrito: "... A lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo" . Ele era chamado de o Messias, o Salvador, o Filho de Deus. Sua mensagem marcou o curso da civilização Ocidental, ainda que o Mestre Nazareno, acima das colinas do mundo, sereno e inalterável através dos séculos, não tenha sido considerado por alguns como a Imagem, a Pessoa do Cristo interno.
Foi conhecido na Galiléia como o filho de José
Disse-lhe Natanael: "Pode vir alguma coisa boa de Nazaré ?" Disse-lhe Felipe: "Vem e vê". Eles olhavam para o Filho de Deus.
Muitos se maravilhavam com seus milagres mas poucos seguiram seus magníficos exemplos. Mesmo nos dias de hoje sua promessa é infalível: 
"Aquele que crê em mim, também fará as obras que eu faço, e as fará maiores que estas, porque eu vou para meu Pai." 
Vem e vê. Jesus Cristo é a "imagem expressa" da Pessoa de Deus, o arquétipo da identidade de Deus no homem. Conhecido pelos discípulos como "O Verbo," Logos, "Deus ação,"- Ele é o infinito amor/ sabedoria/poder do Espírito "feito carne".  João, o Evangelista explicou que "tudo foi feito por ele, e sem ele não existiria nada" . O amado discípulo aprendeu de seu Mestre que Deus, o Pai, através da Imagem do Filho criou a Identidade Crística como a Luz de cada filho e filha, e então ele registrou essa verdade no primeiro capítulo de seu evangelho sabendo que apenas aqueles que são da Luz e nascidos do Espírito poderiam entender este profundo mistério da sua co-herança com Cristo.  João Batista, enviado por Deus para anunciar a sua vinda, também proclamou seu testemunho, sendo nossa própria voz, "... E todos nós recebemos também da sua plenitude, graça por graça". 
Jesus de Nazaré é a personificação daquela Palavra que pôs a lei de Deus no íntimo do seu povo e escreveu-a em seus corações. Jesus, o filho do homem, identificado com a perfeição do Cristo universal, o Filho de Deus, porque nele habita corporalmente toda a plenitude da Divindade . Vemos nele a individualização da chama de Deus ­ a perfeição de Deus manifestada como homem. Este é o mistério da Encarnação. Este mesmo mistério Deus nos revelaria se e quando confessássemos que o Cristo Nele é o Cristo que também está em nós. Realmente, ele é o Caminho do potencial Crístico que vive como a Luz embrionária dentro de cada criança de Deus. "Ali estava a Luz verdadeira, que ilumina todo homem que vem ao mundo"
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.". 
Jesus gloriosamente demonstrou a plenitude do único Filho ­ o Cristo que vem na Pessoa do Eu Real de cada filho e filha de Deus. O único Filho é a Segunda Pessoa da Trindade, aquela porção da Divindade com a qual o Todo-Poderoso dotou cada um dos seus servos filhos e filhas. A sublime demonstração de Jesus desta verdade é a porta aberta para recebermos a salvação através do seu nome. E então, amados, vocês também foram enviados ao mundo para se tornarem  o Cristo.

O reino que ele proclamou era e é a consciência do Cristo ­ a consciência do Ser como Cristo ­ individualizado em você e em mim. Ser testemunhas na verdade deste Cristo interno, este Ser Real, é a finalidade do nascimento de Jesus e a mesma causa por que você ­ uma alma nascida com a mesma Imagem Crística, o mesmo Espírito vivente ­ veio ao mundo. E "... a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome."
Jesus é o Grande Exemplo que provou que existe uma ciência, uma geometria, uma matemática baseada no amor, por meio da qual nos levantamos, fitamos e conquistamos as imposições do ego humano e as limitações da mente consciente.
"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Jesus Cristo"
Troque a água da consciência humana no vinho do Espírito. Expulse os cambistas do templo da igreja e do estado. "Sede vós pois perfeitos".
Como? Comunhão total, Jesus disse. Oração contínua. "A vida divina é abundante, e a oração torna possível a sua realização" Jesus declara, enfatizando que "a natureza do Pai está no Filho. Este também em todos, agora e sempre". Jesus fala diretamente àqueles que questionam a prática da oração, que é contínua. Ele explica que "quando elevamos nossas mãos na busca da fé e consentimos que o firme propósito da prece contínua atue, estamos abrindo a porta para a perfeita compreensão que transcende todo senso mortal de limitação."
Jesus Cristo demonstrou a vida abundante e a ascensão como uma realização ­ uma aceleração da consciência. É o cumprimento da lei natural da transcendência; tal e qual o Criador através da sua criação está sempre transcendendo a si mesmo, cada filho de Deus deve transcender também os limites da sua auto-expressão. Como Paulo disse:
"Pois convém que isto, que é corruptível, se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista de imortalidade" 
A ascensão é salvação ­ auto-elevação por obras, pela graça. É um caminho não somente de Jesus Cristo, mas de sua própria Mãe Maria, João, o Amado, Gautama e Maitreya, Moisés, Maomé, Zoroastro, Confúcio, e muitos dos profetas de Israel.
Alguns destes mestres ascensionados são reconhecidos pelo historiador Toynbee como "os grandes benfeitores da humanidade". Muitos outros incontáveis permanecem incógnitos, desconhecidos, embora imortalmente livres. O caminho da sua ascensão é a reunião da sua alma com a Presença individualizada de Deus, o EU SOU O QUE EU SOU. Alguns chamam esta flamejante Presença do EU SOU de o núcleo do átomo do ser, outros simplesmente de "a Amada". Seu retorno a essa Realidade, essa Essência, é a meta da sua vida. É a missão de cada filho e filha de Deus. É para isso que a chama de Deus é individualizada, fazendo-a sua para sempre. "Aquele que me serve deve seguir-me", Jesus disse, "e onde eu estiver" no céu da consciência Crística universal , "ali estará também o meu servo".
Os verdadeiros ensinamentos de Jesus Cristo ­ os princípios nas parábolas, freqüentemente mal traduzidos, mal interpretados, ou intencionalmente alterados ­ são agora trazidos às nossas lembranças pelo Espírito Santo, nas pessoas dos mestres ascensos. Ao se tornar um com Jesus Cristo na sua consciência Crística universal, ao receber o batismo pelo fogo, ao nascer de novo para a vida eterna através dele, vão hoje antes do povo do Senhor, numa grande nuvem de testemunhas, até o seu Fogo Sagrado ­ o mesmo ontem, hoje e sempre .
Nesta era, assim como em eras passadas, eles eram descritos como "anjos" ou "homens de Deus" através de quem a palavra do Senhor veio; os mestres ascensionados falam ao profeta, ou mensageiro, transmitindo a palavra da verdade que é o Consolador Prometido.
Dezenas de milhares de pessoas crentes em Deus atualmente reconhecem os ensinamentos dos mestres ascensos como o elo perdido na psicologia da alma, sim, na sua compreensão da mensagem prática da vida e exemplo do Salvador Jesus Cristo:
Que eles façam também a vontade de meu Pai, façam as obras que eu faço ­ curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios: de graça recebestes, de graça daí. E eles sabem que isto é possível somente sob o Cristo, ­ o mesmo Cristo de Jesus a quem eles aceitaram como seu Salvador pessoal. Através de sua testemunha Mark L. Prophet, o mestre ascenso Saint Germain escreveu em seus “Studies in Alchemy” do ministério de Jesus Cristo como ele divulgaria este conhecimento aos seus discípulos hoje:

"Há dois mil anos, quando Cristo caminhou sobre as águas do mar da Galileia, sua demonstração constituiu uma manifestação da lei natural da levitação, atuando dentro de uma estrutura energética de coesão, adesão e magnetismo - princípios que tornam possível o voo orbital. Os átomos de luz que compõem o corpo do Cristo absorveram, segundo a sua vontade, uma quantidade adicional de raios cósmicos e substância espiritual, cuja semelhança com a luz física tornou leve o corpo de Cristo, 
possibilitando-lhe, assim, andar sobre o mar como se anda sobre a terra. Seu corpo consistia tão somente num raio de luz brilhando sobre as águas". 
O mais fascinante de tudo foi sua capacidade de transferir sua autoridade sobre a energia para Pedro, através do poder da própria visão que Pedro teve de Cristo, numa manifestação radiosa e iluminada. "Contudo, desviando temporariamente seus olhos do Cristo, Pedro mergulhou em uma vibração e vórtice humanos de medo, que imediatamente tornaram seu corpo denso, fazendo-o afundar parcialmente nas águas furiosas. A mão consoladora do Cristo, estendida por puro amor, refez o elo alquímico; e o fluxo de energia espiritual, através de sua mão, uma vez mais elevou Pedro, colocando-o em segurança."
Contudo, como Jesus diz :
"Eu vim para que tenhais luz, e em abundância" Ele explicou que "a luz da oração, a luz da comunhão com o nosso Pai, brota através de todas as coisas" que "a luz é o seu obediente servo". Sua forma de total comunhão e prece contínua é a forma como Deus vive no homem ­ não numa esquina remota do universo, mas em seu coração.
"...Vocês são capazes de sintonizar com a Consciência de Deus que está em cada célula do seu corpo" Jesus afirma, reforçando a determinação de Jó num "novo conceito vivente, ­ aquele de que em carne o homem pode ver sua carne como o caminho para a eternidade". Esta é a verdadeira Cristandade, "a arte perdida da comunhão com Deus" como Jesus ensinou ­ assim como ele a vive agora, como vocês, também, podem vivê-la.
Num ditado dado a Mark em 1965, Jesus clamou aos seus seguidores a mais preciosa experiência de sua juventude: "Eu tinha dezessete anos quando passava por um certo campo. Não havia lua e as estrelas brilhavam em todo o seu esplendor. Estava sozinho com Deus e em volta de mim a relva misturava-se com miríades de flores semelhantes a margaridas, cujas faces voltadas para o alto pareciam ter esperança no meu olhar e eu, contemplando-as, as vi como as faces dos homens. E na alegria do meu coração e espírito - sentindo o orvalho na grama sob meus pés e sentindo o perfume das flores ­ eu comunguei com Deus e enviei o meu amor para as flores sob meus pés." 
"Subitamente elas foram transformadas e eu as vi não mais como flores mas como as faces dos homens. E eu os vi como estavam brilhando com esperança e eles tornaram-se majestosos pequeninos, mas majestosos. Eu meditei neles e falei ao meu Pai, ao meu Deus e ao seu Deus, e disse: Posso elevá-los ? Posso dar a eles a esperança de uma maior magnitude?"
E o Pai veio a mim e disse: "Venha e vê". E subitamente eu fui transportado para além daquele campo e o cosmos estava diante de mim. E meus pés estavam sobre uma rocha no espaço e vi estrelas ao meu redor que brilhavam- mundos de esperança e mundos sem, ­ e senti como se eu fosse um pastor planetário e cada face das flores que estiveram abaixo de mim no campo, eram realmente um novo planeta com multidões de pessoas pedindo esperança e, através de mim, vinha uma liberação da energia de Deus. Eu fui transformado. Eu estava eletrificado. Minha alma regozijava-se e como o Davi do passado, cantei um hino a Deus e disse na quietude da minha juventude, Óh Deus! Como és magnífico. As numerosas, luminosas esferas dos céus são as suas ovelhas e as flores do céu - imortais, brilhantes, cheias de esperança, acreditando na sua graça e amor. Como pode alguém, então não acreditar nesta grandiosidade?"
E eu meditei no Abraão do passado - eu, que fui uma semente de Davi, meditei em Abraão e na sua fé. E eu, clamei de novo então, em meus pensamentos o que Deus disse a ele: "Tornarei a tua semente incontável como a areia do mar. Eu sou o Senhor teu Deus, que fez os céus e a terra e tornarei a tua semente como as incontáveis estrelas, sem fim". E meu coração estava alegre e regozijei-me. "Encontrei-me depois desta experiência vagando nos campos. E, por um momento, estava pasmo com esta experiência, e cambaleei como alguém que tinha bebido. E então, fui envolvido nos braços da amada Santa Ametista, no seu amor e no do Senhor Zadkiel..."
A fim de que você possa individualizar a pessoa de Deus dentro de si através do princípio da Sua chama, Jesus Cristo traz até você a familiaridade de seu próprio Santo Cristo Pessoal e a compreensão da lei de sua integridade da alma com o Espírito que ele demonstrou como "Eu e o meu Pai somos um". Sua consciência de Deus é a porta aberta para a luz dos mundos interiores manifestar o reino de Deus que está dentro de você . Não só apenas o Verbo se "fez carne" , personalizado "na forma de homem", ele é também a luz impessoal do Verbo manifestado. Por esta razão a individualização da chama de Deus primeiro em Jesus Cristo e depois em você é a porta aberta para sua compreensão pessoal da Pessoa de Deus habitando "corporalmente"  em você como o seu Eu Real.
Através dessa porta aberta da individualização do Cristo que "homem nenhum pode fechar"  vem a luz/energia/ consciência necessária para a redenção da sua alma. Quando você reza, "Jesus Cristo, desce ao meu templo ! ", então, ele vem.
"Olhai, eu venho rapidamente". E com ele vêm os imortais, os "habitantes do céu", que retiveram suas individualidades através de sua reunião com a Presença EU SOU ­ Arcanjo Zadkiel e Santa Ametista, Arcanjo Gabriel que apareceu a Maria e Maomé, anjos do Natal, anjos da sagrada Eucaristia, anjos da Ressurreição, e até mesmo os poderosos Elohim, "os sete Espíritos" de Deus que O adoraram diante do seu trono
Olhai, eles vivem. João, o Revelador viu-os e eles deram um relato a viva voz: "Depois dessas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestidos brancos e com palmas nas suas mãos....Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram os seus vestidos e os branquearam no sangue do 
Cordeiro".
Através da porta aberta do Senhor Cristo eles vêm - primeiro ouvimos os poucos que "andarão comigo de branco", depois manteremos ao redor do trono do Cordeiro "milhões de milhões, e milhares de milhares", depois os 144.000 "que foram redimidos na Terra"  e finalmente os exércitos do céu que seguem "A Palavra de Deus" sobre seus cavalos brancos, "vestidos de linho fino, branco e puro". Eles vêm. Eles são a Grande Fraternidade Branca !
Estes são seus fieis servos, "que tem o testemunho de Jesus". Esses são os que venceram o dragão "pelo sangue do Cordeiro, e pela palavra do seu testemunho e não amaram suas vidas para a morte" . Esta é a infinita comunhão dos santos, ­ é o corpo de Deus único no Céu e na Terra. Aqueles que ascenderam aos céus através da intercessão de Jesus Cristo são os mestres "ascensos". Aqueles seguindo seus passos no caminho da ascensão são seus discípulos, ou "chelas".
Jesus Cristo deu-nos a sua promessa infalível nas suas revelações através de João
"Olhai, eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e, com ele cearei, e ele comigo. Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono".
Amados, seja você católico, judeu, muçulmano, budista, hindu, ateu ou agnóstico, esta é a promessa pessoal de Jesus para você ! Esta é a promessa da sua ressurreição e da sua ascensão. E qual é a sua promessa para ele? É vencer alegremente o ser irreal, o anti-eu, recolocando dia após dia o amor e a plenitude do Ser Real, o Santo Cristo Pessoal, como a única realidade do seu ser. O caminho da transcendência é o presente de Deus para você. É o presente da vida em si. E a meta da vida é a sua ascensão- a reunião da sua alma com Deus. As iniciações na senda da ascensão ­ com todos os testes e tentações encontradas pelos filhos e filhas de Deus - tornaram-se acessíveis hoje através de Jesus, Kuthumi, Saint Germain, El Morya, e muitos filhos-servos que ascenderam antes de nós.
Em Prayer and Meditation e muitos outros livros e fitas cassetes publicadas pela The Summit Lighthouse, disponibilizam-se para você os verdadeiros ensinamentos de Cristo através de nós como seus mensageiros ordenados. O Mestre dá através dos seus discípulos nesta era a mesma promessa que ele sempre deu:
"Eu venho. EU SOU contigo sempre, aquele que transforma os
mundos em baixo como no alto. Eu venho. Eu bato. Você abre. Eu entro. E EU SOU para sempre dentro de você a energia transformadora do Abençoado Um. EU SOU Jesus, o Cristo, vivo dentro de vós para toda a eternidade" .
Este é o mesmo Jesus Cristo que você conheceu para sempre. Ora, vem, Senhor Jesus .
Como representante do Filho para a era de Peixes, Jesus é o Exemplo, a porta de entrada para o caminho da cristicidade. Ele veio para demonstrar como realizar a união com o Eu Superior, de forma que também pudéssemos saber como se tornar um com o Cristo e tornar real nossa própria cristicidade depois do seu exemplo.
No evangelho de João, Jesus promete na Santa Ceia:
"Em verdade vos digo, que aquele que crer em mim (o Cristo), fará também as obras que eu faço; e obras maiores que as que eu faço, porque eu vou para o meu Pai". Aqui fica evidente que Jesus pretende que cada um de nós faça as mesmas coisas que ele fez e siga seu próprio caminho de Cristicidade pessoal. Embora este não seja o quadro de Jesus que os cristãos ortodoxos escolheram para pintar, existe plena evidência
de aceite. O Evangelho de Mateus lembra que Jesus nos incitava a esforçar-nos pela perfeição. "Sejam perfeitos", disse Jesus, "assim como seu Pai que está no Céu é perfeito". Paulo ensinou os Gálatas, "Eu sinto as dores do parto até que Cristo seja formado em você... Eu vivo, não eu, mas o Cristo que vive em mim".
Como Paulo escreveu aos Coríntios, "Temos a mente de Cristo", e aos Filipenses, "Deixe esta mente ser em você o que era também em Jesus Cristo".

Enquanto existem outros Filhos de Deus no Céu, todos podemos requerer um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, porque ele foi e é o arquétipo do Cristo, ou avatar, por um período de 2.150 anos conhecido como a era de Peixes. Aproximadamente a cada 2.150 anos a Terra passa por uma era, correspondendo a um dos doze signos do zodíaco. A duração de uma era é determinada por um fenômeno chamado precessão dos equinócios, que é o resultado da lenta rotação inversa da Terra em torno do seu eixo polar. Essa rotação inversa movimenta o ponto do equinócio da 
primavera para trás através dos doze signos do zodíaco. Uma nova era começa quando o ponto do 
.equinócio da primavera se move de um signo do zodíaco para outro
Durante cada era, uma civilização, um continente ou um planeta inteiro está destinado a assimilar um certo atributo de Deus. Em aproximadamente 2000 AC, ou 4.000 anos atrás, entramos na era de Áries. Esta foi a era dos patriarcas e dos profetas. A era de Áries trouxe a qualidade de Deus como Pai, como Legislador. Cerca de 2.150 anos atrás entramos na era de Peixes. Esta era trouxe a qualidade de Deus como Filho e foi marcada pela vinda de Jesus Cristo como o representante do
Filho.
Atualmente estamos entrando numa nova era. É a era de Aquário. Será marcada pela qualidade universal do Espírito Santo e da Mãe Divina. Assim como assimilamos as iniciações do Espírito Santo e os ensinamentos da Mãe Divina, estamos preparando nossa mente, nossa alma e nosso coração para ser a morada do Espírito Santo e da Mãe Divina, já que tivemos a oportunidade de encarnar as leis do Pai e do Filho nas duas eras precedentes.
Dentre todos os Filhos do Céu, Deus escolheu Jesus para encarnar na Terra e ser o avatar da era de Peixes. Nesta missão, Jesus carregou o peso dos pecados, ou carma negativo do mundo pelos 2.150 anos passados, de antes e depois do seu nascimento. Ele nos protegeu das conseqüências de nossas más ações. Todavia, somos ainda responsáveis pela reparação daqueles pecados, daquele carma.
Tomando sobre ele o peso de nossos pecados, Jesus carregou os pecados do mundo para que pudéssemos vir para uma era espiritualmente e carregar nossos próprios fardos. Com efeito, ele "perdoou" nossos pecados durante a era de Peixes. Mas este perdão não cancelou o débito: somente postergou o nosso pagamento. Tivemos 2.150 anos para pagá-lo. Agora é dívida vencida.
Os povos do planeta Terra estão fazendo a transição da era de Peixes para a era de Aquário, e Jesus está devolvendo para cada um de nós, a responsabilidade de carregar os nossos fardos com honra e dignidade. Então Paulo ensinou que ultimamente "cada homem carregará sua própria cruz". Ele advertiu:
"Não se iludam, Deus não engana: aquilo que o homem semear, ele também colherá". 
Paulo também ensinou que devemos trabalhar pela nossa própria salvação temendo a Deus com humildade.
A fonte borbulhante que Jesus se referiu é a fonte do Cristo Universal. Jesus promete que, quando bebermos e assimilarmos essas águas de vida eterna com amor e gratidão, "Vós vos tornareis como eu, como o Cristo. Eu mesmo, a encarnação do Cristo, me tornarei como vós".
Os caminhos místicos das religiões do mundo prestam testemunho da verdade universal de que aquele que beber da fonte Única se tornará um com aquela Fonte:
"Vós podeis tornar-se um com Brahman", "Vós podeis tornar-se um com o Tao", "Vós podeis tornar-se um Buddha", "Vós podeis apegar-vos a Ein Sof e ao Sefirot" ou "Vós podeis tornar-se o Filho de Deus".

No antigo épico hindu, o Mahabharata, o sábio Sanat Kumara ensina que Brahman, o Absoluto, "está desperto em cada criatura. Aqueles que o conhecem sabem que o Pai Universal (é quem) habita no coração de cada criação!... A pessoa conhecedora de Brahman... é igual a Brahman". Chuhsi, filósofo chinês diz: 
"Se quiser conhecer a realidade do Tao, precisamos buscá-lo dentro de nossa própria natureza. Cada um tem dentro de si o princípio correto; que chamamos de Tao, o Caminho".
Um texto budista instrui: 
"A semente da budicidade existe em cada ser vivente. Portanto, tudo o que vive é dotado com a Essência de Buddha".
O professor budista Saicho diz:
"Quando o venero, ó Buddha, é um Buddha venerando outro Buddha. E és tu que o fazes verdade em mim, hó Buddha".
Acreditamos que os textos do Novo Testamento e dos Gnósticos Cristãos retratam Jesus como o irmão mais velho que ensina aquilo que todos os maiores professores de misticismo das religiões do mundo ensinam: que você pode alcançar o seu próprio interior e transformar a sua relação com Deus e tornar-se o Filho de Deus, um com o Cristo.



ESTRELS.gif (17939 bytes)

NASCIMENTO DE JESUS
Resultado de imagem para o nascimento de jesus
Jesus Nasceu! 
Onde e Quando?
Perguntemos a Francisco de Assis o que ele sabe sobre o nascimento de Jesus. E ele nos responderá:
- Ele nasceu no dia em que, na praça de Assis, entreguei minha bolsa, minhas roupas e até meu nome para segui-lo incondicionalmente, pois sabia que somente ele é a fonte inesgotável de amor.
Perguntemos a Pedro, sobre a natividade de Jesus e ele assim se pronunciará:
- Jesus nasceu na noite em que o galo cantou pela terceira vez, no momento em que eu o havia negado. Foi nesse instante que acordou minha consciência para a verdadeira vida.
Indagaremos a Paulo de Tarso, quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
- Jesus nasceu na Estrada de Damasco quando, envolvido por intensa luz que me deixou cego, pude ver a figura nobre e serena que me perguntava: Saulo, Saulo porque me persegue? E na cegueira passei a enxergar um mundo novo quando eu lhe disse: - Senhor, o que queres que eu faça?
Interpelemos Tomé, o incrédulo, onde e quando nasceu Jesus. Ele nos dirá:
- Jesus nasceu naquele dia inesquecível em que ele me pediu para tocar as suas chagas e me foi dado testemunhar que a morte não tinha poder sobre os filhos de Deus. Só então compreendi o sentido de suas palavras: Eu sou o caminho, a verdade e a vida.
Perguntemos a João Batista quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
- Jesus nasceu no instante em que, chegando ao rio Jordão, pediu-me que o batizasse. E ante a meiguice do seu olhar e a majestade da sua figura pude ouvir a mensagem do Alto: "Este é o meu Filho Amado, no qual pus a minha complacência".
Perguntemos a Lázaro sobre o nascimento de Jesus! Ele nos falará:
- Jesus nasceu em Betânia, na tarde em que visitou o meu túmulo e disse: "- Lázaro! Levanta." Nesse momento compreendi finalmente quem Ele era ...
Apelemos, para Dimas, o bom ladrão: Onde e quando Jesus nasceu? Ele nos informará:
- Jesus nasceu no topo do Calvário, precisamente quando a cegueira e a maldade humanas supunham aniquilá-lo para sempre; dali ele me dirigiu um olhar repassado de piedade e de ternura, que me fez esquecer todas as misérias deste mundo.
Perguntemos a Judas Iscariotes quando se deu nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
- Jesus nasceu no instante em que eu assistia ao seu julgamento e a sua condenação. Compreendi que Jesus estava acima de todos os tesouros terrenos.
Perguntemos, finalmente, a Maria de Nazaré acerca do nascimento de Jesus. E ela nos responderá:
- Jesus nasceu em Belém, sob as estrelas, que eram focos de luzes guiando os pastores e suas ovelhas ao berço de palha. Foi quando o segurei em meus braços pela primeira vez e senti se cumprir a promessa de um novo tempo através daquele Menino que Deus enviara ao mundo, para ensinar aos homens a lei maior do amor.
Se perguntarmos a tantos outros seguidores do Cristo, cada um dará o seu testemunho a respeito de quando Jesus nasceu.
E para nós, quando Jesus nasceu? E se descobrirmos que ele não nasceu?
Então, procuremos, urgentemente, fazer com que ele nasça logo, porque, quando isso acontecer, teremos finalmente entendido o Natal e verdadeiramente encontrado a luz.

 ESTRELA BRIL.gif (2858 bytes) OS REIS MAGOS  ESTRELA BRIL.gif (2858 bytes)



MELCHIOR, BALTAZAR E GASPAR:  como se chamavam, sábios e poderosos Magos brancos cujos conhecimentos já os notabilizaram em reencarnações anteriores na Atlântida, previam com exatidão a chegada do avatar divino, cuja luz salvadora se transfundiria através da carne, na pessoa de JESUS de NAZARETH, filho de José e Maria.
Precisamos saber, primeiramente, que os reis Magos eram avançados astrólogos,  testemunheiros da sabedoria dos atlantes, lemurianos, semurianos, babilônicos, caldeus, egípcios e outros. Muitos documentos comprovativos do que acima ficou dito, virão à luz no momento oportuno, e que provam a sabedorias dos reis Magos, foram salvos pelos profetas brancos, após o grande dilúvio Atlanta, e levados por eles para as regiões próximas da atual Arábia, da Judeia e do Egito. Certa parte esses documentos foi depois encaminhada ao santuário secreto do Himalaia. Devido sua longa experiência e ao conhecimento da tradição na esfera astrológica.
Melchior descendia de linhagem principesca, de velhos reis árabes, que dominavam faustosos agrupamentos na Arábia, e em sua mocidade, fizera profundo voto de renuncia ao mundo profano. Fundou magnífica instituição iniciática de conhecimento do cosmo, situada no monte Horeb,  espécie de templo e escola ao mesmo tempo, cujo teto algumas dezenas de discípulos elevaram suas vibrações mentais até as esfera eletivas de Jesus. Junto ao rio indo, nos montes Zuleiman.
Gaspar, conhecido como o príncipe de Bobay,  dirigia outra avançada instituição de aprimoramento espiritual, ensinando como desenvolver esforços heroicos para se vencer o Maia, a ilusão da matéria, em troca do conhecimento da verdade eterna. Os ensinamentos ministrados por Gaspar, também entravam com sintonia com as vibrações do avatar Jesus. Seus adeptos cultuavam a meditação contemplativa e a busca do eu.
Baltazar, o mais velho dos reis era o guia mais experimentado de um punhado de homens solitários habitantes da Pérsia, estudiosos dos mistérios iniciáticos das tradições de Zoroastro e do culto firmado no zen avesta. Junto ao Golfo Pérsico, eles criavam poderosa fonte de energias espirituais, que em divina sublimação se casavam com a vibração do campo magnético em que o Cristo haveria de descer, para o grande momento sacrificial! Disseminados pelo templo habilmente disfarçado, nos montes tradicional, só conhecido de adeptos da iniciação interna. Os essênios também vibravam alimentando as correntes energéticas que favoreceriam a manifestação do Cristo.


Oriundos de países diferentes;  India, Aníbia e Pérsia, não se conheciam entre si, devido à longa experiência os Magos, estudiosos e conhecedor profundo da astrologia e astronomia, sabiam que a poderosa conjunção de Saturno, Júpiter e Marte, no campo astronômico da Terra, facilitariam a manifestação em nosso mundo de um acontecimento muito importante, porque aquela conjunção não era comum, só se conjugaria se uniriam, de mais ou menos cm mil em mil anos. Compulsando, estudando, livros sagrados de todos os povos, foi na história do povo judeu o hebreu, verificaram emocionados, que a época porque passavam coincidia, perfeitamente, com o advento do esperado Messias, o sublime príncipe da paz, aguardado pela fé dos homens aflitos.
A palavra Mago, tem sua origem persa: Magu, que  significa poderoso. Viajavam atravessando terras e mares, levando á humanidade seus conhecimentos doutrinários e a voz do Céu. No oriente, os Magos obtiveram grande importância política e religiosa, chegando a ter autoridade de reis, mas não eram reis, medas e persa, assírios e caldeus foram profundamente influenciados pelos Magos, que tinham os profundos conhecimentos da astronomia e da astrologia, participando também pela influência do judaísmo, da expectativa da chegada do Messias alertados pela estrela sublimação, três Magos foram a Jerusalém para adorar o filho de Deus, que nascera em Belém sempre guiados pela estrela. Seus nomes Melchior em hebreu: rei da luz, Baltazar  aramaico: Deus proteja a vida do rei, Gaspar persa: o vencedor. As escrituras ainda confirmam que os Magos eram uma casta sacerdotal sábia, existente entre medas, caldeus e persa e que os sábios ofertaram os três presentes homenageando a divindade de Jesus. Incenso: a sua realeza. Ouro: e a sua humanidade, isto é, teria que nascer e morrer. Mirra: um refinado perfume oriental.



ESTRELS.gif (17939 bytes)

Os Essênios, Jesus e a Reencarnação
Resultado de imagem para Os Essênios, Jesus e a Reencarnação

Os Essênios, Jesus e a Reencarnação
Até cerca de 70 anos atrás, as poucas informações disponíveis sobre os Essênios estavam contidas em passagens dos filósofos Fílon de Alexandria e Flávio Josefo.
Esse cenário modificou-se radicalmente com a descoberta de uma antiga biblioteca enterrada nas margens do Mar Morto em 1947.
Centenas de documentos, que pertenciam aos Essênios, foram encontrados em um bom estado de conservação nas cavernas de Qumran e acenderam o interesse sobre a história e filosofia desse misterioso grupo.
Desde então, várias conexões foram encontradas ligando Jesus Cristo e seus familiares aos Essênios. Nesse artigo, vamos mostrar uma história bem diferente daquela narrada pela Igreja sobre a vida Dele.
Origem e Características
Os Essênios podem ser conceituados como um rigoroso grupo judaico, formado a partir da união de várias escolas místicas do Antigo Egito, que teve sua origem por volta do ano 400 a.C.
Eles condenavam abertamente a escravidão e o uso de servos, pois consideravam o trabalho físico uma forma de comunhão saudável do Homem com o divino.
Eram agricultores e viviam nas proximidades da terra que lhe fornecia a subsistência. Adeptos do vegetarianismo, não admitiam a matança de animais para fins alimentares ou sacrificiais.
Por não concordarem com a maneira na qual os homens da época viviam, os Essênios decidiram se afastar das áreas urbanas e passaram a viver em regiões inóspitas nas margens do Mar Morto e em desertos espalhados pela Síria e no norte da África.
Os Essênios viviam uma vida pautada na humildade, na meditação, no estudo e na contemplação do divino. Os Mestres mais avançados eram ascetas, isto é, refreavam calorosamente qualquer tipo de prazer mundano.
Eles pregavam o amor ao próximo como dever principal e o objetivo primordial de cada ser humano era a religação com Deus através da purificação completa do corpo material.
Membros e Documentos
Apesar de ser considerado um grupo judaico, os Essênios mantinham as portas abertas para todos aqueles que desejassem fazer parte da comunidade e buscar o conhecimento sagrado, sem importar o sexo, a cor ou a crença.
Porém, assim como em muitas ordens secretas, o aspirante deveria passar por três anos de treinamento, onde era obrigado a fazer determinados votos e adquiria maior controle de suas atitudes, reações e pensamentos.
Para se juntar ao grupo, também era necessário abrir mão de todos os bens materiais. O patrimônio do aspirante passaria a fazer parte do apurado geral de todos os membros da comunidade.
Flávio Josefo escreveu sobre esse assunto:
“Desprezam a riqueza, e é admirável o seu sentido de comunidade. Também não se encontra ninguém entre eles que se destaquem pelas posses; pois há uma lei pela qual os que ingressam na seita transferem seu patrimônio à ordem, de modo que… após a reunião dos bens dos particulares, só há um patrimônio para todos como irmãos”. (Bell. II, 122)
Eles recusavam participar de transações comerciais. Dedicavam-se inteiramente ao estudo e a produção de documentos, tanto cópias de obras já existentes, como na criação de novas obras.


Reencarnação e o Silêncio
Uma das diferenças críticas entre os Essênios e os outros grupos judaicos da época está no conhecimento acerca da imortalidade do espírito, do karma e da reencarnação. Eles entendiam que a alma imortal está unida ao corpo material numa espécie de prisão e, após a morte, ela pode experimentar a alegria completa da Vida.
É bastante provável que durante os séculos de existência, os Essênios tenham tido contado com missionários budistas que se espalharam pela Grécia, Egito e Judeia. Também é possível observar pontos de contato com os Pitagóricos, devido ao profundo estudo realizado sobre astrologia e numerologia.
Uma das várias tarefas que os aspirantes deveriam passar antes de serem aceitos como membros legítimos consistia na capacidade de escolher as palavras faladas com cautela e sabedoria. Palavras inúteis eram desaconselhadas e consideradas uma forma de atraso na purificação, pois os Essênios entendiam que o som era o condutor e a expressão do Verbo.
Da mesma forma que nos grupos herméticos e nas sociedades secretas, os Essênios exigiam dos seus membros o voto de silêncio acerca dos conhecimentos obtidos. A quebra desse voto resultaria em expulsão imediata.
Cura Espiritual
Apesar de viverem isolados da agitação encontrada nas cidades, os Essênios eram figuras bastante conhecidas pelas suas habilidades de cura espiritual.
Para eles, o corpo material do Homem era regido por energias de teores vibratórios variados. Assim sendo, a cura de muitas doenças se tornava possível através da recomposição dessas energias, que era feita principalmente pela imposição de mãos.
As doenças não seriam nada mais do que variações energéticas que determinam alterações físicas no corpo humano. Qualquer semelhança com os passes aplicados nos centros espíritas não é mera coincidência. Além dessa habilidade, eles eram especialistas na utilização de ervas medicinais cujas capacidades curativas ainda eram desconhecidas por grande parte da população.
Em razão desses fatos, os Essênios ficaram conhecidos pela população da época com a alcunha de “terapeutas”.
Jesus foi um Essênio?
Atualmente, existem duas fortes teorias sobre a participação de Jesus Cristo na comunidade dos Essênios.
A primeira relata que os seus pais, Maria e José, passaram por processos de iniciação nos Mistérios dos Essênios.
Maria teria sido preparada desde a mais tenra idade para ser capaz de conceber o filho de Deus e teria dado à luz a Jesus em uma caverna sagrada na comunidade de Qumran.
Após o nascimento, Jesus teria permanecido a maior parte dos seus anos de juventude entre os Essênios, onde teria recebido a preparação para a grande missão que viria a abraçar.
Jesus teria sido educado através de uma rígida disciplina de purificação espiritual, aprofundando-se nos segredos da Natureza e aperfeiçoando, em um nível nunca antes visto, a capacidade de realizar curas espirituais.
Para assumir o papel que lhe foi destinado, Ele precisou dominar completamente os sentidos materiais para desenvolver a potência máxima das suas habilidades espirituais.
Outra teoria afirma que Jesus após passar uma parte da infância estudando entre os Essênios, teria empreendido viagem mundo afora, expandindo seu conhecimento no Egito, Índia, Pérsia, Tibete, Gália, entre outros países.
Segundo Marcelo DelDebbio:
Jesus nasceu no dia 6 de janeiro de 7 a.C., Essênio, filho de um dos Mestres mais importantes de sua comunidade e de uma das mais sagradas sacerdotisas das Religiões Antigas. Nasceu em uma caverna em Qumran, considerada o Templo mais sagrado dos Essênios.
Conexões entre Jesus e os Essênios
Devido ao voto de silêncio, os Essênios se tornaram os primeiros a transmitirem conhecimentos ocultos e profundos através de parábolas e alegorias. Jesus fez uso dessa técnica durante toda a sua encarnação aqui na Terra.
Jesus também dizia que certos conhecimentos não deveriam ser transmitidos para toda a massa populacional:
“Não deem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, os despedaçarão”. Mateus 7:6
No que diz respeito ao vestuário, um dos costumes básicos dos Essênios era a utilização de uma túnica branca. Jesus também utilizava essa vestimenta, tratava enfermos e praticava curas espirituais através da imposição de mãos.
Outro ponto muito forte de conexão entre Jesus e os Essênios está na importância simbólica da divisão do alimento entre os irmãos. Uma das cenas mais conhecidas da bíblia é a partilha do alimento feita por Jesus para seus discípulos durante a última ceia.
Esse ritual não era novidade alguma para os Essênios. Inclusive, um aspirante só passava a ser considerado um membro efetivo do grupo quando se tornava apto a compartilhar a refeição na mesa com os outros irmãos.
Os Essênios consideravam a imersão do corpo na água limpa, como forma de purificação do coração através da lavagem esotérica da alma.
Muitos autores afirmam que João Batista também passou por um longo período de estudo entre os Essênios. Eles tinham um profundo conhecimento das propriedades da água e o batismo era um dos mais importantes rituais de iniciação.
Conclusão
Um dos fatores mais claros da ligação de Jesus com os Essênios pode ser entendido pela ausência de referências ao grupo na bíblia.
No Novo Testamento, encontramos diversas passagens onde Jesus ataca os outros grupos judaicos da época: fariseus, saduceus, zelotes e herodianos. Porém, não é possível encontrar sequer uma passagem acerca dos Essênios tanto nas palavras de Jesus como na dos seus apóstolos.
Por que um grupo tão profundamente conectado com os ensinamentos de Jesus não foi mencionado uma vez sequer na bíblia? Tire suas próprias conclusões
Fonte: Facebook - Dharman Oxinto
Publicada por Cristiano Patricio
ESTRELS.gif (17939 bytes)

A PALAVRA DE JESUS


Meus irmãos, Deus nos abençoe.
A palavra do Cristo é a luz acesa para encontrarmos na sombra terrestre, em cada minuto da vida, o ensejo divino de nossa construção espiritual.
Erguendo-a, vemos o milagre do pão que, pela fraternidade, em nós se transforma, na boca faminta, em felicidade para nós mesmos.
Irradiando-a, descobrimos que a tolerância por nós exercida se converte nos semelhantes em simpatia em nosso favor.
Distribuindo-a, observamos que o consolo e a esperança, o carinho e a bondade, veiculados por nossas atitudes e por nossas mãos, no socorro aos companheiros mais ignorantes e mais fracos, neles se revelam por bênçãos de alegria, felicitando-nos a estrada.
Geme a Terra, sob o pedregulho imenso que lhe atapeta os caminhos...
Sofre o homem sob o fardo das provações que lhe aguilhoam a experiência.
E assim como a fonte nasce para estender-se, desce o dom inefável de Jesus sobre nós para crescer e multiplicar-se.
Levantemos, cada hora, essa luz sublime para reerguer os que caem, fortalecer os que vacilam, reconfortar s que choram e auxiliar os que padecem.
O mundo está repleto de braços que agridem e de vozes que amaldiçoam.
Seja a nossa presença junto dos outros algo do Senhor inspirando alegria e segurança.
Não nos esqueçamos de que o tempo é um empréstimo sagrado e quem se refere a tempo diz oportunidade de ajudar para ser ajudado, de suportar para ser suportado, de balsamizar as feridas alheias para que as nossas feridas encontrem remédio e sacrificarmo-nos pela vitória do bem, para que o bem nos conduza à definitiva libertação.
Nós que tantas vezes temos abusado das horas para impor, aos que nos seguem, o Reino do Senhor, à força de reprovações e advertências, saibamos edificá-lo em nós próprios, no silêncio do trabalho e da renúncia, da humildade e do amor.
Meus irmãos, no seio de todos os valores relativos e instáveis da existência humana, só uma certeza prevalece – a certeza da morte, que restitui às nossas almas os bens ou os males que semeamos nas almas dos outros.
Assim, pois, caminhemos com Jesus, aprendendo a amar sempre, repetindo com Ele, em nossas proveitosas dificuldades de cada dia: - Pai Nosso, seja feita a vossa vontade, assim na Terra como nos Céus. Meimei.




ESTRELS.gif (17939 bytes)


A ESCOLA DO CAMINHO



Jesus, o Divino e Amado Mestre, edificou a Escola do Caminho, estabelecendo um perfeito sistema que nos chegou através dos Evangelhos, pelo qual sabemos, percebemos e sentimos tudo o que precisamos a respeito de Deus, não sendo necessário desgastar nossas energias especulando a natureza de Deus. 
A Escola do Caminho é o aprendizado que a Espiritualidade Maior nos trouxe para entender o Sistema Crístico, isto é, nossa jornada seguindo Jesus, o Caminheiro, onde aprendemos de onde viemos, para onde vamos, o porquê da nossa existência, a origem da Humanidade, as Casas Transitórias, a desmistificação da vida e a segurança para nossa jornada. 
Na Escola do Caminho progridem e evoluem milhões de espíritos, em suas reencarnações na Terra, e por sua atuação planetária ela influencia aspectos os mais variados no tempo e no espaço, independentemente de religiões, seitas ou qualquer outra linha filosófica. 
Toda a Humanidade recebe seus benefícios, estando incluída no Sistema Crístico, pois essa foi a meta de Jesus quando veio à Terra para redimir essa mesma Humanidade, sem distinção de raça, nacionalidade, religião ou filosofia. 
A Escola do Caminho é, acima de tudo, o grande ensino da Nova Era, do amor, do equilíbrio e da felicidade. É nesta Escola que atendemos e buscamos ajudar e recuperar os espíritos sofredores, os demônios . Os espíritos vão aprendendo as lições de Jesus, despertando suas consciências, analisando e compreendendo suas jornadas, aprimorando-se para superar suas dificuldades e deficiências, aceitando a Lei Crística e entendendo como podem e devem atuar com amor, tolerância e humildade. 
Na realidade, Jesus não estabeleceu regras nem princípios, e sim buscou despertar a consciência de cada um para uma jornada de amor e de bondade, livre de preconceitos e julgamentos, sem as arbitrariedades de disciplinas impostas por religiões distanciadas da verdade divina, sem ser escravizado por uma hierarquia formada por avaliações deformadas de trabalhos, sucesso material, pensamentos forjados por situações morais e financeiras totalmente conflitantes com os ensinamentos divinos. Tudo isso dependendo do livre arbítrio de cada um daqueles que se propuserem a caminhar na Nova Estrada. E é por isso que a Doutrina do Amanhecer busca seguir o exemplo e as palavras de Jesus, com fundamentos simples e claros da Escola do Caminho.


chama dourada.gif (6156 bytes)HOLOCAUSTOchama dourada.gif (6156 bytes)

"O pensamento vibra, desse modo, no alicerce de todas as formas e de todas as experiencias da vida!"
EMMANUEL.

Jesus orava recostado numa rocha no Horto de Gethesêmani. O momento era solene, inexorável, vibrante!
A natureza humana não aceita a dor, e o corpo de Jesus vibrava nos estertores da suprema agonia.Um suor pastoso e gélido cobria o corpo do Mestre. Era o momento da prova suprema. A personalidade, mortal, frágil, temerosa e indecisa, incapaz de suportar as grandes provas, exteriorizou sua fragilidade, na imorredoura expressão: "Pai afasta de mim este cálice!"
Mas, o espírito imortal, consciente do seu dever maior, não aceitou a pusilânime atitude da matéria e conclamou em som de clarim: "Seja feita tua Vontade Senhor da Vida e do Amor!"
Jesus viera em missão salvadora, para impedir a dissolução do planeta, que raiava o bordo do precipício. A Besta Humana tinha sede de sangue inocente. Era preciso um sacrifício de amor, para impedir que as trevas mergulhassem o planeta na dissolução final!
A matéria não era confiável. Pedro negou o mestre três vezes, característica da alma humana, incapaz de suportar a dor, e sempre fugindo do dever maior, quando tem de enfrentar momentos difíceis.
Fácil seria para o Mestre cortar o fio da vida e escapar ao terrível holocausto, emancipado que era do mundo material. Mas se assim fora, sua missão estaria fracassada e o drama divino, da dualidade luz e sombras, não seria dado a posteridade, como sublime lição de salvação eterna.
Jesus conclamou para um céu emudecido, "Pai tua vontade seja feita. Quero o holocausto!"
O homem não é senhor de si mesmo, e vive escravizado pelo desejo; navega num oceano de ilusão, em busca de quimeras que se desfazem antes mesmo de se realizarem. É a pusilanimidade da personalidade, incapaz de grandes voos, na imensidão do Infinito!

A sublime rosa do amor eterno foi pisoteada pela bota brutal da inconsciência humana!
Aparentemente a BESTA vencera!
O Sonho parece ter sido esfacelado pelo ilusório poder material!
Os amigos de Jesus sentiram o rude baque do desengano, e apenas um pequeno núcleo fiel, permaneceu ao seu lado.
Tudo parecia em silêncio, como ocorre na natureza após as tempestades, "aquele instante de quietude".
Mas o divino drama, estava já escrito no éter cósmico, e deveria ser consumado como planejado pelo Céu!
Jesus suava sangue!... Tão imensa era sua dor!
Maria a mulher das muitas dores, recolhia em seu coração sensível os espinhos da maldade humana!
Jesus foi crucificado!
A Justiça Divina, permitiu que o Amor do Cordeiro de Deus, fosse imolado, para salvação do mundo!
Mas aí de quem pratica o mal! A Justiça Eterna, não é vingativa não tem pressa, mas a LEI é inexorável, e se cumprirá até que o mal praticado seja extinto, num torvelinho de dor!
E o Cordeiro de Deus continua amando a humanidade
Ismael de Almeida


ANJO SOLITÁRIO


Enquanto o Mestre agonizava na cruz, rasgou-se o céu em Jerusalém e entidades angélicas, em grupos extensos, desceram sobre o Calvário doloroso...
Na poeira escura do chão, a maldade e a ignorância expeliam trevas demasiadamente compactas para que alguém pudesse divisar as manifestações sublimes.
Fios de claridade indefinível passaram a ligar o madeiro ao firmamento, embora a tempestade se anunciasse a distância...
Cristo, de alma sedenta e opressa, contemplava a celeste paisagem, aureolado pela glória que lhe bafejava a fronte de herói, e os emissários do Paraíso chegavam, em bandos, a entoaram cânticos de amor e reconhecimento que os tímpanos humanos jamais poderiam perceber.
Os Anjos da Ternura rodearam-lhe o peito ferido como a lhe insufladores energias novas.
Os portadores da Consolação ungiram-lhe os pés sangrentos com suave bálsamo.
Os Embaixadores da Harmonia, sobraçando instrumentos delicados, formaram coroa viva, ao redor de sua atribulada cabeça, desferindo comovedoras melodias a se espalharem por bênçãos de perdão sobre a turba amotinada.
Os Emissários da Beleza teceram guirlandas de rosas e lírios subtis, adornando a cruz ingrata.
Os Distribuidores de Justiça, depois de lhe oscularem as mãos quase hirtas, iniciaram a catalogação dos culpados para chamá-los a esclarecimento a reajuste em tempo devido.
Os Doadores de Carinho, em assembleia encantadora, postaram-se à frente dele e acariciavam-lhe os cabelos empastados de sangue.
Os Enviados da Luz acenderam focos brilhante nas chagas doloridas, fazendo-lhe olvidar o sofrimento.
Trabalhavam os mensageiros do Céu, em torno do Sublime Condutor dos Homens, aliviando-o e exaltando-o, como a lhe prepararem o banquete da ressurreição, quando um anjo aureolado de intraduzível esplendor apareceu, solitário, descendo do império magnificente da Altura.
Não trazia seguidores e, em se abeirando do Senhor, beijou-lhe os pés, entre respeitoso e enternecido. Não se deteve na ociosa contemplação da tarefa que, naturalmente, cabia aos companheiros, mas procurou os olhos de Jesus, dentro de uma ansiedade que não se observara em nenhum dos outros.
Dir-se-ia que o novo representante do Pai Compassivo desejava conhecer a vontade do Mestre, antes de tudo. E, em êxtase, elevou-se do solo em que pousara, aos braços do madeiro afrontoso. Enlaçou o busto do Inesquecível Supliciado, com inexcedível carinho, e colocou, por um instante, o ouvido atento em seus lábios que balbuciavam de leve.
Jesus pronunciou algo que os demais não escutaram distintamente.
O mensageiro solitário desprendeu-se, então, do lenho duro, revelando olhos serenos e úmidos e, de imediato, desceu do monte ensolarado para as sombras que começavam a invadir Jerusalém, procurando Judas, a fim de socorrê-lo e ampará-lo.
Se os homens lhe não viram a expressão de grandeza e misericórdia, os querubins em serviço também lhe não notaram a ausência. Mas, suspenso no martírio, Jesus contemplava-o, confiante, acompanhando-lhe a excelsa missão, em silêncio.
Esse, era o anjo divino da Caridade.
Livro Estante da Vida – Pelo Espírito “Irmão X” 
Psicografia Francisco C. Xavier


ESTRELS.gif (17939 bytes)


CARTA DO SENADOR PÚBLIO LENTULUS AO IMPERADOR TIBÉRIO CÉSAR, DESCREVENDO AS CARACTERÍSTICAS MORAIS E FÍSICAS DE JESUS


Sabendo que desejas conhecer quanto vou narrar, existindo nos nossos tempos um homem, o qual vive atualmente de grandes virtudes, chamado Jesus, que pelo povo é inculcado o profeta da verdade, e os seus discípulos dizem que é filho de Deus, criador do Céu e da Terra e de todas as coisas que nela se acham e que nela tenham estado; em verdade, ó César, cada dia se ouvem coisas maravilhosas desse Jesus: ressuscita os mortos, cura os enfermos, em uma só palavra: é um homem de justa estatura e é muito belo no aspecto, e há tanta majestade no rosto, que aqueles que o vêem são forçados a amá-lo ou temê-lo. Tem os cabelos da cor amêndoa bem madura, são distendidos até as orelhas, e das orelhas até as espáduas, são da cor da terra, porém mais reluzentes.
Tem no meio de sua fronte uma linha separando os cabelos, na forma em uso nos nazarenos, o seu rosto é cheio, o aspecto é muito sereno, nenhuma ruga ou mancha se vê em sua face, de uma cor moderada; o nariz e a boca são irrepreensíveis.
A barba é espessa, mas semelhante aos cabelos, não muito longa, mas separada pelo meio, seu olhar é muito afetuoso e grave; tem os olhos expressivos e claros, o que surpreende é que resplandecem no seu rosto como os raios do sol, porém ninguém pode olhar fixo o seu semblante, porque quando resplende, apavora, e quando ameniza, faz chorar; faz-se amar e é alegre com gravidade.
Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas, antes, chorar. Tem os braços e as mãos muito belos; na palestra, contenta muito, mas o faz raramente e, quando dele se aproxima, verifica-se que é muito modesto na presença e na pessoa. É o mais belo homem que se possa imaginar, muito semelhante à sua mãe, a qual é de uma rara beleza, não se tendo, jamais, visto por estas partes uma mulher tão bela, porém, se a majestade tua, ó César, deseja vê-lo, como no aviso passado escreveste, dá-me ordens, que não faltarei de mandá-lo o mais depressa possível.
De letras, faz-se admirar de toda a cidade de Jerusalém; ele sabe todas as ciências e nunca estudou nada. Ele caminha descalço e sem coisa alguma na cabeça. Muitos se riem, vendo-o assim,porém em sua presença, falando com ele, tremem e admiram.
Dizem que o tal homem nunca fora ouvido por estas partes. Em verdade, segundo me dizem os hebreus, não se ouviram, jamais, tais conselhos, de grande doutrina, como ensina este Jesus; muitos judeus o têm como Divino e muitos me querelam, afirmando que é contra a lei de Tua Majestade; eu sou grandemente molestado por estes malignos hebreus.
Diz-se que este Jesus nunca fez mal a quem quer que seja, mas, ao contrário, aqueles que o conhecem e com ele têm praticado, afirmam ter dele recebido grandes benefícios e saúde, porém à tua obediência estou prontíssimo, aquilo que Tua Majestade ordenar será cumprido.
Vale, da Majestade Tua, fidelíssimo e obrigadíssimo... 
Públio Lentulus, presidente da Judéia
Lindizione setima, luna seconda.
(Este documento foi encontrado no arquivo do Duque de Cesadini, em Roma. Essa carta, onde se faz o retrato físico e moral de Jesus, foi mandada de Jerusalém ao imperador Tibério César, em Roma, ao tempo de Jesus.)
Fonte: Rádio Rio de Janeiro
1400 khz - Rio de Janeiro
Postado por EDSON RODRIGUES


ESTRELS.gif (17939 bytes)


REINO DE DEUS


Falando da origem divina de Jesus, João (III, 13 a 21) relata:
“Porque ninguém subiu aos céus senão aquele que desceu dos céus, ou seja, o Filho do Homem, que está nos céus!
E assim como Moisés, no deserto, levantou a serpente (referindo-se à serpente de bronze que levava a cura àqueles que a olhassem), assim importa que seja exaltado o Filho do Homem, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu Filho Unigênito. para que todo o que crê Nele não pereça, mas tenha a vida eterna. Nem Deus enviou Seu Filho ao mundo para julgar o mundo, mas sim para que o mundo seja salvo por Ele! Quem Nele crê, não será condenado; mas o que não crê. já está condenado, porque não crê no nome do Filho Unigênito de Deus.
E esta á a causa da condenação: a Luz veio ao mundo, mas os Homens amaram mais as Trevas do que a Luz, porque eram más as suas obras.
Porquanto, todo aquele que faz o mal, odeia a Luz e a ela não se chega para que não sejam arguidas suas obras. Mas aquele que pratica a Verdade chega-se à Luz, para que suas obras sejam conhecidas, porque são feitas em Deus!
E mais à frente, o Evangelista relata o encontro de Jesus, já prisioneiro, com o Governador da Judeia, Pôncio Pilatos, que Lhe perguntou se Ele se considerava um rei, tendo Jesus lhe respondido (XVIII, 36 e 37): “O Meu reino não é deste mundo! Se o Meu reino fosse deste mundo é certo que meus ministros iriam pelejar para que Eu não fosse entregue aos judeus. Não é daqui o Meu reino! Disse-lhe então Pilatos: Logo, Tu és rei? Respondeu Jesus: Tu o dizes: Eu sou rei! Para isso nasci, e para isso vim ao mundo: dar o testemunho da Verdade! Todo o que é pela Verdade ouve a Minha voz!”
Jesus ali estabeleceu a diferença entre o verdadeiro REI, vocábulo que significa, em sua origem, aquele de rege, que oriente, da grotesca personalidade detentora de poder temporal e de ambições e luxúria que, pelos historiadores, foi denominada rei de suas nações terrenas.
Como o verdadeiro Rei, Deus enviou seu filho para complementar as leis confiadas a Moisés, estabelecendo o Amor, a Tolerância e a Humildade, assim salvando a Humanidade dos tristes abismos para onde caminhava.
E Jesus, o enviado de Deus, o Rei desse Reino de Deus, veio para reorientar e organizar os seres humanos, estabelecendo, no interior de cada um, seu Reino, com Jesus em seu coração, orientando suas ações, seus pensamentos e suas palavras, inspirando suas atuações e seu comportamento em relação a si mesmo, a seus familiares e àqueles ao seu redor, buscando amar e ser amado, ajudando seus semelhantes, perdoando e construindo, em seu íntimo, momento a momento, o Reino de Deus.
Mas tem sido lento o progresso do Homem no entendimento das palavras de Jesus e isso determinou que muitos espíritos, em sua lenta caminhada, entendessem que este plano material só trás desventuras e, assim, o plexo físico devia ser desprezado e maltratado, e que o progresso espiritual só seria feito pelo sofrimento e dificuldades por que passasse em sua jornada na Terra.
Pelos ensinamentos de Cristo, porém, entendemos que não existe qualquer lógica naquele comportamento, uma vez que Ele nos ensinou que é através da prática do amor, da tolerância e da humildade que podemos alcançar o Reino de Deus, recebendo ajuda e forças para nossas provações na Terra, vivendo com sabedoria nossa jornada neste plano físico.
O Reino de Deus começa pela Evangelização, pois Jesus é a Porta para esse Reino. O primeiro passo e encontrar e aceitar Jesus.
Depois, pelo trabalho na Lei do Auxílio, usando o poder do amor para exercitar a caridade, pela obediência à conduta doutrinária, praticando a humildade e tolerância que nos tornam simples, vamos ampliando, dentro de nós, esse poderoso Reino de Deus, que nos faz poderosos instrumentos da Espiritualidade Maior, capazes da realização de grandes fenômenos de cura e de evangelização.
Devemos reconhecer Jesus como o mandatário do Grande Rei, cujo poder do amor e do perdão se expande por todo o Universo, incomparável com esses inúmeros reis que, dentro de poderes limitados e, em sua maioria, escravos das paixões e ambições, quiseram se impor como deuses, fazendo tristes caricaturas de suas individualidades presas de obsessores terríveis, que os levaram à devassidão, à injustiça baseada em paixões, à destruição e à revolta.
Vamos fazer nossa própria revolução, refinando nossos sentimentos e deixando a paz invadir nosso íntimo, buscando a beleza e a harmonia neste mundo físico, para que possamos começar a participar do Reino de Deus.
Fonte: Tumarã
Postado por Templo Puemar do Amanhecer


ESTRELS.gif (17939 bytes)

A ideia de Cristo

Imagem relacionada

Existe Cristo, como existe água: Jesus é um copo dessa água. Cristo significa “o ungido”, “o que recebeu os óleos santos”, ou seja, o que recebeu a consagração para uma Missão, para algo.
Cristo seria então o co-autor, o “co-responsável” pelo Universo mais próximo da nossa capacidade concepcional. “Co-autor” e “co-responsável” são os adjetivos mais aproximados para algo parecido com Deus que seria Cristo.
Jesus personifica, para esses dois mil anos que estão terminando, o Cristo ou apenas “Cristo”. Façamos uma analogia, uma comparação para podermos entender melhor. A gente diz: “no Planeta Terra existe água, e eu tomei um copo de água”. A diferença en­tre a água do Planeta e o copo de água que eu tomei é que a água do copo se tornou uma água específica, com características limitadas pelo copo e outras circunstâncias que a situaram no tempo e no espaço.
Jesus foi o copo, o veículo, mas foi de tal natu­reza que o copo e a água se confundiram em algo único: Jesus Cristo.
A partir dai esse algo que chamamos “Cristo” se tornou perceptível, verificável, palpável pelo nosso senso comum, nossos sentidos, nossa alma. Em resumo, os indefiníveis Deus e Cristo se tornaram definíveis na figura de Jesus.
Outros Seres como Jesus existiram antes e exis­tirão depois, mas também nesse sentido a nossa 
ca­pacidade de verificação é limitada. Como iríamos sa­ber quem foram os personificadores de Cristo, antes de Jesus, e como iremos saber quem serão os outros que virão depois?
Temos assim uma panorâmica, um fundo de pano para a Doutrina do Amanhecer: Cremos em Deus, mas não tentamos defini-lo, nem nos preocupamos com isso. Também não nos atrevemos a atribuir quali­dades a Ele e afirmar que Ele gosta disso assim ou de outra forma.
Cremos em Cristo como algo, talvez mais definível que Deus, mas também não temos a pretensão de penetrar no íntimo de sua natureza – Cremos em Jesus, o filho de Maria de Nazareth, que incorpora o Cristo, cuja história conhecemos e cuja obra é aceita universalmente.
O Mestre Jesus edificou uma Escola Iniciática chamada “Escola do Caminho”, parte da qual está contida nos chamados “Evangelhos”, escritos por quatro de seus discípulos. É essa Escola que nos forneceu os elementos para definir nossa posição em relação a Deus e ao Cristo.
Post: Antonio Claudio



 JESUS CRISTO
O ILUSTRE DESCONHECIDO


Ainda sabemos muito pouco sobre Jesus Cristo. Em tudo que aprendi no Vale do Amanhecer e em outras fontes idôneas de pesquisas, inclusive a própria Bíblia, cheguei a conclusão de que Jesus, depois de 2015 anos, ainda é um Ilustre desconhecido.
Já está na hora da humanidade deixar de lado a infantilidade espiritual e procurar, de alguma forma, buscar a maturidade do Espírito, pois eventos importantes estão para acontecer e vão exigir isso, caso contrário, negaremos o próprio Cristo quando Ele se revelar ao mundo.
Já estamos em um Novo Tempo, em uma Nova Era. Há uma grande esperança no ar.
Apesar de um insistente e ininterrupto processo de alienação e robotização, a humanidade caminha para dias melhores.
Somos seres que "olham", mas não "enxergam", por isso, o essencial continua invisível aos nossos olhos. Crer é apenas um conforto, pensar é um grande esforço e raciocinar é o principal requisito para a libertação do ser humano.
A humanidade está começando a pensar e raciocinar para se libertar das prisões religiosas, dogmáticas e ideológicas. Estamos caminhando para uma unificação na essência Crística, não em religiões.
Jesus ficou oculto dos 13 aos 30 anos passando pelo Tibet e os seus ensinamentos mais profundos foram maquiados por homens que tiveram medo das verdades que neles continham. Dentre esses ensinamentos destaco dois atribuídos ao Divino Mestre:
- "Felizes são aqueles que levam consigo uma parte das dores do mundo. Durante a longa caminhada, eles saberão mais coisas sobre a felicidade do que aqueles que a evitam".
- "O Reino de Deus está dentro de você e ao seu redor, não em prédios de madeira e pedra. Corte um pedaço de madeira e lá estarei, levante uma pedra e me encontrarás".

Ao descobrir que o seu "Eu" interior, ou seja, o seu espírito é o Reino de Deus que habita em seu corpo e é Ele que é o seu próprio caminho de volta para Deus, mesmo pertencendo a uma denominação religiosa, significa que você não precisa procurar nenhum intermediário entre você e Deus, porque ele já existe. Basta que você se aprimore no conhecimento de si mesmo e obedeça as Leis Divinas que regem a vida no Planeta Terra.
Essa realidade de Jesus que sugere libertação de dogmas, ideologias ou da imposição religiosa através do medo, não é aceita pelos sistemas de dominação de massas, pois ela contraria suas intenções ortodoxas que propõem uma suposta salvação por métodos horizontais e ultrapassados. Homens não salvam homens.
O homem sem o conhecimento transcendental professa uma fé em Deus, mas não conhece o caminho e fica vulnerável a dogmas e paradigmas e se distancia ainda mais da realidade Divina.
Estas explicações podem ser difíceis de serem compreendidas porque elas têm um sentido Iniciático. Jesus Cristo era um Iniciado.

Resumindo: JESUS É A PONTE QUE LIGA A PERSONALIDADE TRANSITÓRIA DO HOMEM COM A SUA INDIVIDUALIDADE TRANSCENDENTE. Dessa forma Ele ainda continua sendo um Ilustre Desconhecido.
Pense nisso quando estiver junto do seu amigo travesseiro.
Esta é a minha mensagem e reflexão para o ano de 2016 que ora se aproxima.
Desejo um Ano Novo com amplas possibilidades de espiritualização e Evangelização do ser humano. Esta é a minha esperança. Que as forças do "bem" possam se opor às forças equivocadas do que chamamos de "mal".
Edson Rodrigues-Adj. Valexo.

   
luz02.gif (11791 bytes)
ELI LAMAH ZABCTANI
OCULTO-ME NA PREALBA DE TUA PRESENÇA

fonte02.gif (5788 bytes)

ESTRELS.gif (17939 bytes)


Nenhum comentário:

Postar um comentário